Hamilton voa, quebra recorde da pista e marca pole para o GP da Austrália de Fórmula 1

A primeira classificação da Fórmula 1 na temporada 2018 parecia que ia ter um resultado diferente dos últimos anos. Mas no fim, nada mudou. Com uma volta espetacular, Lewis Hamilton quebrou o recorde da pista de Melbourne vai começar o ano com a pole-position no Grande Prêmio da Austrália – a 73ª da carreira do inglês e sétima em Albert Park. O piloto da Mercedes viu os rivais se aproximarem durante o treino, mas com o cronômetro zerado marcou incríveis 1min21s164 e larga em primeiro.

A Ferrari colocou seus dois pilotos logo atrás, com o finlandês Kimi Räikkönen em segundo e o alemão Sebastian Vettel em terceiro. O que impressionou foi a distância: ambos ficaram a mais de 0s6 da Mercedes de Hamilton. Em seguida vieram os dois da Red Bull, com o holandês Max Verstappen em quarto e o australiano Daniel Ricciardo em quinto. Porém, o dono da casa foi punido por excesso de velocidade em bandeiras vermelhas durante um dos treinos livres e perdeu três posições no grid. Com isso, ele larga apenas em oitavo.

Räikkönen fecha a primeira fila, mas muito atrás do tempo de Hamilton (Foto: Divulgação/Scuderia Ferrari)
Räikkönen fecha a primeira fila, mas muito atrás do tempo de Hamilton (Foto: Divulgação/Scuderia Ferrari)

Assim, a dupla da Haas, que prometia muito após os testes de inverno, fez valer as expectativas e ficou com a terceira fila. O dinamarquês Kevin Magnussen larga em quinto, e o francês Romain Grosjean parte em sexto. Outra equipe que veio com boas esperanças foi a Renault, que colocou o alemão Nico Hülkenberg em sétimo e o espanhol Carlos Sainz Jr em nono. Quem fecha o top-ten é Valtteri Bottas: pressionado após um 2017 abaixo das expectativas, o finlandês precisava de um bom resultado com a segunda Mercedes, mas bateu no começo do Q3 e não conseguiu marcar tempo na parte final do treino.

O GP da Austrália será neste domingo (25), às 2h10 da manhã pelo horário de Brasília.

Verstappen vem logo atrás das duas Ferraris, em quarto (Foto: Divulgação/Red Bull Racing)
Verstappen vem logo atrás das duas Ferraris, em quarto (Foto: Divulgação/Red Bull Racing)

Com quatro “novatos” eliminados, Hamilton lidera Q1

Com Nico Hülkenberg sendo o primeiro a ir à pista no ano, a primeira parte da classificação começou já sem chuva e com céu parcialmente azul em Albert Park. O alemão marcou o primeiro tempo da temporada em classificações: 1min25s348, logo superado por Romain Grosjean e por Carlos Sainz Jr. A alternância na liderança acabou com a chegada das principais equipes. Kimi Räikkönen tomou a frente com 1min23s616, seguido pela dupla da Mercedes: Valtteri Bottas em segundo e Lewis Hamilton em terceiro. Sebastian Vettel, pouco mais de 0s3 atrás, era o quarto.

Com Magnussen em quinto e Grosjean (foto) em sexto, a Haas surpreendeu (Foto: Divulgação/Haas F1 Team)
Com Magnussen em quinto e Grosjean (foto) em sexto, a Haas surpreendeu (Foto: Divulgação/Haas F1 Team)

Räikkönen pouco depois melhorou ainda mais a marca, fazendo 1min23s096. Hamilton tomou a segunda posição e a dupla da Red Bull se enfiou no meio da briga, com Max Verstappen em terceiro e Daniel Ricciardo em quarto. Com metade da sessão completada, os dez primeiros eram Räikkönen, Hamilton, Verstappen, Ricciardo, Bottas, Vettel, Fernando Alonso (McLaren), Sainz, Stoffel Vandoorne (McLaren) e Hülkenberg. Os eliminados até então eram Pierre Gasly com a Toro Rosso, Lance Stroll com a Williams, Brendon Hartley na segunda Toro Rosso, e a dupla da SauberMarcus Ericsson e Charles Leclerc.

