Lewis Hamilton domina, vence GP da Itália e assume a liderança da Fórmula 1

Lewis Hamilton teve um fim de semana dos sonhos em Monza. Após fazer a 69ª pole-position da carreira, superando Michael Schumacher e tornando-se o maior da história no quesito, o inglês venceu sem nenhum susto o Grande Prêmio da Itália, décima segunda etapa da Fórmula 1 em 2017 neste domingo (3). Além disso, ao ver Sebastian Vettel chegar em terceiro, assumiu a liderança do campeonato com o sexto triunfo no ano, abrindo três pontos de frente para o alemão na tabela.

E a Mercedes comemorou a terceira dobradinha na temporada, com o triunfo de Hamilton e o segundo lugar do finlandês Valtteri Bottas. Vettel, correndo diante da torcida da Ferrari, não conseguiu fazer os fãs comemorarem e, em terceiro, perdeu a ponta do campeonato. Atrás dele veio Daniel Ricciardo, grande destaque da prova. Com as punições pós-classificação, o australiano da Red Bull largou em 16º, mas fez uma corrida monumental e chegou em quarto. Kimi Räikkönen, com a outra Ferrari, foi o quinto.

Vettel foi o terceiro e perdeu a ponta do campeonato (Foto: Divulgação/Scuderia Ferrari)
Vettel foi o terceiro e perdeu a ponta do campeonato (Foto: Divulgação/Scuderia Ferrari)

As duas principais surpresas da classificação fizeram corridas seguras e vieram logo em seguida: Esteban Ocon, da Force India, foi o sexto, e Lance Stroll, da Williams, em sétimo. O brasileiro Felipe Massa, com a outra Williams, pressionou seu companheiro no final, mas acabou ficando com o oitavo lugar. Sergio Pérez foi o nono com a outra Force India, e Max Verstappen foi o décimo. O jovem da Red Bull fez uma ótima largada, mas acabou se chocando com Massa ao tentar uma ultrapassagem, teve um pneu furado e precisou se recuperar para fechar o grupo dos pontuáveis.

A corrida

A largada não teve grandes problemas, com Hamilton largando muito bem e mantendo a ponta. Ocon arriscou e conseguiu o segundo lugar, com Stroll fazendo uma largada segura e ficando em terceiro. Räikkönen tomou o quarto lugar de Bottas, com Vettel em sexto e Massa em sétimo. Verstappen largou muito bem e foi de 13º para oitavo, com Pérez em nono e Kevin Magnussen em décimo.

Bottas foi o segundo e garantiu a dobradinha da Mercedes (Foto: Clive Rose/Getty Images)
Bottas foi o segundo e garantiu a dobradinha da Mercedes (Foto: Clive Rose/Getty Images)

Logo Bottas partiu para o ataque e conseguiu ultrapassar Räikkönen e Stroll para assumir o terceiro lugar com três voltas. No começo do terceiro giro, o primeiro incidente da prova: ao tentar a ultrapassagem sobre Massa, Verstappen teve um furo no pneu dianteiro direito e caiu novamente para o fim do grid. O incidente foi investigado pela direção de prova e nenhum dos dois sofreu punição.

Mais na frente, Vettel seguiu o roteiro de Bottas e ultrapassou Räikkönen e Stroll, já assumindo o quarto lugar na sexta volta. Os dois seguiam com ritmo forte: enquanto o finlandês, com caminho livre, começou a fazer voltas mais rápidas, o alemão ultrapassou Ocon e assumiu o terceiro lugar, atrás apenas da Mercedes. Com dez voltas, o top ten era: Hamilton, Bottas, Vettel, Ocon, Stroll, Räikkönen, Massa, Pérez, Ricciardo e Daniil Kvyat.

Verstappen furou o pneu ao atacar Massa (Foto: Divulgação/F1)
Verstappen furou o pneu ao atacar Massa (Foto: Divulgação/F1)

A briga da prova a partir dali começou a ser entre Ocon, Stroll e Räikkönen, ambos colados um no outro disputando a quarta posição. Na volta 16, Räikkönen saiu da briga e foi o primeiro do pelotão inicial a ir aos boxes, colocando os pneus macios. Ocon foi aos boxes uma volta depois e seguiu a mesma tática. Mais atrás, a primeira punição do dia foi para Jolyon Palmer, que cortou a chicane ao tentar ultrapassar Fernando Alonso e tomou 5s a mais em seu tempo de prova.

