Daniel Serra vence a Corrida do Milhão em Curitiba
(Foto: Fernanda Freixosa)

A Stock Car tem mais um novo nome para o seleto grupo de vencedores da Corrida do Milhão Pirelli, que já conta com Rubens Barrichello, Thiago Camilo, Valdeno Brito, Ricardo Mauricio, Felipe Fraga e Ricardo Zonta. Daniel Serra mostrou na pista do Autódromo Internacional de Curitiba que estava imbatível e venceu a prova milionária, faturando o prêmio de R$ 1 milhão e a liderança do campeonato da temporada 2017, com 142 pontos, abrindo 16 de vantagem sobre Thiago Camilo. Marcos Gomes e Cacá Bueno completaram o pódio.

Antes da largada, o ex-piloto e dono de 12 títulos da Stock Car, Ingo Hoffmann entregou no grid a Rubens Barrichello, Bia Figueiredo, Felipe Fraga, Thiago Camilo, Cacá Bueno e Átila Abreu, os seis pilotos mais votados na eleição do Hero Push, o aviso de que teriam um push extra, além dos oito acionamento já concedidos pela organização.

O piloto da Eurofarma RC manteve a liderança na largada, administrando a vantagem que chegou a ser de quase cinco segundos sobre Thiago Camilo, mas após a parada obrigatória para troca de pneus e reabastecimento, Daniel Serra quase perdeu a vitória. Ao voltar para a pista com pneu frios, escapou logo na curva 1, perdendo a vantagem sobre Camilo. Mas  o mesmo problema aconteceu com o adversário, que retornou à frente de Serrinha após fazer a parada mais rápida da prova, mas não conseguiu segurar o carro, sendo ultrapassado pelo novo milionário da Stock Car.

“Dinheiro extra entrando na conta é sempre bom, estou cheio de boleto em casa para pagar. A equipe fez um trabalho sensacional, um dos melhores carros que eu já guiei na Stock Car. Dessa vez o (Rosinei Campos) Meinha conseguiu se superar, a equipe fez um trabalho fantástico. Sou eu que subo no pódio, mas o trabalho deles é essencial”, comentou o vencedor.

Com a vitória na Corrida do Milhão Pirelli, Daniel Serra assumiu a liderança da competição com 142 pontos, abrindo 16 de vantagem sobre Thiago Camilo, que não pontuou ao abandonar a prova por falta de combustível. “Uma pena o que aconteceu com o Thiago, ainda tem muita coisa para acontecer e tenho certeza que vamos brigar pelo título até o final”, acrescentou o milionário.

Daniel Serra vive um momento especial de carreira em 2017. Há duas semanas, o piloto venceu em uma das categorias das 24 Horas de Le Mans e agora triunfou na prova mais esperada da principal categoria do automobilismo brasileiro pela sua nova equipe. “Estou em um momento muito bom. Venci a corria mais importante do automobilismo mundial, agora a da Stock Car e assumi a liderança do campeonato. É um bom momento, mas ainda faltam muitas corridas para o fim do campeonato. Precisamos continuar focados, sem erros”.

A sexta etapa da temporada 2017 da Stock Car será realizada no dia 23 de julho, em Curvelo, no interior de MG. A votação do Hero Push será iniciada às 8 horas do domingo anterior à corrida e somente três pilotos receberão o benefício. Os seis mais votados para a Corrida do milhão não poderão ser selecionados para a próxima prova.

Punições alteram resultado da Stock Car

Após a disputa da Corrida do Milhão Pirelli, os comissários desportivos da Confederação Brasileira de Automobilismo aplicaram punições a três pilotos da Stock Car. Gabriel Casagrande, Rafael Suzuki e Antonio Pizzonia foram penalizados por atitude antidesportiva.

Veja como ficou a corrida:

29 Daniel Serra (Eurofarma RC ) – 29 voltas em 42min02s032
80 Marcos Gomes (Cimed Racing) - a 2s696
0 Cacá Bueno (Cimed Racing) - a 16s086
111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) - a 18s576
4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) - a 23s144
65 Max Wilson (RCM Motorsport) - a 23s545
30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) - a 34s041
46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team)- a 36s378
83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) - a 37s981*
117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) - a 39s778
44 Betinho Valério (Hero Motorsport) - a 40s425
77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) - a 43s616
31 Marcio Campos (Blau Motorsport) - a 44s106
70 Diego Nunes (Hero Motorsport) - a 50s729
188 Beto Monteiro (Mico’s Racing) - a 52s438
3 Bia Figueiredo (Full Time Academy ) - a 1min13s217
90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) - a 1 volta
18 Allam Khodair (Full Time Sports) - a 1 volta
40 Felipe Fraga (Cimed Racing Team) - a 1 volta
51 Átila Abreu (Shell Racing) - a 1 volta
28 Galid Osman (Ipiranga Racing) - a 1 volta
10 Ricardo Zonta (Shell Racing) - a 1 volta
21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) - a 2 voltas
9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) - a 2 voltas
8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) - a 2 voltas*
12 Lucas Foresti (Full Time Academy) - a 3 voltas

