Britânico Justin Rose faz história e conquista primeiro ouro após volta do golfe masculino aos Jogos

Buraco a buraco, Rose disputou Henrik Stenson, no 18° conseguiu tirar a vantagem necessária; Matt Kuchar fez volta incrível e ficou com bronze; Adilson da Silva encerra sua participação entre os 40 melhores

Britânico Justin Rose faz história e conquista primeiro ouro após volta do golfe masculino aos Jogos
Foto: Ross Kinnaird/Getty Images

Foi com emoção, até o último buraco, até a última tacada. O torneio olímpico de golfe no masculino foi decidido no birdie do 18° buraco do campo da Barra da Tijuca. O britânico Justin Rose, 12° no ranking mundial  e 6° no olímpico, disputou até o fim com Henrik Stenson, mas levou a melhor neste domingo e deu a Grã-Bretanha sua 10° medalha de ouro no Rio 2016 e foi o primeiro medalhista dourado no golfe desde os jogos de Saint Louis, em 1904, onde ocorreu a [ultima competição. Stenson ficou com a prata e Matt Kuchar, americano, levou o bronze

Rose fez parte do último grupo a entrar em campo, junto com Stenson e Marcus Fraser. Em alguns momentos, Rose alternou liderar com o sueco e ficou em segundo lugar em outras partes. Até o buraco 17, estava em igualdade no placar. No 18°, Stenson fez bogey (tacada acima do par) e Rose, por último, fez o birdie, o sexto do dia e faturou a medalha. Feliz, o britânico foi enfático a afirmar que a Olimpíada foi o ápice de sua carreira. "Isso foi melhor do que qualquer coisa que eu já ganhei. Foi o melhor torneio que eu já fiz." O torneio não conta com bolsa em dinheiro e não vale pontos no ranking mundial.

O sueco Henrik Stenson, vencedor do The Open de 2016, esteve entre os três melhores no fim de todos os dias do torneio. Foi considerado favorito a levar o título da competição mas a prata veio para coroar o atleta, que há pouco tempo era visto como um golfista que não chegava próximo de trofeus importantes. Foi com três tacadas abaixo do par que fechou o dia e nunca ficou longe de perder qualquer medalha no Rio de Janeiro.

Com -5 após o 3° dia do torneio, Matt Kuchar não era descartado, mas era aposta de poucos para conquistar medalha. Rickie Fowler e Bubba Watson estavam mais no duelo e vieram de sábado melhor. Mas Kuchar fez a melhor volta individual do domingo, com oito tacadas abaixo do par e superou 12 adversários para, antes de encerrar sua volta, garantir o bronze para os Estados Unidos.

Pódio que entra pra história. Foto: Ross Kinniard/Getty Images

O belga Thomas Pieters com -9, também foi destaque no domingo, porém teve um sábado para se esquecer e com isso não ameaçou os rivais de cima, terminando na quarta colocação. Em quinto lugar, três golfistas terminaram empatados com oito tacadas abaixo: o espanhol Rafa Cabrera Bello, o talandês Kiradech Aphibarnrat e o australiano Marcus Fraser, que liderou na quinta e sexta feira. Sergio Garcia da Espanha, Bubba Watson dos Estados Unidos e Emiliano Grillo representando a argentina terminaram com -7 do par e fecharam os dez melhores do torneio.

O brasileiro Adilson da Silva ficou longe de medalha, mas fez mais do que o esperado, para quem era o 51° no ranking olímpico. Adilson fez a 24° melhro volta do dia com duas tacadas abaixo do par e terminou empatada com uma acima no geral em 40° lugar, na frente de 13 atletas melhor ranqueados no mundo.

Adilson da Silva termina em 40°. Foto: Scott Halleran/Getty Images

Nem todo mundo conseguiu fazer o torneio que se esperam. Dois em especial ficaram devendo. O britânico Danny Willett, que venceu o Masters deste ano, terminou na 37° colocação, a par do campo. Durante todo o torneio, Willett se viu à sombra do também britânico Rose e não encostou nos rivais. O americano Rickie Fowler, terceiro colocado no ranking dos Jogos, fez a mesma pontuação de Willett, ficando em 38°. Apesar da melhor volta do sábado, Fowler chegou a ficar fora dos 50 melhores na sexta feira e teve o nono pior domingo do torneio.

Na quinta-feira (18), é a vez das meninas entrarem em ação no golfe. A partir das 7h30 da manhã, 60 golfistas estarão na disputa por medalha. Miriam Nagl e Victoria Lovelady representarão o Brasil no duelo feminino.