Brasil consegue ouro com Daniel Dias e bronze com Ítalo Pereira no primeiro dia da natação

Nadador venceu os 200m livre da classe S5. Ítalo Pereira levou o bronze nos 100m costas S7

Brasil consegue ouro com Daniel Dias e bronze com Ítalo Pereira no primeiro dia da natação
Daniel Dias competindo na Rio 16 (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

A natação, disputada no Estádio Aquático Olímpico, dentro do Parque Olímpico construído na Barra da Tijuca, teve um total de 16 finais logo no seu primeiro dia. Foi só o início das 152 provas que o esporte traz aos Jogos Paralímpicos Rio 2016. A fórmula de disputa agrupava as provas da mesma classe, com realização das masculinas num primeiro momento e, logo após, as femininas Com participação de vários nadadores brasileiros, o destaque do Brasil ficou com a medalha de ouro conquistada pelo multicampeão Daniel Dias, na prova dos 200m livre da classe S5.

A primeira prova foi a dos 100m costas masculino para a classe S6, já com presença de brasileiro. Thalisson Glock representou o Brasil na primeira final paralímpica da natação e acabou na quarta colocação. O ouro ficou com o chinês Tao Zheng, que também bateu o recorde mundial da prova, com o tempo de 1:10.84. A prata também foi para a China, com Hongguang Jia e o bronze foi ucraniano, com Iaroslav Semenenko. Logo na sequência, tivemos a mesma prova para as mulheres. A dobradinha acabou se repetindo no feminino, com ouro para Lingling Song, nova recordista mundial e prata para Dong Lu. O bronze foi de Oksana Khrul, também da Ucrânia.

A segunda sequência de provas veio com os 400m livre da classe S8. No masculino, quem saiu com o ouro foi de Oliver Hynd, que estabeleceu novo recorde mundial com 4:21.89. A prata e o bronze foram chineses. Caio Oliveira, representante brasileiro, terminou na quarta colocação. Já no feminino, a favorita Jessica Long, dos Estados Unidos, foi desbancada pela jovem australiana Lakeisha Patterson, que terminou com o ouro e novo recorde mundial, marcando 4:40.33. A prata foi da estadunidense e o bronze ficou com a britânica Stephanie Millward.

A terceira prova da noite foi a dos 100m peito da classe SB9. A prova masculina proporcionou uma disputa braçada a braçada entre Denis Dubrov, da Ucrânia e o sul-africano Kevin Paul, que terminou com o ouro. O bronze foi de Duncan van Haaren, pela Holanda, país que garantiu o ouro na prova feminina, com Lisa Kruger. Ainda pelas mulheres, a prata foi britânica, ficando com Harriet Lee e o bronze também foi holandês, com Chantalle Zijderveld.

Após entrega de medalhas, mais uma prova veloz: os 100m livre masculino da classe S4, que teve ouro para a Coreia do Sul, com Jo Gi Seong, deixando a prata para o chinês Jin Zhipeng. Michael Schoenmaker garantiu mais uma medalha de bronze para a Holanda. As mulheres voltaram à piscina para prova de mesma distância, mas pela classe S3. E, em cena repetida várias outras vezes no primeiro dia de competições, o recorde mundial foi quebrado pela cazaque Zulfiya Gabidullina, de 50 anos, com a marca de 1:30.07, baixando em mais de quatro segundos a marca anterior. A prata foi para a China com Quiping Peng e o bronze ficou com Olga Sviderska, da Ucrânia. A brasileira Maiara Barreto fechou a prova com 2:11.54, na oitava colocação.

A prova dos 100m costas classe S14 era, sem dúvidas, uma das mais fortes do programa, já que os nadadores são portadores de deficiências intelectuais, sem problemas com mobilidade. Com o tempo de 59.82, quem venceu foi Kook In Lee, estabelecendo novo recorde paralímpico. A prata ficou com a Holanda, pelas mãos de Marc Evers. O japonês Takuya Tsugawa completou o pódio, ficando com o bronze. Na sequência, pela prova feminina, a britânica Bethany Firth confirmou seu favoritismo e ficou com o ouro, quebrando seu próprio recorde mundial. A prata foi de mais uma holandesa: Marlou van der Kulk, enquanto que o bronze também foi para a Grã-Bretanha, com Jessica-Jane Applegate.

Nos 100m borboleta masculino, pela classe S13, o bielorrusso Ihar Boki não deu chances aos seus adversários e mostrou porque era favorito, levando o ouro e estabelecendo novo recorde mundial, com a marca de 53.85. A prata e o bronze foram para o Uzbequistão, com Kirill Pankov e Muzaffar Tursunkhujaev. O brasileiro Thomaz Matera acabou na sexta colocação. Pelo lado feminino, mais um bom desempenho uzbeque, garantindo mais duas medalhas, com a prata e o bronze, tal qual no masculino. O ouro foi para os Estados Unidos, com Rebecca Meyers, que também quebrou o recorde mundial.

A prova que vinha a seguir trazia a maior expectativa, já que Daniel Dias cairia na piscina para disputar sua primeira medalha. Favorito ao ouro, o brasileiro não decepcionou, liderou a prova desde o começo e garantiu a primeira medalha da natação brasileira nessa Paralimpíada, vencendo os 200m livre da classe S5, com o tempo de 2:27.88, terminando mais de dez segundos à frente de Roy Perkins, estadunidense que ficou com a prata. O bronze foi para o britânico Andrew Mullen.

Na sequência, as nadadoras da classe S5 também disputaram a prova dos 200m livre, que terminou com vitória de Li Zhang, levando mais uma medalha de ouro para a China. A prata foi para a Espanha, com Teresa Perales e o bronze ficou com a norueguesa Sarah Rung. O Brasil teve participação com Joana Silva, fechando a prova na sexta colocação. Por fim, tivemos os 100m costas da classe 7. No masculino, Ítalo Pereira carregava a esperança de mais uma medalha para o Brasil e correspondeu. Ítalo foi bronze na prova, marcando o tempo de 1:12.48. O ouro foi para a Ucrânia, com Ievgenii Bogodaiko, e a prata foi para Jonathan Fox, da Grã-Bretanha.

Finalizando as competições do primeiro dia da natação, tivemos a prova feminina dos 100m costas S7 e, mantendo o padrão do que aconteceu em todas as outras provas, a China conseguiu mais uma medalha de ouro, com a nadadora Liting Ke, que conseguiu uma dobradinha com sua compatriota Ying Zhang. Por pouco não tivemos todo o pódio chinês, atrapalhado apenas pela australiana Rebecca Dubber, que tirou o bronze de Yajing Huang. Para se ter uma noção do domínio chinês, o país terminou o dia com 13 medalhas de ouro na natação.