Poliana leva a medalha de bronze na Maratona Aquática, após final dramático

Depois de achar que tinha deixado escapar o pódio, surpresas acontecem e Francesa é eliminada da competição,sendo Poliana herdeira do 3ª lugar.

Poliana leva a medalha de bronze na Maratona Aquática, após final dramático

Na manhã desta segunda-feira (15), a maratonista aquática brasileira Poliana Okimoto, de 33 anos, conquistou a medalha de bronze. A atleta esteve, desde o início da prova,que durou quase duas horas, no pelotão de frente. Ela terminou a disputa na quarta colocação, atrás da francesa Muller, porém, minutos depois  para a surpresa de muitos, foi confirmado que atleta da França havia empurrado a nadadora italiana Rachele Bruni, no momento da batida. A francesa foi desclassificada, e com isso, Poliana subiu uma posição, conquistando o bronze.

A prova foi vencida pela holandesa Sharon Van Rouwendaal.  A Rachele Bruni, assumiu o segundo lugar, com a prata, sendo a Aurelie Muller eliminada. A brasileira Poliana Okitomo,conquistou o bronze, com muito trabalho e dedicação.

A Primeira parcial

A primeira parcial é medida após 2,5 quilomeros percorridos,depois dos 30 minutos. Ana Marcela chegou na liderança da prova, com o tempo de 30m51s. A atleta era seguida de perto pela compatriota Poliana Okimoto, que cravou 30m53s1. A holandesa Sharon Van Rowendaal cruzou a primeira boia com o mesmo tempo de Poliana, ocupando a terceira colocação.

Segunda parcial

 A segunda parcial, medida após 5 quilômetros de prova, trouxe as brasileiras pouco atrás das posições obtidas na primeira parcial. A queda de rendimento foi provocada pela passagem no posto de abastecimento. As atletas também diminuíram um pouco o ritmo para guardar gás para a reta final da prova.

Terceira parcial

Medida após 7,5 quilômetros percorridos, a prova era liderada por Sharon Van Rouwendaal. A italiana Rachele Bruni seguia de perto a europeia. Poliana Okimoto recuperou-se bem da segunda parcial e ocupava a terceira colocação. Ana Marcela Cunha terminou a etapa na 7ª colocação.

Reta final

Faltando apenas 2,5 quilômetros para o fim da prova, Ana Marcela Cunha sofria para retomar o bom ritmo do início. Poliana Okimoto seguia de perto as atletas europeias que lideravam a prova.

Maratonas aquáticas é o nome de uma modalidade esportiva da natação praticada em água abertas. Ela pode ser praticada em águas oceânicas (mares), lagos ou rios. O percurso em que o nadador deve nadar nessa prova é de 10 quilometros. Os nadadores que praticam esta modalidade devem ter muita resistência física. Vence quem chegar primeiro no final do percurso, tocando a placa de chegada. O Trajeto é demarcado por boias. Os nadadores utilizam um chip no pulso para marcar seu tempo na prova. Juízes e cronometristas (seis de cada) eles são responsáveis por registrar o tempo de chegada de cada nadador. Especialistas verificam a temperatura da água. Esta deve estar entre 16 e 31 graus Celsius. É um fator importante para garantir a segurança dos nadadores.

Embora a maratona aquática seja uma disputa nova em Olimpíadas, em 2007, no Pan do Rio de Janeiro, atleta ficou com a prata na prova de 10 km. Nos jogos de Pequim, pela primeira vez, em 2008, Poliana chegou em 7º lugar. Em Londres, nos jogos de 2012, maratonista brasileira sofreu hipotermia  e desistiu da prova. Na saída, ainda desmaiou e foi levada de cadeira de rodas para o ambulatório da competição. Hoje, a conquista da medalha de bronze,serve como uma superação pessoal para Poliana Okimoto e alegria para o Brasil.