Sequências de três GPs incomodam chefe da McLaren: "Não podem virar padrão na F1"
Foto: Divulgação/F1

Lá em 2018, a Fórmula 1 chegou a ter três fins de semana consecutivos com GPs na agenda. Naquela ocasião, as corridas na França, Áustria e Inglaterra, causou grandes reclamações no paddock. Tais reivindicações foram aceitas pela Fórmula 1, que não voltou a marcar a sequência. Porém, em 2020, a pandemia obrigou a organização repetir a correria no calendário.

Após sequências de GPs na Áustria, Estíria e Hungria, a F1começa no próximo fim de semana a tríade Inglaterra, F1 70 e Espanha. Não para por aí. Ainda existe a série com Bélgica, Itália e Toscana. As três corridas "coladas" não agradou nenhum pouco o chefe alemão da McLaren, Andreas Seidl:

"Vamos agora para a jornada tripla com essas duas corridas no Reino Unido, o que, obviamente, para as equipes britânicas, não é tão ruim quanto para outras equipes. Pelo menos, temos a possibilidade de chegar à pista o mais tarde possível com apenas uma curta viagem e com um intervalo entre essas duas corridas de Silverstone. No momento, acho que no cronograma há outra jornada tripla mais tarde, o que acho difícil. Dadas as circunstâncias especiais em que estamos neste ano, é algo que temos de passar neste ano. Mas, ao mesmo tempo, esse não pode ser o novo padrão daqui para frente", disse Seidl em entrevista ao site Autosport.

Você acha que o motivo da reclamação é apenas profissional? Está enganado. Seidl ainda avaliou que a correria prejudica na convivência familiar, que é afetada pelo fato dos funcionários da F1 precisarem viajar por bastante tempo:

"Não acho que o maior desafio seja realmente o trabalho que temos que fazer na pista. É um trabalho difícil, mas acho que o maior problema é ficar longe das famílias e das crianças e assim por diante, para cada membro da equipe. Passando por esta primeira tripla jornada após este longo intervalo que tivemos, acho que também não é o maior desafio ainda. Precisamos estar cientes de que quanto mais tempo passarmos agora na temporada, especialmente as triplas que virão mais tarde, isso será um grande desafio para a equipe."

Famílias prejudicadas

A expectativa da Fórmula 1 é ter entre 15 e 18 corridas até dezembro nesta temporada 2020. E para manter o clima alegre, descontraído e confortável na McLaren, o chefão alemão contou que sua equipe preza pela melhor qualidade nas viagens para seus funcionários:

"O que fazemos do lado da equipe é tentar tornar a viagem, a acomodação e tudo o que podemos oferecer à equipe aqui na pista e nos hotéis as mais confortáveis possíveis. Ao mesmo tempo, todos na equipe entendem que esta é uma temporada especial, em circunstâncias especiais após a infecção pelo vírus. Todos nós entendemos também que é absolutamente necessário para a existência das equipes que faça essas corridas neste ano. Eu simplesmente espero que, com tudo o que fazemos em conjunto com a equipe, consigamos superar isso de maneira sustentável", finalizou.

Todo o fim de semana do GP da Inglaterra você acompanha aqui, na VAVEL Brasil, em nossa cobertura especial.

VAVEL Logo