Único piloto preto da F1, Lewis Hamilton aponta silêncio de companheiros de profissão
Foto: Reprodução / Arquivo Lewis Hamilton

O assassinato de George Floyd ganha episódios importantes. Além dos protestos do povo preto contra o racismo estrutural nos Estados Unidos, celebridades esportivas entram na luta pelo direitos iguais. Jogadores da Bundesliga se manisfestarem ao marcar gols no fim de semana. Lewis Hamilton, piloto britânico de Fórmula 1, também não ficou calado e desabafou em suas redes sociais apontando o silêncio de outros companheiros de profissão.

"Eu vejo aqueles que estão quietos agora. No momento em que vocês deveriam se manifestar por serem personalidades, vocês ficam quietos. Ninguém no meu esporte está falando. Claro que este [Fórmula 1] é um esporte dominado por brancos. Eu sou o único negro no meu esporte e, mais uma vez, sinto que estou sozinho. Eu pensei que vocês [pilotos] poderiam ver o que está acontecendo para dizerem alguma coisa, mas vocês não conseguem se aproximar de nós (negros). Porém, saibam que sei quem vocês são e eu me importo com vocês."

A nota de Hamilton jogou um clima tenso dentro dos envolvidos na F1. Então, depois da cobrança, alguns pilotos da categoria demonstraram apoio à causa nas redes sociais. Piloto da Ferrari, o monegasco Charles Leclerc se desculpou pela demora:

"Para ser completamente honesto, me sinto deslocado e desconfortável em compartilhar meus pensamentos nas mídias sociais sobre toda esta situação e é por isso que não me expresso mais cedo. Mas eu estava completamente errado."

Outro piloto que apareceu depois da cobrança de Lewis foi o australiano Daniel Ricciardo, que hoje está na Renault mas que fará parte da McLaren a partir do ano que vem:

"Ver as notícias dos últimos dias me deixou triste, o que aconteceu com George Floyd e o que continua a acontecer na sociedade atual é uma vergonha. Agora, mais do que nunca, precisamos ficar juntos, unidos juntos. O racismo é tóxico e precisa ser enfrentado não com violência ou silêncio, mas com unidade e ação. Precisamos ficar de pé, precisamos ser um 'NÓS'. Vamos ser pessoas melhores. Estamos em 2020. As vidas negras importam

O caso de George Floyd foi o estopim para manifestantes contra o racismo e contra a impunidade de policiais assassinos tomarem as ruas estadunidenses. Até o momento, mais de 4 mil pessoas foram presas em seis dias de protestos seguidos nos Estados Unidos.

VAVEL Logo