Vingadores: Guerra Infinita | Resenha Crítica
Thanos em "Vingadores: Guerra Infinita" (Foto: Disney BR)

Vingadores: Guerra Infinita | Resenha Crítica

The Avengers

claramolterb
Clara Molter Bertolot

O filme "Vingadores: Guerra Infinita" está concorrendo ao OSCAR na categoria de Melhores Efeitos Visuais. Dentre os que estão no páreo, a obra concorre com "Christopher Robin", "O Primeiro Homem", "Jogador Nº 1" e "Han Solo".

Com toda a certeza foi um dos filmes mais aguardados do ano passado, onde todos os fãs criaram inúmeras expectativas para poderem assistir a trama, observar a desenvoltura das personagens, verificar se a história tinha linearidade na decorrência dos fatos, dentre outros fatores.

A obra dirigida por Kevin Feige trouxe um misto de humor, principalmente no que diz respeito às cenas envolvendo os "Guardiões da Galáxia" e "Thor", mas também trouxe inúmeros momentos de suspense, tensão e um ar mais sombrio, como por exemplo, nas cenas em que "Thanos" aparecia, e nos momentos finais, onde alguns personagens desaparecem.

A questão da luminosidade presente no filme só consegue ser atribuída à um tom mais alegre, claro, quando as cenas são rodadas em Wakanda, em contrapartida ao restante, que possui baixa luz, dando cada vez mais um tom sombrio ao longa-metragem.

Por mais que fosse um filme com vários heróis, alguns, como Viúva Negra, Falcão, ficaram em segundo plano, como se fossem personagens secundários, e os três principais vingadores, Capitão América, Homem de Ferro e Thor ganharam mais foco nas filmagens.

Foi um dos filmes mais aguardados, como já foi mencionado, para o ano de 2018, e com o próximo, não será diferente, já que "Vingadores: Ultimato" promete dar aos fãs alguns desfechos que ficaram abertos neste filme.

A premiação do OSCAR ocorrerá em Los Angeles, no dia 24 de fevereiro.

VAVEL Logo