Presidente da Ferrari, John Elkann afirma que equipe italiana será mais competitiva em 2022
John Elkann (de boné) com Mattia Binotto (Foto: Divugação/Ferrari)

A Ferrari vive um momento péssimo dentro da Fórmula 1 em 2020, o carro não consegue ser rápido e o desempenho está fraco. A Scuderia italiana vive em momentos difíceis. Mas as expectativas para as temporadas seguintes não são das melhores, é o que conta John Elkann, presidente da montadora italiana, que fala sobre o momento atual da equipe de Maranello:

"Estamos passando por momento bastante difícil, não somos campeões de construtores desde 2008 e de pilotos desde 2007. Está sendo difícil para nos lidar com esses resultados ruins. A Red Bull teve seu domínio por conta das suas partes aerodinâmicas, e a Mercedes domina por conta das habilidades dos motores híbridos, nesse ano estamos longe de ter um carro competitivo", disse Elkann

Para 2020, foram poucas mudanças no regulamento, como por exemplo a "barbatana de tubarão" que é uma pequena tampa do motor de seus carros, além da mudança na asa dianteira que vai ser feita puramente de fibra de carbono e os dutos de freios que agora é "peças listadas" ou seja, precisam ser projetados pela própria equipe.

2021 tende ser igual a 2020 sem nenhuma mudança, a única mudança é a introdução do limite de custos, que é de US$ 175 milhões, R$ 887 mi, na cotação do dia. Todas as mudanças do ponto de vista esportivo e que alteram aspectos do fim de semana de GP também vão entrar em vigor.

Em 2022, será a maior mudança do regulamento na F1. Permitirá uma competitividade maior em relação aos anos anteriores em que a Mercedes vem dominando. Principalmente, o sistema aerodinâmico que terá uma atualização grande e deixará o grid mais equilibrado. Com isso, Elkann projeta como será o planejamento para 2022:

"Estamos no processo para que possamos ser os mais rápidos do grid novamente quando as regras mudarem no ano de 2022. Mas agora isso não parece ser possível no momento, devido as restrições impostas pelos regulamentos acordados que permanecem em vigor até o final de 2021. Com o novo regulamento em 2022 e a introdução anterior do limite do orçamento, muita coisa está prestes a mudar na Fórmula 1. No entanto, a Ferrari não vê isso como uma limitação. “Demos o aval às novas regras que começarão a partir de 2022, porque acreditamos que é certo que haja maior competitividade na F1."

Logo em seguida, o estadunidense disse que o limite de orçamento não pode ser uma "muleta" para sua equipe. Ele confia em seu time de funcionários para fazer os carros vermelhos renderem mais.

"Não vemos o limite do orçamento como um limite para a nossa capacidade de vencer. Aceitamos isso como um desafio. Nossos engenheiros, mecânicos e pilotos encontrarão força e criatividade dentro desses limites, para trazer a Ferrari de volta ao topo. Pessoalmente, eu não vi um espírito de equipe tão coeso e forte nos últimos dez anos."

Elkann dirigiu- se ao fãs de uma maneira bem sincera: "Sabemos que a nossa situação não uma das melhoras , e sei que os fãs estão sofrendo tanto quanto nós. Tudo vai mudar, um longo caminho nós espera. Mais o importante agora é trabalharmos juntos dentro e fora da pista e trazer resultados importantíssimos para nos possamos construir uma Ferrari que queremos", concluiu.

VAVEL Logo