Enquanto isso, Hamilton era o primeiro na pista a andar abaixo de 1min25s, marcando a volta mais rápida com 1min24s770, mais de quatro décimos melhor que seu companheiro e mais de um segundo melhor que as Ferraris. Em voltas seguidas (21 e 22) pararam as duas Williams, com Stroll antes de Massa e ambos colocando os pneus macios. Os três primeiros seguiam com um ótimo ritmo calçando os pneus supermacios, seguidos por Ricciardo, que largou do fim do grid com os pneus macios e era o quarto, com Pérez em quinto. Ocon era, em sexto, o primeiro dos que pararam, mas em uma bela disputa, foi ultrapassado por Räikkönen na volta 27. Pouco depois, o primeiro abandono da prova: Palmer teve problemas com sua Renault e deixou o GP.

Ricciardo, que largou de pneus macios, foi de 16º para quarto (Foto: Clive Rose/Getty Images)
Ricciardo, que largou de pneus macios, foi de 16º para quarto (Foto: Clive Rose/Getty Images)

Enfim na volta 32 parou Vettel, colocando os pneus macios e voltando atrás dos três que não haviam parado: Hamilton, Bottas e Ricciardo. No giro seguinte foi a vez do líder Hamilton, que sem sustos colocou o pneu macio em 2s5 e voltou em segundo, atrás de seu companheiro. Já na volta 34, Bottas parou e colocou os macios. Naquele instante, o único que não havia parado era Ricciardo, que já havia largado com os compostos macios. Logo depois, Stoffel Vandoorne foi o segundo a abandonar com a McLaren.

Com pneus novos, as duas Mercedes voavam na pista. Hamilton marcava tempos na casa de 1min23s9 e Bottas em 1min24s3, contra 1min25s de Vettel. Na volta 38, finalmente Ricciardo parou e colocou pneus supermacios novos, voltando na quinta posição. O australiano começou a voar com pneus melhores e logo ultrapassou Räikkönen, assumindo o quarto lugar.

Räikkönen foi ultrapassado por Ricciardo no fim e chegou em quinto (Foto: Clive Rose/Getty Images)
Räikkönen foi ultrapassado por Ricciardo no fim e chegou em quinto (Foto: Clive Rose/Getty Images)

Então Ricciardo passou a ser a grande ameaça a Vettel e ao campeonato, podendo aumentar a vantagem de Hamilton ao fim da prova. Em sete voltas, a diferença caiu de 15s5 para 7s0. A outra Red Bull, de Verstappen, ainda conseguiu salvar parte do prejuízo com o acidente inicial e entrou na zona de pontuação ao ultrapassar Magnussen. O jovem holandês empurrou o dinamarquês na chicane e o colocou fora da pista, gerando muitas reclamações do piloto da Haas. A direção de prova decidiu investigar o incidente, mas não tomou nenhuma atitude até o fim da corrida.

Os destaques no final foram as disputas entre Vettel e Ricciardo e entre Stroll, Massa e Pérez pelo sétimo lugar, mas em nenhum dos dois casos tivemos ultrapassagens. Ainda deu tempo para, na última volta, novamente Fernando Alonso abandonar com a McLaren, depois de mais uma prova reclamando do desempenho de seu carro.

Os três primeiros comemoraram no pódio com a apaixonada torcida italiana (Foto: Dan Istitene/Getty Images)
Os três primeiros comemoraram no pódio com a apaixonada torcida italiana (Foto: Dan Istitene/Getty Images)

Fim de corrida, Hamilton venceu e assumiu a ponta do campeonato. Bottas completou a dobradinha da Mercedes e Vettel cruzou em terceiro. Ricciardo, em uma prova sensacional, foi o quarto, com Räikkönen em quinto. Ocon, Stroll, Massa, Pérez e Verstappen fecharam o grupo dos dez primeiros e pontuáveis.

VAVEL Logo