Com 5min para o fim, Hamilton – na sexta volta do pneu ultramacio – fez 1min22s824 e retomou a liderança da classificação. Faltando 3min, os pilotos que estavam ameaçados por eliminação começaram a fazer suas voltas decisivas do Q1. Hülkenberg, Grosjean, Magnussen, Stroll, Vandoorne e a dupla da Force India (Sergio Pérez e Esteban Ocon) foram alguns que conseguiram se livrar do perigo da eliminação e melhoraram seus tempos. Já Hartley, Ericsson, Leclerc, Sergey Sirotkin (Williams) e Gasly acabaram sendo eliminados – quatro dos cinco são novatos em temporadas completas, fazendo suas primeiras épocas inteiras na F1.

Em sua primeira classificação na F1, Sirotkin ficou em 19º e penúltimo (Foto: Divulgação/Williams Racing)
Em sua primeira classificação na F1, Sirotkin ficou em 19º e penúltimo (Foto: Divulgação/Williams Racing)

Eliminados no Q1: Brendon Hartley (16º, Toro Rosso), Marcus Ericsson (17º, Sauber), Charles Leclerc (18º, Sauber), Sergey Sirotkin (19º, Williams) e Pierre Gasly (20º, Toro Rosso)

Vettel vira abaixo de 1min22 e lidera Q2; McLarens e Force Indias são eliminadas

O Q2 começou com Verstappen marcando o primeiro tempo: 1min22s830. Logo Räikkönen o superou, com pouco mais de três décimos de frente. A brincadeira acabou com a chegada de Hamilton, que marcou 1min22s051 e disparou na liderança. Bottas aparecia em quarto, seguido por Ricciardo e Verstappen. Os dois da Red Bull foram os únicos que fizeram seus tempos com pneus supermacios, tentando uma estratégia diferente para largar na corrida com pneus menos aderentes, mas sensivelmente mais resistentes (os pilotos devem iniciar a prova com os compostos usados nos melhores tempos do Q2).

Com as seis primeiras posições praticamente definidas sem grandes sustos, a disputa seria pelas outras quatro vagas no Q3. Alonso – com quase 0s8 de desvantagem para Ricciardo, o sexto – fez o sétimo tempo logo de cara, seguido por Sainz, Magnussen e Vandoorne. Com metade da segunda parte esses eram os dez primeiros, e os eliminados eram Stroll, Grosjean, Pérez, Hülkenberg e Ocon, este último ainda sem tempo.

Outra boa surpresa foi Hülkenberg, que larga em sétimo com a Renault (Foto: Robert Cianflone/Getty Images)
Outra boa surpresa foi Hülkenberg, que larga em sétimo com a Renault (Foto: Robert Cianflone/Getty Images)

Os pilotos fizeram a habitual pausa nos boxes e, com o relógio batendo os 3min para o fim, voltaram para as suas últimas tentativas. Inicialmente eliminado, Grosjean se recuperou e pulou para sétimo, sendo logo ultrapassado por Magnussen, e Hülkenberg foi para o nono lugar. Com o cronômetro estourado, Sainz foi para a sétima posição, tirando as McLarens de Alonso e Vandoorne e as Force Indias de Pérez e Ocon da disputa. Ainda deu tempo de mudança importante na frente: Vettel foi para a pista e fez 1min21s944, assumindo a liderança, enquanto Verstappen pulou para o quarto lugar.

