Análise: a batalha entre Bottas e Ocon por uma vaga na Mercedes
Foto: Divulgação / F1

Análise: a batalha entre Bottas e Ocon por uma vaga na Mercedes

Toto Wolff e diretoria da equipe têm grande decisão para fazer até  o fim da temporada; detalhamos os pontos fracos e fortes dos dois pilotos

matheus-gabriel
Matheus Gabriel

Não é de hoje que Ocon tem olhos na vaga de Bottas na Mercedes. O francês se tornou o piloto reserva da equipe em novembro do ano passado, durante o último final de semana de corrida na temporada, quando ainda estava na Racing Point. Até aqui, em quase todas a corridas, a geração de imagem da F1 sempre mostra o jovem piloto nos boxes, de olho nos tempos de Bottas.

Comparamos aqui os pontos fortes dos dois pilotos para que você, caso fosse Toto Wolff, decida quem merece a vaga.

Velocidade nas qualificações
 

Valtteri Bottas — Nas últimas duas corridas, Alemanha e Hungria, Bottas teve desempenhos abaixo do esperado, não terminando o GP Alemão e ficando apenas na oitava colocação em Hungaroring. Apesar disso, seus tempos nos treinos qualificatórios são bons, estando empatado com Hamilton. O placar na comparação é de 6 a 6, ou seja, Bottas terminou seis vezes com melhor tempo em qualificações do que Hamilton, que é o melhor no quesito, já que tem o recorde de poles.

Esteban Ocon — Sempre se mostrou muito rápido, mas teve dificuldades em seu primeiro ano na F1. Ele estreou na Manor, em 2016, quando substituiu Haryanto, disputando metade de temporada, com 9 corridas. Acabou perdendo na comparação com seu companheiro de equipe naquele ano, Pascal Wehrlein. Também acabou ficando atrás de seu segundo companheiro de equipe, Sergio Pérez, em 2017, quando trocou a Manor pela Force India. Porém, após a metade da temporada, estabeleceu uma boa margem à frente de Pérez. Sua grande demonstração de velocidade foi em Mônaco, quando qualificou sua Force India em sexto.

Velocidade nas corridas

Valtteri Bottas — O recorrente problema do finlandês com o gerenciamento de pneus segura o finlandês e faz com que não lute tanto pelas vitórias como esperado.  Essa sua fraqueza apareceu nas corridas do Bahrain, Espanha e Inglaterra.

Esteban Ocon — O francês teve muito a aprender com Sergio Pérez no quesito gerenciamento de pneus, já que o mexicano é considerado um mestre nesta arte. Ocon conseguiu manter um bom ritmo de corrida em seus dois anos e meio de Formula 1, e levando em conta sua idade, ele ainda tem muito o que aprender e aperfeiçoar nesta área.

Experiência

Valtteri Bottas — Já são 6 anos e meio correndo na F1 para o piloto de 29 anos. Já são 2 anos e meio trabalhando com a Mercedes, então é justo dizer que ele sabe como a casa funciona.

Esteban Ocon — O tempo que o finlandês tem de Mercedes, Ocon tem de carreira na F1: dois anos e meio. O fato de não trabalhar com o carro em si semana sim semana não joga contra o francês neste quesito.

Prudência

Valtteri Bottas — Desde a Williams o finlandês tem se envolvido em muitos incidentes de corrida, principalmente nas primeiras curvas dos GPs. Mais recentemente, Bottas tentou ser agressivo na largada do GP da Hungria, e acabou se chocando com Leclerc, perdendo uma parte da asa dianteira e comprometendo sua corrida. Além disso, ele também tem mostrado dificuldade quando está atrás de carros mais lentos, demorando uma quantidade significativa de tempo para fazer a ultrapassagem.

Esteban Ocon — Em seus dois anos de F1, o francês teve muitas batalhas pelo grid, mas sem muitos incidentes. Talvez o mais famoso seja o choque com Verstappen, no GP do Brasil em 2018, tirando a vitória do holandês. Ele também teve um número consideravelmente alto de incidentes com Pérez, seu companheiro de equipe, mas também mostrou maturidade em alguns momentos, como na Bélgica em 2018, quando tinha a oportunidade de tomar a liderança nas primeiras curvas, mas foi prudente e manteve a posição.

Trabalho em equipe

Valtteri Bottas — A Mercedes sempre deixou bem claro o quão querido Bottas é. Seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, classificou a parceria como "a parceria mais respeitosa que já existiu na Formula 1". Ele entende seu papel na equipe e não gera polêmicas com Hamilton. Do ponto de vista da equipe isso é perfeito.

Esteban Ocon — Seu trabalho nos simuladores na Mercedes jogam a favor, ajudando a equipe a desenvolver estratégias, provando que ele consegue trabalhar bem em equipe. Porém, sendo o jovem que é, suas ambições são altas, e ele provavelmente iria querer lutar pelo campeonato com Hamilton, o que pode colocar em risco a harmonia da equipe.

De fato, Toto Wolff e seu staff terão uma decisão difícil pela frente. Mas e se você fosse o chefe da Mercedes, quem escolheria? Deixe sua escolha nos comentários!

VAVEL Logo