João Paulo de Oliveira fala sobre idolatria de Takuma Sato no Japão
Foto: Divulgação/IndyCar

O ano de 2020 teve uma edição atípica das 500 Milhas de Indianapolis. Por conta da pandemia do coronavírus, o histórico autódromo não recebeu torcedores para a prova. O vencedor da prova foi Takuma Sato, que conquistou a vitória na corrida mais tradicional do automobilismo norte-americano pela segunda vez - a primeira foi em 2017. E o reconhecimento pelos resultados, de acordo com João Paulo de Oliveira, é alto.

Atualmente piloto da Super GT, João Paulo de Oliveira mora no Japão desde 2004, quando passou a competir no automobilismo local. "O Sato é visto aqui como um herói no Japão. Ele tem uma proporção maior até mesmo que os japoneses que correm aqui. Eu estava passando em um dos principais pontos comerciais de Tóquio, Shibuya, e o Sato está em um outdoor enorme, em um dos cruzamentos mais ocupados de lá. Atravessam, sei lá, mil pessoas lá ao mesmo tempo. Ele tem essa proporção maior por correr nos Estados Unidos na IndyCar e ter ganho novamente agora", destacou o piloto brasileiro.

Perguntado sobre a cobertura da mídia em relação ao piloto, ele destacou que Sato tem proeminência no cenário do país. "A imprensa também dá mais destaque para ele. Vi ele na capa da Autosport quanto dos jornais aqui logo após a vitória nas 500 Milhas de Indianapolis 2020. Tratam ele da devida forma", afirmou.

Até mesmo nas férias, em períodos nos quais muitos estão descansando, Sato faz exibições em solo japonês. "Ele tem certas regalias. Piloto da Honda durante muito tempo, ele sempre participa do festiva da Honda no final do ano, onde trazem pilotos de Fórmula 1, por exemplo. O Takuma dá voltas em Motegi com carros de Indy e Super GT, por exemplo", finalizou João Paulo de Oliveira.

VAVEL Logo