Hamilton chega em nono no México e conquista quarto título na Fórmula 1

A Fórmula 1 viu a história ser escrita neste domingo (29). Depois de um ano de muitas disputas e emoções na briga pelo campeonato, foi coroado o mais novo tetracampeão mundial da categoria: Lewis Hamilton. O inglês, que precisava de um quinto lugar no Grande Prêmio do México para não depender de ninguém, chegou apenas em nono. Porém, com seu rival Sebastian Vettel cruzando em quarto, ele pôde comemorar seu quarto título com duas corridas para o fim da temporada.

O piloto da Mercedes sofreu um toque na largada do próprio Vettel, teve um pneu furado e caiu para último. Mesmo assim ele conseguiu se recuperar e chegar em nono, e como o rival da Ferrari cruzou em quarto – o alemão também precisou parar e trocar a asa dianteira – o título foi garantido, mesmo com a vantagem caindo para 56 pontos (ainda temos 50 em disputa). A comemoração foi intensa, com direito a mensagem no rádio de Neymar e corrida para os boxes no meio do público que invadiu a pista de Hermanos Rodríguez.

Com a bandeira do Reino Unido, ele comemorou bastante o tetra (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Com a bandeira do Reino Unido, ele comemorou bastante o tetra (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

No entrevero da largada, Max Verstappen assumiu a ponta e não largou mais, conquistando sua segunda vitória do ano. O holandês da Red Bull foi acompanhado no pódio pela dupla finlandesa: Valtteri Bottas da Mercedes e Kimi Räikkönen da Ferrari. Depois de Vettel veio o francês Esteban Ocon com a Force India em quinto, igualando sua melhor marca na temporada, e o canadense Lance Stroll em sexto com a Williams. Sergio Pérez, correndo em sua casa, foi o sétimo com a outra Force India, e o dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, foi o oitavo. Hamilton veio logo atrás e o espanhol Fernando Alonso, da McLaren, fechou o grupo dos dez primeiros e pontuáveis. O brasileiro Felipe Massa, que teve um pneu de sua Williams furado no começo, cruzou em 11º.

Em meio à comemoração do título, Verstappen ganhou a prova (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Em meio à comemoração do título, Verstappen ganhou a prova (Foto: Clive Mason/Getty Images)

A corrida

Na largada, Verstappen atacou com força na primeira curva, tocou-se com Vettel e assumiu a ponta em uma grande manobra. Hamilton, tentando se aproveitar, também foi para cima de Vettel e conseguiu a ultrapassagem para assumir o segundo lugar. Ao tentar retomar a posição, o alemão da Ferrari tocou na traseira do inglês da Mercedes, no incidente que mudou a cara da corrida: o primeiro perdeu uma parte da asa dianteira e o segundo teve o pneu traseiro direito furado. Ambos precisaram ir aos boxes, com Vettel voltando em 18º e Hamilton em 20º e último (os dois colocaram pneus macios na parada).

Mais atrás, Carlos Sainz também teve problemas com sua Renault e precisou fazer uma parada prematura, assim como Massa – pneu furado e troca para os macios – e Daniel Ricciardo, que abandonou (segundo abandono prematuro em sequência do australiano da Red Bull). Com isso, após cinco voltas, Verstappen disparava na liderança seguido por Bottas e Ocon. Hülkenberg, Pérez, Räikkönen, Stroll, Magnussen, Marcus Ericsson e Stoffel Vandoorne fechavam os dez primeiros e pontuáveis.

Vettel tocou em Hamilton na largada e mudou a história da corrida (Foto: Divulgação/F1)
Vettel tocou em Hamilton na largada e mudou a história da corrida (Foto: Divulgação/F1)

Verstappen logo começou a fazer voltas mais rápidas e abriu 4s de vantagem nas dez primeiras voltas. A direção de prova, que decidiu não investigar o incidente da largada, aplicou a primeira punição do dia na volta 15: Romain Grosjean, da Haas, era o 13º quando tomou 5s a mais no seu tempo de corrida por sair da pista e levar vantagem do lado de fora em uma curva.

Enquanto o grupo dos dez primeiros seguia inalterado, mais atrás Vettel vinha abrindo caminho e já era o 13º com 17 voltas, enquanto Hamilton ainda era o 19º (ultrapassou apenas Ricciardo, que abandonou) e chegou a receber uma bandeira azul para sofrer uma volta do líder Verstappen. Na volta 19, uma cena chamou a atenção durante a prova: o público inteiro no autódromo, de pé e com os punhos cerrados, homenageou as vítimas do forte terremoto que atingiu a Cidade do México no último dia 19 de setembro.