Não completaram 75% da prova:

110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports)
25 Tuka Rocha (RCM Motorsport)
73 Sergio Jimenez (Bardahl Hot Car)
5 Denis Navarro (Cimed Racing Team)

Desclassificado:

1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) **

* Punidos com o acréscimo de 20 segundos ao tempo final de prova por atitude antidesportiva

** Desclassificado por atitude antidesportiva

Classificação do cameponato:

29 Daniel Serra - 142
21 Thiago Camilo - 126
65  Max Wilson - 123
111 Rubens Barrichello - 120
51 Átila Abreu - 111
80 Marcos Gomes - 101
90 Ricardo Mauricio - 98
0  Cacá Bueno - 93
88 Felipe Fraga - 79
77 Valdeno Brito - 59
4 Julio Campos - 54
46 Vitor Genz - 53
25 Tuka Rocha - 53
10 Ricardo Zonta - 48
30 Cesar Ramos – 43
70 Diego Nunes - 43
117 Guilherme Salas - 42
18 Allam Khodair - 37
8 Rafael Suzuki - 37
28 Galid Osman - 36
83 Gabriel Casagrande - 35
12 Lucas Foresti - 34
110 Felipe Lapenna - 30
1 Antonio Pizzonia - 28
5 Denis Navarro - 24
3 Bia Figueiredo - 22
31 Marcio Campos - 21
44 Betinho Valério - 18
73 Sergio Jimenez - 14
9 Guga Lima - 14
188 Beto Monteiro - 9

Pane seca tira Guga Lima da disputa na penúltima volta

(Vanderley Soares)
(Vanderley Soares)

A pane seca também foi o vilã de vários pilotos, dentre eles a dupla da Hot Car Competições. Guga Lima também abandonou na penúltima volta, depois de uma grande corrida de recuperação, onde chegaria nos pontos. Sérgio Jimenez teve menos sorte ainda e ficou fora da disputa logo nas primeiras voltas.

O chefe de equipe Amadeu Rodrigues lamentou os problemas enfrentados pelo time e fará uma análise profunda para entender o ocorrido. A Hot Car mira agora a recuperação na sexta etapa do ano, no dia 23, em Curvelo (MG).

“Realmente, tivemos uma fatalidade muito grande nos dois carros. Todos os carros da categoria tiveram de ser desmontados ontem à noite. Os tanques de combustível passaram por uma análise, pra ver se tinha combustível dentro e foram montados novamente. Esse processo envolveu quatro bombas de combustível, mais uma bomba principal, mais espuma no tanque e partir deste momento os carros foram abastecidos e só poderiam sair para a corrida como aconteceu hoje”, comentou Rodrigues.

“Infelizmente, nesta operação, alguma bomba de combustível do carro do Jimenez parou de funcionar e nós perdemos a corrida nas primeiras voltas por falta de combustível”, explicou o chefe do time.

“Com relação ao Guga Lima, ele fez uma corrida muito boa, de recuperação, virou rápido e estava virando próximo dos ponteiros. Nós consultamos o piloto o tempo inteiro sobre o consumo de combustível, ele passou a informação correta e nós colocamos o combustível necessário, a quantidade que o computador estava indicando. Infelizmente, não só com a gente, mas com quase 10 carros, acabou o combustível nas últimas voltas”, disse.

“Não sei se o consumo de combustível foi maior ou se na montagem do tanque o pescador da bomba foi prejudicado e o carro deu falta com quatro, cinco litros no tanque. Eu acho que pode ser uma explicação possível, porque não é comum tantas equipes errarem no consumo ao mesmo tempo. O Thiago Camilo, que era líder do campeonato, ficou sem combustível nas últimas voltas também, na equipe do (Andreas) Mattheis que eu respeito e considero uma das melhores. Vamos avaliar. Foi dificílimo pra mim, estou super chateado, porque precisávamos dos pontos, do resultado, dar o retorno para o patrocinador, mas infelizmente desta vez a sorte não nos ajudou”, completou Rodrigues.

