Fim da expectativa: GP da França volta à F1 em 2018 no lendário circuito de Paul Ricard

Um local velho conhecido da Fórmula 1 voltará ao calendário da categoria em 2018. Nesta segunda-feira (5), a organização do Grande Prêmio da França confirmou, de forma oficial no Automobile Clube de France, uma notícia extremamente aguardada por muitos fãs do automobilismo: os franceses voltarão a sediar uma corrida de F1 daqui a duas temporadas. E o palco também é mais que especial: Paul Ricard, circuito que tem muita história com o certame.

A informação foi confirmada por Christian Estrosi, presidente da região de Provence-Alpes-Cote d'Azur, onde se localiza o circuito. Ao lado de pessoas como o diretor de corridas da McLaren, Eric Boullier, e o diretor executivo da Renault, Cyril Abiteboul, Estrosi se disse “orgulhoso” por promover o retorno da F1 à França e agradeceu a políticos e pessoas influentes que se esforçaram até que o objetivo fosse atingido.

Hoje eu posso anunciar de forma clara e firme o retorno do GP da França para o verão de 2018, na região de Provence-Alpes-Cote d'Azur, no circuito de Paul Ricard. Estamos orgulhosos desse retorno depois de 10 anos. Isso é uma grande vitória para os que trabalharam nesse sucesso”, disse Estrosi.

Sabemos que o esporte a motor é muito popular no nosso país, e somos embaixadores da inovação, criação, pesquisas e desenvolvimento. Para o nosso país, era um medo real de perder o GP. Desde então tivemos grandes esforços – e queria agradecer ao ex-Primeiro Ministro François Fillon e ao presidente da FFSA (Federação Francesa de Automobilismo) Nicolas Deschaux, e a muitos outros que trabalharam duro para isso”, acrescentou.

Paul Ricard recebeu testes de algumas equipes na pré-temporada em 2016 (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Paul Ricard recebeu testes de algumas equipes na pré-temporada em 2016 (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Estrosi acrescentou dedicando o fato a outros nomes do automobilismo francês, em especial a Jules Bianchi e Jean Behra. O primeiro tinha apenas 25 anos de idade quando, em outubro de 2014, sofreu um gravíssimo acidente no Grande Prêmio do Japão, em Suzuka (derrapando na pista super molhada e acertando um trator que retirava o carro de Adrian Sutil), e veio a falecer nove meses depois com sérias lesões cerebrais. Já o segundo faleceu em um acidente no GP francês de 1959, aos 38 anos de idade.

Eu também penso no nosso piloto de Nice, Jules Bianchi, que faleceu. Quero dedicar esse retorno a ele. Meus pensamentos estão com sua família, seu pai, entre outros. Também penso em outros que não conheço, mas que contribuíram para o sucesso do esporte a motor francês, como o Jean Behra, que continua sendo uma grande figura para nós”, complementou.

Quem também falou sobre a volta de Paul Ricard à F1 foi o diretor atual do circuito, Stephane Clair. Ele garantiu que a pista segue os atuais padrões da categoria e que conversou com especialistas sobre possíveis problemas e gastos com pontos como acessibilidade do público e arquibancadas – Clair lembrou que, em 2015, Paul Ricard passou a receber o Bol D’Or, tradicional corrida de 24h com motocicletas na França, e 70.000 pessoas estiveram presentes sem grandes problemas.

Sempre estivemos otimistas, porque cumprimos os atuais padrões da F1. Falamos com experts sobre problemas técnicos e custos, para encerrar certos preconceitos contra nós, como algumas dificuldades já alegadas com o acesso dos espectadores. No Bol D’Or em 2015, o plano de trânsito funcionou e isso nos permitiu acomodar 70.000 espectadores. E esse plano também será trabalhado no GP da França em 2018”, disse Stephane.

Alain Prost venceu o último GP de Paul Ricard, em 1990 (Foto: Pascal Rondeau/Getty Images)
Alain Prost venceu o último GP de Paul Ricard, em 1990 (Foto: Pascal Rondeau/Getty Images)

Com isso, Paul Ricard voltará a sediar uma corrida após 28 anos. O circuito recebeu 14 provas entre 1971 e 1990, quando Alain Prost venceu a última prova feita por lá. Em 1991, o GP mudou para o circuito de Magny-Cours, onde permaneceu desde 2008. De lá para cá, a França não recebeu mais nenhuma prova de Fórmula 1, e seu retorno agora anunciado encerrará um hiato de 10 anos sem a categoria no país – em 2016, Paul Ricard recebeu testes de pneus promovidos pela Pirelli na pré-temporada com Ferrari, Red Bull e McLaren.

A França tem dois pilotos confirmados no grid da Fórmula 1 para 2017: Esteban Ocon, na Force India, e Romain Grosjean, na Haas. Além disso, a Renault, uma das grandes montadoras do país, segue com sua equipe própria na categoria pelo segundo ano seguido.

VAVEL Logo