Qual o destino dos pilotos da Audi após 2016?

Com o fim do programa de endurance da Audi para 2017, seis bons pilotos estão buscando alternativas para se manter no esporte para o próximo ano

Qual o destino dos pilotos da Audi após 2016?
(Foto: Divulgação)

O mercado de pilotos do Mundial de Endurance, não é tão badalado quanto o da Fórmula 1, mas tem seu valor. A saída da Audi da competição, colocou cincos ótimos pilotos a disposição de equipes, seja do WEC ou de outras categorias. Qual o destino de André Lotterer, Loic DuvalLucas di GrassiOliver JarvisBenoit Treluyer e Marcel Fassler?

Segundo informações do site motorsports.com, André Lotterer, teria assinado um contrato com a Porsche para o próximo ano. O piloto também chegou a conversar com a Toyota, mas as negociações não prosperaram.

Mesmo não competindo pelo time nipônico no WEC, o piloto está confirmado na Super Formula no Japão ao lado de Kazuki Nakajima. Lotterer estaria brigando pela vaga de Mark Webber com Nick Tandy, piloto da Porsche que compete na classe GTLM na IMSA.

Pelos lados da Porsche, também existem muitas indefinições. Marc Lieb e Romain Dumas podem não manter seus lugares no 919 Hybrid no próximo ano. Outro piloto da Porsche, Earl Bamber, que também compete no programa GT da marca nos EUA, poderia “subir” para os LMP1.

Para os outros pilotos da Audi a coisa é mais complicada. A Toyota já confirmou que fechou seu plantel de pilotos para o próximo ano, deixando claro que fez isso antes da Audi anunciar sua saída. Os boatos dão conta que Pechito Lopez vai substituir Stephane Sarrazin.

Com os planos de ter três TS050 em Le Mans no próximo ano, existem chances. A Porsche descartou um terceiro carro, alegando os custos.

“Há uma série de possibilidades” disse Loic Duval. “Para um construtor na LMP1, há muitos aspetos positivos em ter um piloto experiente. Eu tenho que olhar para as oportunidades, mas no momento há muita incerteza.”

Lucas di Grassi, está confirmado na Fórmula E como piloto da Audi. (Foto: MF2)
Lucas di Grassi, está confirmado na Fórmula E como piloto da Audi. (Foto: MF2)

O brasileiro Lucas di Grassi, já foi confirmado como piloto da Audi na Fórmula E. Ele não descarta um retorno a Le Mans. “A Fórmula E está chegando como um substituto do WEC, e eu vou assumir este desafio em tempo integral, tentando representar a Audi da mesma maneira que eu fiz no WEC.”

“Eu tenho apenas 32, e sinto que ainda pode voltar. Se outra empresa do grupo VW ou outra companhia, decide fazer LMP1, Eu ficaria feliz em voltar a fazer Le Mans.”

“Seria uma grande prazer, fazer em paralelo com o meu programa na Fórmula E próximo ano.”

Oliver Jarvis e Benoit Treluyer, também estão esperando oportunidades seja em um LMP1 ou qualquer lugar que necessite de um piloto de ponta. Fassler competiu este ano pela Corvette Racing, durante as 24 horas de Daytona, Sebring e Petit Le Mans.

“Primeiro vamos ter uma reunião com a Audi, em seguida, decidir quais são as possibilidades para mim dentro do grupo”, disse Fassler, em Xangai. “Eu estou muito aberto a tudo no momento.”

“Com certeza o contato com a Corvette está lá, eu estava lá em 2009 em Le Mans antes de ir para a Audi, e participei de algumas corridas este. Mas nada está decidido ainda.”