Placa de titânio para gerar faíscas nos carros será testada no GP da Áustria
Placas de titânio serão testadas este ano para adoção em 2015. (Foto: XPB Images)

Depois da questão ainda não resolvida de como fazer a Fórmula 1 mais interessante aos ouvidos do público, dadas as reclamações sobre a falta de barulho das novas unidades V6 Turbo, agora a categoria máxima também visa tornar a parte visual mais interessante aos fãs, com a instalação de placas de titânio nos assoalhos dos carros, que produzirão faíscas em contato com o asfalto. A medida será testada durante os treinos livres do GP da Áustria, que ocorrem nesta Sexta e no Sábado, no Red Bull Ring.

Mercedes e Ferrari serão as equipes que farão os testes, utilizando os carros de Nico Rosberg e Kimi Raikkonen, para se ver o quanto de faíscas é produzido. As placas de titânio são parte de um pacote de soluções que pretende trazer um maior apelo visual à categoria, e que devem ser testadas ao longo do ano para inclusão para toda a temporada 2015.

Dentre as soluções a serem testadas, outras que podem ter bastante relevância é a adoção de discos de freio incandescentes, além do possível retorno da suspensão ativa, utilizada na década de 90.

A inspiração para as placas vem de épocas passadas da Fórmula 1, mais especificamente das décadas de 80 e 90, onde além do uso destas placas, o fato dos carros estarem sempre muito perto do solo criava um show de faíscas, para deleite do público.

Porém, estas placas foram substituídas por pranchas de madeira, justamente para evitar que os carros ficassem próximos demais do asfalto, e assim evitar maior ganho aerodinâmico, além de possíveis transtornos ao carro.

O único porém da situação é que, mesmo que estas placas melhorem o espetáculo, ainda resta a aprovação do equipamento por parte do Conselho Mundial da FIA, que deve se reunie em Munique na próxima semana.

VAVEL Logo