Lucas di Grass chega em terceiro em Berlim e mantem liderança da Fórmula E

Brasileiro esteve sete vezes entre os três primeiros - com três vitórias - em oito corridas e parte para corridas finais em Londres com um ponto de vantagem na liderança do campeonato

Lucas di Grass chega em terceiro em Berlim e mantem liderança da Fórmula E
(Foto: Audi)

Lucas di Grassi terminou em terceiro lugar o e-Prix de Berlim, oitava e antepenúltima prova da temporada da Fórmula E, disputada na manhã deste sábado (21) nas ruas da capital alemã. 

A vitória ficou com Sébastien Buemi, ainda confirmando o status de melhor carro por parte da Renault e.Dams. O resultado fez o suíço diminuir sua desvantagem em relação ao brasileiro de 11 para apenas um ponto a duas corridas do final - na rodada dupla marcada para os dias 2 e 3 de julho em Londres.

"Foi bem difícil, tivemos estratégias diferentes. Fui prejudicado quando o (Jean-Eric) Vergne danificou a asa dianteira de seu carro e perdi muito tempo. O safety car dificultou um pouco mais porque tínhamos mais energia para forçar mais o ritmo no final, e isso acabou equalizando as coisas para quem tinha menos energia", afirmou Lucas após a prova. 

Depois de um qualifying em que Lucas foi sorteado para fazer sua volta rápida ainda no primeiro grupo, quando a pista ainda estava suja e pouco emborrachada, o brasileiro havia conseguido apenas a décima colocação no grid, mas acabou sendo promovido para a oitava posição com as punições a Bruno Senna e Nick Heidfeld - que largariam em quarto e quinto, respectivamente - por motivo de inconformidade com a pressão de pneu estabelecida por regulamento.

"Na Malásia larguei em sexto e sétimo em Buenos Aires. Não era a posição que queríamos, mas a corrida é longa, vamos fazer o melhor para somar o maior número de pontos. Paris era difícil de ultrapassar e aqui parece mais fácil por causa da largura da pista", prometeu Lucas antes da corrida. Promessa cumprida.

Já na largada o piloto da ABT Schaeffler Audi Sport ganhou duas posições e completou a primeira volta na sexta posição. No 12º giro, Lucas passou ao quinto lugar depois que Sam Bird foi obrigado a ir aos boxes para trocar o bico do carro da Virgin DS.

A estratégia de Lucas baseou-se na economia de energia na primeira metade da prova: o brasileiro mantinha um ritmo sempre com quatro ou 5% a mais de energia nas baterias em relação aos líderes, o que permitiu ao paulistano dar uma volta extra antes do pit stop para a troca de carro.

Seus adversários à frente pararam na volta 25, enquanto Di Grassi completou uma volta extra em ritmo forte para tentar ganhar colocações após a parada. Deu certo: o piloto Eurobike ganhou uma posição e reapareceu em quarto lugar, garantindo mais pontos importantes na disputa do campeonato.

A 28ª volta da prova foi completada sob regime de bandeira amarela em toda a pista para que fossem retirados detritos do carro de Jean-Eric Vergne do meio da pista - que inclusive causaram uma rodada de Bruno Senna. Com 2% de energia a mais que os adversários à frente, Lucas di Grassi passou a atacar Nicolas Prost - companheiro de equipe de Sébastien Buemi na Renault e.Dams - pela terceira posição (e mais três pontos). 

Di Grassi ascendeu ao terceiro lugar com bela ultrapassagem no hairpin sobre Prost, colocando-se atrás de seu companheiro de equipe Daniel Abt. O safety car teve de entrar na pista na volta 44 quando o carro de Loïc Duval bateu na curva 7 do circuito. A intervenção do carro de segurança eliminou a distância e a diferença de energia que separava os primeiros colocados, reabrindo a disputa a duas voltas do final.

No fim, os cinco primeiros mantiveram suas colocações, apesar dos ataques de Lucas ao companheiro de equipe Abt. O terceiro lugar trouxe mais 15 pontos para o brasileiro, que subiu ao pódio pela sétima vez em oito corridas na atual temporada. Embaixador da TAG Heuer, Di Grassi soma também três vitórias.

"Ainda estamos liderando por um ponto, e agora tudo vai para Londres. Foi uma prova muito boa, disputada como tem de ser, e a equipe está feliz em colocar os dois pilotos no pódio. O trabalho feito por todos, com o carro e a estratégia, foi excelente", concluiu.

A etapa final da Fórmula E é composta por uma rodada dupla. Londres, na Inglaterra, recebe a definição do campeonato nos dias 2 e 3 de julho. Antes, porém, o piloto Audi Sport torna suas atenções completamente à disputa da terceira etapa do Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC) nos dias 18 e 19 de junho, nas tradicionais 24 Horas de Le Mans - categoria na qual ele venceu a prova de anterior de seis horas na Bélgica. 

Na França, Lucas é o dono do melhor resultado geral de um piloto brasileiro na prova: um segundo lugar conquistado em 2014, que ele busca melhorar para escrever seu nome na história e ser o primeiro representante do país a subir no alto do pódio da mais exigente prova de resistência do mundo.


Resultado do e-Prix de Berlim (Top-10):
1-) Sébastien Buemi (SUI/Renault e.Dams) - 48 voltas
2-) Daniel Abt (ALE/ABT Schaeffler Audi Sport) - a 1s767
3-) LUCAS DI GRASSI (BRA/ABT Schaeffler Audi Sport) - a 2s381
4-) Nicolas Prost (FRA/Renault e.Dams) - a 3s328
5-) Jean-Eric Vergne (FRA/Virgin DS) - a 4s927
6-) Robin Frijns (HOL/Andretti) - a 6s501
7-) Nick Heidfeld (ALE/Mahindra) - a 7s700
8-) Mike Conway (GBR/Venturi) - a 8s305
9-) Simona de Silvestro (SUI/Andretti) - a 12s473
10-) Stéphane Sarrazin (FRA/Venturi) - a 13s241

Classificação do Campeonato (Top-5):
1-) LUCAS DI GRASSI, 141 pontos;
2-) Sébastien Buemi, 140
3-) Sam Bird, 82
4-) Jerôme D’Ambrosio, 64
5-) Nicolas Prost, 62