O público fez uma homenagem às vítimas do terremoto no México (Foto: Divulgação/Sky Sports F1)
O público fez uma homenagem às vítimas do terremoto no México (Foto: Divulgação/Sky Sports F1)

As duas Force Indias pararam e colocaram pneus macios com Pérez indo aos boxes na 20ª volta e Ocon logo depois. Seis giros depois, Hülkenberg, que vinha fazendo uma boa prova entre os primeiros, abandonou. Com isso Vettel entrou de vez na zona de pontuação em 10º, enquanto Hamilton tomava volta de seu companheiro Bottas, que era o segundo colocado.

O inglês logo começou a recuperar o ritmo perdido e ultrapassou Sainz e Pascal Wehrlein em duas voltas para assumir o 16º lugar. Na volta 32, o terceiro abandono: o motor da Toro Rosso de Brandon Hartley estourou e o neozelandês deixou a corrida, com o safety-car virtual sendo acionado. Enquanto isso, vários pilotos foram aos boxes, incluindo os líderes Verstappen e Bottas. Hamilton e Vettel também decidiram parar: o primeiro colocou pneus macios e voltou no mesmo 16º lugar, enquanto o segundo colocou os ultramacios e retornou à pista em oitavo.

Vettel lutou o quanto pôde, mas acabou vendo a taça ir embora (Foto: Clive Rose/Getty Images)
Vettel lutou o quanto pôde, mas acabou vendo a taça ir embora (Foto: Clive Rose/Getty Images)

Após as paradas, a única ultrapassagem foi a de Vettel sobre Magnussen pelo sétimo lugar. Verstappen seguia liderando e chegou a abrir 13s de vantagem sobre Bottas, com Räikkönen, Ocon e Stroll logo atrás. O grupo dos pontuáveis era fechado por Pérez, Vettel, Magnussen, Alonso e Massa. Logo depois, Ocon conseguiu a ultrapassagem sobre Stroll e tomou a quarta posição.

Com os ultramacios, Vettel imprimia um grande ritmo. Ele ultrapassou Pérez sem dificuldades pela sexta posição – o mexicano logo depois parou e colocou os pneus ultramacios na volta 52 – e depois fez o mesmo sobre Stroll. Lá atrás, Hamilton ganhou algumas posições com os supermacios e assumiu o 10º lugar com uma ultrapassagem sobre Massa na volta 57. Instantes depois, Vettel ultrapassou Ocon e já aparecia em quarto.

Alonso e Hamilton travaram uma belíssima briga no fim (Foto: Divulgação/F1)
Alonso e Hamilton travaram uma belíssima briga no fim (Foto: Divulgação/F1)

Hamilton logo chegou em Alonso e Magnussen (caso ultrapassasse os dois e pulasse para oitavo, Vettel teria que ganhar a prova). O inglês colou no espanhol e os dois chegaram a dividir curva por dois momentos na volta 66, mas o piloto da McLaren manteve-se à frente do rival da Mercedes. Dois giros depois, Hamilton tentou de novo, os dois passaram meia volta se tocando e dividindo espaço, e o inglês enfim conseguiu a ultrapassagem que a três voltas do final selou o título, para vibração da torcida e da Mercedes nos boxes.

Fim de prova, segunda vitória de Max Verstappen na temporada, com Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen no pódio. Sebastian Vettel se esforçou como pôde mas não conseguiu sair do quarto lugar, enquanto Esteban Ocon foi quinto. Lance Stroll foi o sexto, Sergio Pérez o sétimo e Kevin Magnussen o oitavo. Lewis Hamilton, o mais novo tetracampeão mundial de Fórmula 1, cruzou em nono, com Fernando Alonso fechando o grupo dos pontuáveis. Felipe Massa chegou logo atrás, em 11º.

Chorando no rádio, o inglês agradeceu a toda a equipe e quebrou os protocolos, dando “zerinhos” na pista e desfilando com a bandeira do Reino Unido. Ele chegou a receber uma mensagem via rádio do amigo pessoal Neymar e, com o público invadindo a pista, desceu do carro e correu até os boxes para celebrar sua conquista.

Hamilton celebrou bastante diante dos fãs (Foto: Clive Rose/Getty Images)
Hamilton celebrou bastante diante dos fãs (Foto: Clive Rose/Getty Images)
VAVEL Logo