Novidades para sétima temporada da Fórmula E: Bird na Jaguar, Cassidy na Virgin
Foto: Fórmula E

Prestes a retomar a sexta temporada após a paralisação do campeonato por causa da pandemia de Covid-19, a Fórmula E deve ter novidades nos próximos dias sobre o próximo ano, incluindo algumas mudanças importantes no grid.

De acordo com o site britânico The Race, Sam Bird pode deixar a DS Virgin Racing após o término da atual temporada e ir para a Panasonic Jaguar Racing. Essa possibilidade já havia sido cogitada quando a Jaguar ingressou na categoria de carros elétricos na quarta temporada, mas as negociações entre as duas partes não avançaram e a equipe britânica optou pelo brasileiro Nelsinho Piquet.

Agora, de acordo com o The Race, as negociações avançaram e Sam Bird deve deixar a Virgin, equipe pela qual correu todos os eprix da história da Fórmula E, para assumir um dos cockpits da Panasonic Jaguar Racing e formar dupla com o neozelandês Mitch Evans.

Apesar de ambas as equipes não confirmarem a negociação, o acordo deve ser anunciado nos próximos dias, e com isso, o britânico James Calado assumiria o posto de piloto reserva dentro do time, logo após encerrar sua participação na sexta temporada da Fórmula E.

Com a ida de Bird para a Panasonic Jaguar Racing, o lugar dele na Envision Virgin Racing deverá ser ocupado por Nick Cassidy. O neozelandês de 25 anos já faz parte do time britânico, atualmente como piloto de testes, e chegou a ser cogitado para assumir o lugar deixado por Pascal Wehrlein na Mahindra Racing recentemente. É provável que não tenha aceitado a vaga justamente por causa da possibilidade de substituir Bird.

Cassidy disputou as duas primeiras etapas do desafio virtual da Fórmula E, substituindo justamente Sam Bird. O neozelandês também participou dos testes para novatos realizado em Marraquexe, no qual foi o piloto mais rápido.

É provável que o companheiro de Nick Cassidy para a próxima temporada seja o holandês Robi Frijns, o qual inclusive, era alvo de boatos meses atrás de que poderia perder seu lugar como titular na equipe justamente para o jovem neozelandês, que já estava prestigiado por causa da conquista da Super Formula japonesa no ano passado.

Outras mudanças são esperadas para o próximo campeonato da Fórmula E, como a ida de Pascal Wehrlein para a Porsche, substituindo o suíço Neel Jani, que ainda não convenceu. A GEOX Dragon também deve sofrer mudanças se não houver uma melhora nas seis provas que serão realizadas em agosto em Berlim, encerrando a sexta temporada.

O mercado de pilotos começou a se mexer para a sétima temporada da Fórmula E, o qual terá pela primeira vez a chancela da FIA como Campeonato Mundial.

VAVEL Logo