Felipe Fraga e Rubens Barrichello decidem título da Stock Car em Interlagos
Barrichello, 44 anos, alia toda sua experiência e velocidade na busca pelo bi (Duda Bairros/VICAR)

Interlagos recebe com festa a grande final da Stock Car 2016. Uma temporada que começou em Curitiba com uma despedida que não se concretizou, e depois passou pelo Velopark, Goiânia, Tarumã, Santa Cruz do Sul, Cascavel, fez a Corrida do Milhão em Interlagos, depois foi a Londrina marcar seu retorno depois de quatro anos; voltou a Curitiba e depois seguiu novamente para a capital goiana e, em seguida, estreou em terras mineiras no circuito de Curvelo (MG).

São somente dois os postulantes aos títulos brasileiro e sul-americano em jogo na temporada 2016. Terceiro colocado na tabela com 200 pontos, Valdeno Brito não pode mais alcançar o líder Felipe Fraga, que soma 282. A corrida deste domingo terá 40 minutos mais uma volta de duração e entregará o dobro de pontos. Sendo assim, o vencedor leva 60; o segundo, 50, o terceiro, 44, o quarto 40, em ordem decrescente de dois pontos até o 17º colocado, que levará 14 pontos. O 18º somará 10, o 19º fecha com seis e o 20º termina com dois pontos.

Felipe Fraga, 21 anos, dono de cinco vitórias na temporada - todas elas na primeira prova de cada etapa, justamente a que dá mais pontos -, entre elas a Corrida do Milhão, disputada em Interlagos. O jovem da Cimed Racing chega à capital paulista com 282 pontos em suas contas, podendo terminar a corrida em 12º lugar para conquistar o título caso Rubens Barrichello vença a corrida.

Rubens Barrichello, 44 anos, venceu três vezes no ano - duas nas baterias complementares de Cascavel e Londrina e a corrida principal de Goiânia há duas etapas. Tem usado como poucos a experiência a seu favor. O revés sofrido na segunda prova de Curvelo, quando viu a vitória virar vapor a 200 metros da linha de chegada, foi dolorido, mas não muda o foco do campeão de 2014. Teria diminuído a diferença de 37 para apenas 22 pontos.

O fato é que, de qualquer maneira, Barrichello vai precisar contar com toda sua experiência e remar muito para tirar o título de Felipe Fraga. A matemática do título é simples: se Rubinho vencer, ele tem de torcer para Fraga chegar no máximo em 13º para conquistar seu segundo título; se for segundo, Fraga tem que terminar em 18º ou abaixo; se Barrichello terminar em terceiro, Fraga precisa ser o 19º colocado na corrida. Rubinho em quarto tem de torcer para que Felipe termine no máximo em 20º lugar; e ser quinto colocado caso o jovem da Cimed Racing não termine a corrida.

Uma missão inglória, já que apesar de toda sua experiência, o piloto da Medley-Full Time corre contra um piloto que vem no auge de sua pilotagem, em grande fase e contando com um carro acertadíssimo que o fez, entre outras coisas, superar seu companheiro de equipe e atual campeão da categoria, Marcos Gomes.

VAVEL Logo