Dupla punição troca Leclerc de P6 para P7 em Suzuka
Foto: Reprodução/Ferrari

O fim de semana do GP do Japão para Charles Leclerc foi em decadência após a bandeira quadriculada em Suzuka. Os comissários optaram por punir o monegasco não apenas uma, mas duas vezes pós-corrida, tirando-o da sexta para a sétima posição.

Logo no início, o monegasco avançou em ritmo fraco, perdendo um lugar para o veloz Valtteri Bottas, assim foi para terceiro e depois ficou bico a bico com a Red Bull de Max Verstappen na curva 2. E o contato aconteceu.

Verstappen ficou furioso com Leclerc, adjetivando a condução de seu rival da Ferrari como "irresponsável". A princípio, os comissários consideraram um incidente de prova, mas depois abriram uma investigação após a corrida. Eles consideraram que Leclerc era "predominantemente' culpado pelo toque e deram ao ferrarista uma penalidade de cinco segundos, bem como dois pontos de penalidade em sua pontuação.

"O carro 33 [Verstappen], que estava parcialmente na frente, permaneceu largo e permitiu espaço suficiente para o interior, mas o carro 16 [Leclerc] perdeu a aderência frontal na esteira do carro na frente e subitamente subiu em direção ao lado de fora da pista, entrando em contato com o carro 33 e forçando-o a sair da pista. Enquanto a perda de aderência frontal no carro 16 [Leclerc] causou o contato e não foi intencional, essa perda de aderência próxima ao carro da frente deveria ter sido antecipada e permitida pelo carro 16", diz o comunicado dos comissários.

+ Por incidente na curva 2, Verstappen chama Leclerc de irresponsável no GP do Japão

Ainda teve mais

Esse não foi o fim monegasco. Os comissários também investigaram Leclerc e Ferrari por dirigir um carro "em condições inseguras" após a colisão. Com danos na asa dianteira, o piloto seguiu na pista. Um pequeno pedaço se soltando na segunda volta e depois um pedaço maior quebrando e atingindo a Mercedes de Lewis Hamilton causaram um nova punição.

"Esse pedaço de asa evitou por pouco um impacto na área do cockpit do carro 44 [Hamilton] e destruiu o espelho do lado direito do carro 44. Depois que essa segunda peça foi solta, a equipe sentiu que o carro estava agora em condições seguras e, apesar de ter dito anteriormente ao Diretor de Corrida que o carro seria chamado para os boxes, eles disseram ao carro 16 [Leclerc] para ficar de fora e não parar.

Na terceira volta, o Diretor de Corrida chamou a equipe e ordenou que o carro fosse levado aos boxes para inspeção. Carro 16 com caroço no final da volta 3.

Ao não trazer o carro 16 para os boxes no final da primeira volta, imediatamente após o incidente para uma inspeção de segurança quando houve danos claramente visíveis e depois pedir ao motorista que permaneça fora por mais uma volta depois de informar o Diretor de Corrida. A equipe criou uma condição insegura no circuito, que por pouco evitou ser um incidente grave e também aumentou a probabilidade de incidentes adicionais depois do observado", divulga o comunicado da equipe de comissários.

Como resultado geral, Leclerc recebeu mais uma penalidade de 10 segundos, enquanto a Ferrari foi multada em 25 mil euros. A penalidade combinada fez o monegasco cair da sexto para a sétima posição, dando um a Daniel Ricciardo, da Renault.

Confira o incidente entre Max e Charles:

VAVEL Logo