Vincent Beaumesnil da ACO: "Equipes terão que utilizar motores Gibson para competir em Le Mans"

Medida frustra equipes que competem nos EUA e queriam correr em Le Mans com motores fora o homologado da classe LMP2 do Mundial de Endurance

Vincent Beaumesnil da ACO: "Equipes terão que utilizar motores Gibson para competir em Le Mans"
(Foto: Michael Shank Racing)

A ACO surpreendeu a todos ao confirmar que somente motores Gibson serão elegíveis nos protótipos LMP2 das equipes que desejam competir nas 24 horas de Le Mans em 2017.

Foi o diretor esportivo da entidade, Vincent Beaumesnil que deu a notícia pegando principalmente a IMSA de surpresa. A princípio qualquer motor homologado pela IMSA poderia participar das 24 horas de Le Mans.

“As equipes americanas, terão de competir um LMP2 com um motor de Gibson, se eles gostariam de vir a Le Mans”, disse Beaumesnil.

“Neste momento, é o plano. Ainda estamos finalizando a discussão.” Tal medida pode incentivar equipes americanas a competir na classe LMP1. As discussões para tornar a futura classe DPI da IMSA uma LMP1 também estão em andamento. “Se você quer correr na LMP1 privada, você traz um carro que cumpra estas regras”.

“Existem semelhanças entre um LMP1 e um LMP2. Mas é quase as mesmas regras de chassi. Globalmente, não há grandes diferenças. Mas eu sinto que é possível.”

Dos construtores que atualmente competem na IMSA, a Mazda estava  estudando a possibilidade de voltar a Le Mans. Agora com as restrições da classe P2, resta investir na LMP1.