Destaque em Curvelo, Cavaleiro Sports espera manter evolução no Velo Città

Time azul e vermelho chega ao Velo Città com a meta de emplacar seus dois pilotos nas primeiras posições

Destaque em Curvelo, Cavaleiro Sports espera manter evolução no Velo Città
Vanderley Soares/MS2

A Cavaleiro Sports disputa neste final de semana a sétima etapa da temporada 2017 da Stock Car, na estreia do Autódromo do Velo Città no calendário da competição. O time azul e vermelho comandado por Beto Cavaleiro foi destaque na etapa de Curvelo, onde colocou seus dois pilotos Rafael Suzuki e Felipe Lapenna nas primeiras posições da corrida, nos treinos, tendo ainda grande destaque na classificação.

Para Beto a equipe está no caminho certo e os resultados no interior de Minas Gerais só vieram a confirmar o bom trabalho de toda a equipe. “Vínhamos evoluindo a cada etapa, mas alguns detalhes nos impediam de mostrar o resultado. Dessa vez, deu tudo certo e nosso objetivo é seguir nessa crescente”, explicou Cavaleiro.

Rafael Suzuki, que nas duas corridas ficou no top10 com um quinto e um nono lugar, diz que está confiante na etapa do interior paulista. “O bom desempenho em todas as sessões em Curvelo comprovou nossa evolução e queremos seguir ainda mais fortes nessa segunda metade do campeonato. A pista do Velo Città é uma novidade no calendário da Stock Car, o que é sempre muito legal, e pelo fato das equipes não terem referências de lá, a disputa deverá ser ainda mais equilibrada. Vamos trabalhar bastante nos treinos para buscarmos uma boa classificação e muitos pontos para me aproximar do top10 do campeonato”, analisou o representante do Maranhão, que comanda o carro #08.

Felipe Lapenna compartilha da opinião do seu companheiro de equipe. “Estamos vivendo nosso melhor momento na competição. Estamos crescendo a cada etapa e isso é muito importante em uma equipe, que iniciou seu trabalho nessa configuração há seis etapas. Vamos para cima em busca de mais um resultado positivo, mantendo essa boa fase”, destacou o paulista do carro #110.

Confiança e união são as palavras chaves para Diego Nunes no Velo Città

(Carsten Horst/Hyset)
(Carsten Horst/Hyset)

Diego Nunes garante que o momento é de virar o jogo e voltar a estar nas primeiras posições uma vez que o campeonato vai se afunilando e ficando cada vez mais competitivo.

“Andei muito no simulador para conhecer a pista, assisti muita câmera onboard e acredito que não teremos dificuldade de adaptação lá. Estou bem confiante para que essa seja a nossa reviravolta do ano e começarmos andar de novo entre os seis primeiros, brigarmos por pódio. Passamos por uma reformulação dentro da equipe e isso vai melhorar, pois mudamos alguns conceitos, onde os três times Full Time trabalharão muito mais unidos, principalmente os engenheiros. E vamos sair de lá com o primeiro pódio do ano”, analisou o dono do carro #70.

Julio Campos sonha com prova diferente no Velo Città

(Vanderley Soares/MF2)
(Vanderley Soares/MF2)

ista nova, meta nova. Cliente preferencial do Q3, a última parte dos treinos classificatórios em que apenas seis pilotos disputam a pole, o paranaense Julio Campos encara a estreia da pista do Velo Città no calendário da Stock Car como um divisor de águas para a Equipe Prati-Donaduzzi. Se o carro preparado pelo time capitaneado pelo diretor-técnico Rodolpho Mattheis já se mostrou dos mais velozes do grid em configuração de qualifying, agora chegou o momento de dar um salto à frente no ritmo de corrida. “Entrar no Q3 é uma tarefa dificílima, dada a qualidade da concorrência e o equilíbrio da categoria. Melhoramos muito nesse aspecto, mas ainda temos potencial para crescer nas corridas”, observa.

Campos saiu em 4º em Cascavel, 5º em Curitiba e 6º em Curvelo. Tem agora a oportunidade de partir pela quarta vez consecutiva entre os seis melhores. Até o momento, cumprida a primeira metade das 12 etapas, os líderes Daniel Serra (RC) e Thiago Camilo (Ipiranga/A. Mattheis) foram os únicos a entrar na terceira fase do qualifying em todas as oportunidades, atestando que as chances de bons resultados estão associadas às posições de largadas.

O amazonense Antonio Pizzonia, companheiro de Campos, vem rondando o Q3 (saiu em 7º em Cascavel), mas ficou com as chances comprometidas em Curvelo quando um acidente provocou a interrupção do qualifying nos minutos finais e o impediu de avançar ao Q2, a exemplo de outras forças do grid. “Ali não deu para fazer mais nada”, resumiu Pizzonia, que no domingo regressou aos boxes com o macacão imundo pelo poeirão característico da região de cerrado mineiro. Pizzonia ocupa atualmente a 25ª colocação.

O circuito do interior paulista, localizado na pequena Mogi Guaçu e a 170 km da capital, receberá a principal categoria nacional pela primeira vez, mas diversos pilotos guardam uma familiaridade com seus 3.438 metros de comprimento, 14 curvas e setores de subida e descida de outras corridas. Se jamais disputou uma prova oficial, Campos já sentiu o gostinho do traçado. “Dei umas cinco voltas num treino de Porsche. É uma pista de média baixa velocidade, virtualmente impossível de ganhar posições sem o botão de ultrapassagem. Por isso, largar nas primeiras filas será ainda mais importante”, lembra o 10º colocado no campeonato.

Eisenbahn Racing Team se prepara para estreia

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Os pilotos das locomotivas negras também estão com boas expectativas para a corrida em Mogi Guaçu. “É a primeira vez da Stock Car nesse circuito, que é belíssimo. Todo mundo vai buscar acertar os carros rapidamente, então acredito que no treino de 15 minutos já vamos ter uma ideia das surpresas dessa pista, nos familiarizado com os traçados e descobrindo seus atalhos”, conclui o Expresso da Paraíba #77.

Já Vitor Genz, carro #46, não aguentou esperar e já foi conhecer o local da nova etapa. “Fui treinar semana passada em Mogi Guaçu e fiquei muito surpreendido pela beleza e estrutura do autódromo. Também gostei muito da pista, com traçado bem misto e técnico. Eu me adaptei bem rápido e senti um astral muito bom correndo lá”, afirma o gaúcho.

“Estou muito curioso para conhecer Velo Città. Espero que ela seja bem competitiva para nossa equipe esse final de semana. Os carros estão super revisados e afinados para esse segundo turno que entramos da competição. Nossa meta em Mogi é conquistar pontos para subir na classificação geral. Estamos investindo muito para chegar nisso”, afirma Carlos Alves, chefe de equipe da Eisenbahn Racing Team - que está na 8º posição no ranking geral, com 119 pontos.