CarnaVAVEL: Viradouro, Salgueiro e Tijuca levam primeira noite do Grupo Especial
Foto:  Fernando Grilli | Riotur

CarnaVAVEL: Viradouro, Salgueiro e Tijuca levam primeira noite do Grupo Especial

Escolas se apresentaram na primeira noite de desfiles na Marquês de Sapucaí

araujo_luis
Luis Araujo

A primeira noite de desfiles do Grupo Especial contou com belas surpresas, inovações e falhas inesperadas. Império Serrano, Viradouro, Grande Rio, Salgueiro, Beija-Flor, Imperatriz e Unidos da Tijuca passaram pela Sapucaí neste domingo (3).

Leia abaixo o resumo sobre a performance de cada agremiação na primeira noite de desfiles do Grupo Especial, em que se destacaram Viradouro, Salgueiro e Unidos da Tijuca.

Império Serrano

Uma das escolas mais tradicionais do Carnaval carioca, o Império Serrano levou à Marquês de Sapucaí um dos maiores sucessos de Gonzaguinha para explicar o conceito de criação. Tentando lidar com a falta de verbas, a escola deixou pecar na finalização de suas fantasias e alegorias.

Viradouro

A Viradouro sorriu na Marquês de Sapucaí neste domingo (3), como bem diz seu samba-enredo. Com uma grande abertura feita pela comissão de frente, a escola apresentou belíssimo trabalho plástico do carnavalesco Paulo Barros. O enredo conseguiu mostrar clareza na Avenida e transportar o público do Sambódromo para o universo de encantos e magia. Uma vez lá, o povo aplaudiu o desfile e ovacionou Barros ao final da apresentação da escola.

Grande Rio

Para falar sobre os maus hábitos e o “jeitinho” brasileiro, a escola de Caxias trouxe para a Avenida alegorias impressionantes e tecnológicas. Apesar da parte plástica surpreendente, e o bom andamento da escola na Sapucaí, a agremiação não empolgou tanto o público, que não correspondeu ao samba-enredo da escola.

Salgueiro

Levando à Avenida um enredo sobre Xangô, o Salgueiro passeou sobre o sincretismo religioso com várias pegadas sobre um dos deuses mais clamados das religiões afro-brasileiras, realizando um ótimo desfile. Aplaudida pelo público presente no Sambódromo, a agremiação da Tijuca foi um dos grandes destaques da primeira noite de desfiles do Grupo Especial.

Beija-Flor

Com homenagem aos seus 70 anos, a escola de Nilópolis trouxe para a Avenida um enredo que exaltava seus Carnavais. Embora os componentes tenham vindo animados e as fantasias bem feitas, o samba-enredo fraco não empolgou na Sapucaí, prejudicando a Harmonia da agremiação. Além disso, surpreendeu por ter apresentado uma má evolução no desfile.

Imperatriz

Falando sobre um tema que desperta a atenção, o dinheiro, a Imperatriz Leopoldinense viu seu desfile ser prejudicado após um problema no abre-alas logo na Armação, o que atrapalhou o andamento da escola. Apesar de um trabalho bem estruturado dos carnavalescos Mário e Kaká Monteiro, que contou com desenvolvimento de fácil leitura, a Verde e Branca deve sofrer com a perda de pontos devido aos buracos gerados em sua passagem pela Avenida.

Unidos da Tijuca

Última escola a se apresentar, a Tijuca trouxe o enredo do pão na hora mais apropriada do dia: a manhã. Com um excelente desempenho nos quesitos de chão, graças à forte comunidade do Borel, a azul e amarelo saiu da Avenida com o dia claro e com a esperança de entrar na briga pelo campeonato. Bateria, samba-enredo e casal também se destacaram.

VAVEL Logo