Vitória de Fernando Alonso no Mundial de Endurance ocorreu, pós acordo entre pilotos

Diretor técnico da Toyota Pascal Vasselon confirma, que pilotos só poderiam "lutar" por vitória antes do último pit-stop

Vitória de Fernando Alonso no Mundial de Endurance ocorreu, pós acordo entre pilotos
(Foto: Toyota)

A vitória da Toyota na abertura do Mundial de Endurance neste sábado, 05, em SPA-Francorchamps, foi cheia de controvérsias. O primeiro lugar conquistado pelo TS050, no qual participou Fernando Alonso, foi questionada por todos que acompanharam a prova.

Com um carro visivelmente mais rápido Mike Conway teve que tirar o pé para que o espanhol garantisse o primeiro lugar.  O que não passava de uma suposição, foi confirmado pelo diretor técnico da marca, Pascal Vassselon ao site Motorsports.com

“O acordo era que os carros poderiam correr até o último pitstop e na verdade os dois carros se juntaram no último pitstop”, disse Vasselon. “Dissemos aos pilotos que eles poderiam correr apenas até o último pitstop porque não queríamos ter as últimas voltas com muita tensão.”

Mike Conway que encerrou a prova no #7, dividiu a condução com Kamui Kobayashi e José Maria Lopez. Os dois LMP chegaram ao final da prova com uma diferença de 1,4 segundos. Marcando a pole, o #7 foi desclassificado por erros no medidor de fluxo de combustível.

A diferença entre os dois carros era de 55 segundos, faltando uma hora para o término da prova. Com a entrada do carro de segurança o tempo caiu para cinco segundos.  

“Isso não mudou nada, porque sempre foi o plano para congelar as posições”, disse Vasselon, que admitiu que o segundo colocado, TS050, foi o mais rápido dos dois Toyotas durante a corrida.

“Os tempos por volta mostram que o carro # 7 foi ligeiramente mais rápido, em apenas um ou dois décimos, mas a diferença caiu basicamente por causa do safety car”, acrescentou.