Brasil leva duas pratas no segundo dia da natação

Phelipe Rodrigues levou a primeira prata nos 50m livre e a segunda veio no revezamento 4x50m livre misto

Brasil leva duas pratas no segundo dia da natação
(Foto: Friedemann Vogel/Getty Images)

O segundo dia de competições da natação paralímpica também foi vitorioso para o Brasil. Como já era esperado, as provas de 50m livre e revezamento 4x50m livre misto deixaram a bandeira brasileira no pódio, já que os favoritos confirmaram as medalhas. A China e a Ucrânia dominaram as conquistas do dia, incluindo dois pódios totalmente chineses.

A primeira final do segundo dia de competições foi a dos 100m costas masculino, categoria S1. O ouro ficou com o ucraniano Hennadii Boiko, que finalizou a prova com folga em 2:08.01. Francesco Bettella ficou em segundo e o ucraniano Anton Kol chegou em terceiro.

Nos 100m costas masculino, categoria S2, a China dominou o pódio e ficou com ouro e prata. Liankang Zou fechou a prova em 1:45.25, quanto o compatriota Benying Liu terminou três segundos depois. Serhii Palamarchuk ficou com o bronze.

Pin Xiu Yip, de Singapura, levou o ouro nos 100m costas feminino, categoria S2, terminando a prova em 2:07.09. Yazhu Feng, da China, e Iryna Sotska, da Ucrânia, ficaram com a prata e o bronze respectivamente.

Já nos 50m livre masculino, categoria S7, o domínio chinês e ucraniano continuou. Shiyun Pan ficou com o ouro e Ievgenii Bogodaiko com a prata, seguidos por Carlos Serrano Zarate, da Colômbia, que levou o bronze. Na mesma categoria feminina, McKenzie Coan, dos Estados Unidos, levou com vantagem o ouro, batendo em 32s42. Em segundo, Denise Grahl, da Alemanha, ficou com a prata e a britânica Susannah Rodgers com o bronze.

A prova masculina dos 50m borboleta, categoria S6, teve pódio chinês, com Qing Xu levando o ouro, Tao Zheng com a prata e Lichao Wang em terceiro, conquistando o bronze. No feminino, Ellie Robinson, da Grã-Bretanha, ficou no lugar mais alto, seguida por Oksana Khrul, da Ucrânia, e Tiffany Thomas Kane, da Austrália.

Nos 50m livre na categoria S10, o Brasil tinha dois representados e Phelipe Rodrigues conseguiu bater em segundo lugar, com 23s56, conquistando a prata. Já o medalhista em duas edições Paralímpicas, André Brasil, acabou ficando na quarta posição, apenas três centésimos atrás do ucraniano Denys Dubrov, que ficou com o bronze. O ouro ficou com o ucraniano Maksym Krypak, de 21 anos.

A mesma categoria feminina teve o Canadá no lugar mais alto do pódio, com Aurelie Rivard em primeiro, seguida por Sophie Pascoe, da Nova Zelândia, e Yi Chen, da China.

Os 100m costas, categoria S11, tiveram Mary Fisher, da Nova Zelândia, Liwen Cai, da China, e Maja Reichard, da Suécia, no pódio feminino. Já no masculino, o ucraniano Dmytro Zalevskyi ficou com o ouro, Wojciech Makowski, da Polônia, conquistou a prata e o norte-americano Bradley Snyder levou o bronze.

Brenden Hall, da Austrália, conquistou o ouro nos 400m livre masculino, categoria S9, completando a prova com 4:12.73. Federico Morlacchi, da Itália, ficou com a prata, seguido pelo britânico Lewis White. A espanhola Nuria Marques Soto finalizou os 400m em 4:42.56 e foi medalhista de ouro. Ellie Cole, da Austrália, e Jialing Xu, da China, completaram o pódio.

Pódio chinês nos 100m borboleta masculino, categoria S8, já que Maodang Song, em 59s19, fechou em primeiro, Haijiao Xu ficou com a prata e Guanglong Yang levou o bronze. Na mesma prova feminina, Kateryna Istomina, da Ucrânia, foi medalhista de ouro, Stephania Slater, da Grã-Bretanha, conquistou a prata e Jessica Long, dos Estados Unidos, o bronze.

A última medalha do Brasil veio no revezamento 4x50m livre misto, com Clodoaldo Silva, Joana Silva, Susana Ribeiro e Daniel Dias. A equipe brasileira ficou atrás apenas da China, que conseguiu ainda bater com muita facilidade o recorde mundial e levou o ouro. Em terceiro, a Ucrânia conquistou o bronze.