Eliminados no Q2: Fernando Alonso (11º, McLaren), Stoffel Vandoorne (12º, McLaren), Sergio Pérez (13º, Force India), Lance Stroll (14º, Williams) e Esteban Ocon (15º, Force India)

Alonso chegou ao Q2 e larga na 11ª posição, ao lado do companheiro Vandoorne (Foto: Divulgação/McLaren F1)
Alonso chegou ao Q2 e larga na 11ª posição, ao lado do companheiro Vandoorne (Foto: Divulgação/McLaren F1)

Hamilton voa com cronômetro zerado e quebra recorde para fazer a pole

A última parte da classificação, que prometia muito, perdeu um bom concorrente logo de cara. No início de sua primeira volta, Valtteri Bottas pisou na grama na saída da curva 1, perdeu a traseira de sua Mercedes e bateu forte, no primeiro acidente de 2018. O finlandês saiu bem do carro destruído, mas teve que abandonar a disputa e forçou a interrupção da sessão com bandeira vermelha. O prejuízo ainda pode ser maior, pois o incidente pode exigir troca de peças importantes como o câmbio, o que traria uma punição em forma de perda de posições.

Depois de 9min, o Q3 enfim foi reiniciado. Hamilton começou fazendo 1min22s051. Vettel fez os dois melhores primeiros setores em seu tempo, mas perdeu na parte final e ficou com 1min22s085. Verstappen fez a terceira marca, seguido por Räikkönen e Ricciardo – os cinco primeiros eram separados por apenas 0s3. Os pilotos voltaram para os boxes com 5min para o fim e apenas esses cinco marcando tempo. Sainz, Magnussen, Grosjean e Hülkenberg não haviam feito voltas até então.

Bottas bateu forte e causou bandeira vermelha no Q3 (Foto: Divulgação/Formula 1)
Bottas bateu forte e causou bandeira vermelha no Q3 (Foto: Divulgação/Formula 1)

Com 3min para o fim da classificação, todos os nove ainda na disputa saíram para suas chances derradeiras. E Hamilton não decepcionou: tirou tudo que a Mercedes tinha guardado e anotou um assombroso 1min21s164, recorde da pista e pole-position de 2018. O tempo foi tão bom que o segundo colocado Räikkönen ficou a enormes 0s664 de distância do líder. Vettel ficou em terceiro pouco mais de um centésimo atrás, seguido por Verstappen e Ricciardo. Magnussen, Grosjean, Hülkenberg, Sainz e Bottas fecharam a classificação. Porém, com a punição de Ricciardo (vai perder três posições por excesso de velocidade sob bandeira vermelha em um treino livre), Magnussen larga em quinto, Grosjean em sexto e Hülkenberg em sétimo – o australiano cai para oitavo.

O grid de largada para o Grande Prêmio da Austrália de 2018 da Fórmula 1:

POS. # PILOTO PAÍS EQUIPE TEMPO
44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1min21s164
7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +0s664
5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +0s674
33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL +0s715
20 KEVIN MAGNUSSEN DIN HAAS +2s023
8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS +2s175
27 NICO HÜLKENBERG ALE RENAULT +2s368
3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL +0s988 (+3 POS.)
55 CARLOS SAINZ JR ESP RENAULT +2s413
10º 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES SEM TEMPO (Q3)
11º 14 FERNANDO ALONSO ESP MCLAREN 1min23s962 (Q2)
12º 2 STOFFEL VANDOORNE BÉL MCLAREN 1min23s853 (Q2)
13º 11 SERGIO PÉREZ MÉX FORCE INDIA 1min24s005 (Q2)
14º 18 LANCE STROLL CAN WILLIAMS 1min24s230 (Q2)
15º 31 ESTEBAN OCON FRA FORCE INDIA 1min24s786 (Q2)
16º 28 BRENDON HARTLEY NZL TORO ROSSO 1min24s532 (Q1)
17º 9 MARCUS ERICSSON SUÉ SAUBER 1min24s556 (Q1)
18º 16 CHARLES LECLERC MÔN SAUBER 1min24s636 (Q1)
19º 35 SERGEY SIROTKIN RÚS WILLIAMS 1min24s922 (Q1)
20º 10 PIERRE GASLY FRA TORO ROSSO 1min25s295 (Q1)

Hamilton (centro), Räikkonen (dir.) e Vettel (esq.): os três primeiros no grid da Austrália (Foto: Mark Sutton/Sutton Images via Formula 1)
Hamilton (centro), Räikkonen (dir.) e Vettel (esq.): os três primeiros no grid da Austrália (Foto: Mark Sutton/Sutton Images via Formula 1)
VAVEL Logo