Jimenez e Baptista terminam etapa do Blancpain GT Series sem pontuar em Nurburgring

DFupla do Audi #3 termina a corrida principal do Blancpain Series a uma posição do top10

Jimenez e Baptista terminam etapa do Blancpain GT Series sem pontuar em Nurburgring
(Foto: Patrick Hecq)

Sergio Jimenez e Rodrigo Baptista ficaram a 0s538 da zona de pontuação na terceira etapa de Sprint do Blancpain GT Series na “main race” disputada neste domingo em Nurburgring.

A dupla do Audi #3 recebeu a bandeirada em 11o lugar, a melhor posição até agora em etapas curtas com rodadas duplas –em evento de endurance, há uma semana, o carro foi ao pódio em terceiro lugar nos 1000 km de Paul Ricard. A vitória ficou com a McLaren #58. A menos de meia hora da largada, o clima instável característico da tradicional pista alemã deu as caras. A prova começou sem chuva, mas alguns trechos do circuito de 3.629 m (nesta etapa foi usada a versão curta da pista) ainda estavam úmidos nas voltas iniciais.

Isso não foi problema para Rodrigo Baptista. O competidor de 19 anos de idade largou com autoridade: partindo de 13o no grid, foi hábil ao defender a linha interna no fim da reta, viu alguns oponentes espalhando na curva 1 e cruzou a primeira volta em décimo.

Ele vinha na balada dos líderes nas primeiras voltas, com os problemas de saída de frente apresentados pelo carro na véspera aparentemente solucionados. Na nona passagem, o Audi #1 também preparado pela equipe WRT, a atual campeã do principal evento de gran turismo do automobilismo mundial, passou Baptista e partiu no encalço das BMW que vinham à frente.

Rodrigo sustentava a 11a posição e levou um susto na volta 15, quando o carro dos companheiros de equipe escapou ao tentar ataque pela oitava posição e retornou imediatamente à sua frente, cortando a trajetória do Audi #3.

Na primeira oportunidade de parada no box, no fim da volta 17, Baptista trouxe a máquina de 585 HP para o box, dando lugar a Jimenez.

A dupla perdeu algum tempo no pit-stop. Outro Audi da WRT fazia a troca de pneus imediatamente à frente, e foi necessário puxar o carro da dupla brasileira um pouco para trás na hora de Jimenez retornar. Ele era 24o colocado naquela altura.

Quando o pelotão se reacomodou com o fim da janela de paradas obrigatórias, o paulista de Piedade era novamente 11o, a 0s3 da Lamborghini #16 na volta 23.

Duas vezes o adversário foi ultrapassado. E duas vezes deu o troco no brasileiro cortando a chicane. Até que, enfim, foi punido com drive thru.

Mas àquela altura Jimenez já estava sem pneus e não conseguiu se defender do carro #88 na abertura da 30a volta. Tentou até o fim, mas acabou recebendo a bandeirada em 11o, a 0s538 do concorrente.

“O Rodrigo largou muito bem, o carro evoluiu e o ritmo dele foi consistente. Foi uma pena o pit stop, pois nossa parada foi excelente, mas enroscou a roda do carro da frente e nos atrapalhou. O pior foi que o #16 nos passou por causa disso. Ficamos umas 12 voltas brigando e perdi a melhor performance do pneu nisso. Reclamei pelo rádio que estava cortando as chicanes, mas levou um tempo para punirem –o que, numa corrida curta, acabou com nossa chance de pontuar. A nota positiva foi que depois de trocar os amortecedores carro voltou a funcionar perfeitamente. Hoje daria para terminar em sétimo ou oitavo”, avaliou Jimenez.

A próxima corrida da dupla brasileira será a principal prova de endurance do calendário, as 24 Horas de Spa, no último fim de semana de julho.