Rebellion Racing pode competir com motor Nissan em 2017 no Mundial de Endurace

Atualmente o time Suíço usa propulsores AER. Para 2017 motores Nissan não estarão mais elegíveis na classe LMP2 do WEC e 24 horas de Le Mans

Rebellion Racing pode competir com motor Nissan em 2017 no Mundial de Endurace
(Foto: FIAWEC)

A Rebellion Racing, estuda mudar de motor para a temporada 2017 do Mundial de Endurance. Atualmente competindo com unidades AER, um propulsor considerado foi o V6 da Nissan que equipava o mal fadado GT-R LM NISMO. A informação foi confirmada pelo diretor da equipe Bart Hayden.

“Nós temos a opção para mudar os motores, e com de costume é de um ano para o outro. Podemos olhar para outras opções também”, disse Hayden Sportscar365.

A Nissan fez uma opção para o fornecimento de seus motores para a Rebellion e a ByKolles, ambas equipes da classe LMP1 sem sistemas híbridos. Além do motor japonês, Gibson e Judd também são opções a serem consideradas.

Qualquer deicisão, será feita durante a etapa de COTA do WEC. “Temos que pensar. Quando estivermos em COTA vamos ter uma ideia melhor”, disse ele. “Nós temos algumas reuniões na próxima semana para começar a diminuir as opções.”

Competindo apenas com o R-One #13, no restante das rodadas do WEC, o #12 está na Europa participando do desenvolvimento para a temporada 2017. “Uma das razões para nós competirmos apenas com um carro, é passar mais tempo em se preparando para o próximo ano”, disse Hayden.

“Estamos trabalhando com a Oreca, no momento, e obtendo informações para o próximo ano”

Em 2017,  LMP1 privada está sem grandes expectativas. A Rebellion, é a única equipe que já deixou claro as intenções de voltar para o WEC. A Strakka Racing que chegou a anunciar um programa na classe, também não apresentou atualizações, bem como a SMP Racing.

A ByKolles já demostrou que também deve competir. “Eu ouço muitos rumores sobre equipes que querem entrar em 2018 em vez de 2017″, disse Hayden.