Da Costa
revela segredos da pista para o E-Prix do México
Foto: Fórmula E

O traçado que será usado pelo Fórmula E para a quarta rodada da temporada 2019/20, o E-Prix da Cidade do México, é muito diferente do que os pilotos estavam acostumados nos anos anteriores nesse mesmo cenário.

Como a Fórmula E deste ano tem um grid de 24 lugares nesta temporada, o regulamento indica que cada circuito precisa de uma extensão de pelo menos 2.400 metros, o que levou a mudanças na pista mexicana.

“Eu acho que é um circuito que, com essas mudanças, teremos que economizar muito mais energia. Terá que ser muito mais uma corrida gerencial e é por isso que focamos muito nisso em todo o trabalho do simulador em casa com a equipe e com os engenheiros”, disse Antonio Felix da Costa, que foi segundo colocado na etapa disputada no mês passado em Santiago, Chile.

“Temos alguns pontos de ultrapassagem, mais do que no ano passado. Temos na curva 1, é claro. Agora também temos na curva 5 e na 9, que acho que será a melhor para ultrapassar”, acrescentou o piloto da DS Techeetah.

“O Foro Sol [parte do estádio] é sempre incrível, com muitos fãs por lá. Acredito que seja uma das melhores áreas de toda a temporada. E a última curva [Peraltada] será realmente muito complicada, porque é muito rápida, contínua e será muito fechada”, concluiu o piloto português.

O E-Prix da Cidade do México será realizado neste sábado (15) com largada programada para às 19h (Horário de Brasília), com transmissão exclusiva do canal Fox Sports 2.

VAVEL Logo