Falta de combustível barra escalada de Khodair

(Rodrigo Guimarães)
(Rodrigo Guimarães)

Depois de fazer uma corrida de recuperação cheia de ultrapassagens e entrar na briga pelo Top5 da Corrida do Milhão mesmo depois de largar da 18a colocação, Allam Khodair acabou não conseguindo terminar a prova mais badalada do campeonato por uma falta de combustível na última volta.

“Ainda temos que analisar o que houve, se tivemos algum problema no consumo ou no reabastecimento, mas o ficamos frustrados porque perdemos pontos muito importantes para o campeonato e estávamos focados em buscar um salto na tabela. Mas agora é levantar a cabeça e pensar em tudo o que podemos fazer para voltar a brigar por vitórias e, principalmente, largar na frente”, disse o Japonês Voador.

Blau Motorsport é a quarta melhor equipe da Corrida do Milhão

(Fernanda Freixosa)
(Fernanda Freixosa)

No box da Blau Motorsport também teve festa. E muita. O time recém-chegado à maior categoria do automobilismo brasileiro foi a quarta equipe que mais marcou pontos na prova mais badalada do campeonato. Foram 28 pontos no total, superando quadros multi campeões, como a Ipiranga Racing, de Andreas Mattheis, e a Full Time, de Maurício Ferreira.

“Este resultado marca o crescimento de todo o nosso time, coroa um trabalho de alto nível que estamos realizando tanto na sede da equipe quanto na pista. Estamos crescendo um pouco a cada prova. Não sofremos com quebras em nenhuma prova deste ano. Isso é um exercício de superação de todos aqui dentro, tanto dos mecânicos, quanto dos pilotos e corpo de engenheiros. Para nós, tivemos uma grande vitória hoje. Estamos orgulhosos”, disse Maurício Fontenete, chefe de equipe da Blau Motorsport.

Os pontos somados pelo Time Azul neste domingo vieram de uma grande corrida de recuperação dos pilotos Cesar Ramos, que largou em 22o e cruzou a linha em sétimo lugar, e Márcio Campos – que saiu de 27o para chegar em 13o.

“Foi uma corrida emocionante. Tenho que agradecer muito ao trabalho da equipe, aos engenheiros, aos mecânicos. Foi um trabalho de pitstop e contas de consumo de combustível perfeitas. Foi isso que nos levou para este Top10 tão importante. Um resultado marcante tanto para a minha carreira quanto para a história do time que está em seu primeiro ano”, disse Cesar Ramos, que jamais havia chegado tão longe na Corrida do Milhão.

Márcio Campos, que junto com a Blau Motorsport fez sua estreia na prova mais badalada do calendário, também comemorou o 13o lugar, o que ajudou a equipe a somar muitos pontos para o campeonato. “Foi uma grande corrida de ascensão, escalando o pelotão. O ritmo do nosso carro era excelente. E no final, enquanto víamos outros pilotos abandonarem por pane seca, pude ver o quanto a estratégia do time foi assertiva. Foi uma vitória de todos”, disse Campos 

Com os 28 pontos somados na Corrida do Milhão, a Blau Motorsport ocupa agora a 12a colocação do campeonato por equipes com 64 pontos somados, apenas 11 atrás da Vogel Motorsport, décima colocada.

Toque de adversário prejudica corrida de Diego Nunes em Curitiba

(Rafael Gagliano/Hyset)
(Rafael Gagliano/Hyset)

Diego Nunes não teve o final que esperaca em Curitiba. O piloto tinha como meta, brigar por pontos importantes no campeonato . Nas primeiras voltas o piloto do carro #70 da Hero Motorsport, foi atingido por outro piloto o que ocasionou quebras no carro. Nunes conseguiu continuar na pista, mas com carro avariado terminou na 14ª posição. 

" O Allam Khodair me acertou na segunda volta quebrou meu carro e eu só levei até o final da prova, faltou ainda combustível e parei na linha de chegada. Depois que sofri o toque, fui jogado pra longe, o carro já não era o mesmo, a performance não estava muito boa, danificou roda, capô e atrapalhou toda a corrida. Era para ter terminado em sétimo se não fosse o combustivel também, isso porque alguns adversários sofreram com pane seca, mas foi o que deu para fazer, vamos trabalhar para a próxima", explicou o piloto que tem o o apoio da Harald, Vigor, Petronas e Nutry.

VAVEL Logo