Mundial de Rallycross pode receber campeonato de carros elétricos

Apesar de não haver detalhes confirmados, o plano é de iniciar a nova categoria a partir de 2020

Mundial de Rallycross pode receber campeonato de carros elétricos
Apesar dos esforços para trazer carros elétricos ao Mundial de Rallycross, os supercarros da classe principal permanecerão intocados (Foto: divulgação/STARD)

Os esforços para trazer cada vez mais veículos elétricos ao automobilismo vêm se multiplicando aos poucos, com o expoente maior ainda estando nos circuitos de asfalto com a Formula E, e que vai se estender aos esportivos com os planos acelerados do Electric GT e seus Teslas. A velocidade de terra também deve seguir pelo mesmo caminho, visto que pela primeira vez foi mencionada a possibilidade de uma categoria de elétricos no cronograma do Mundial de Rallycross.

De acordo com a IMG, promotora atual do Mundial de Rallycross, a ideia é que no mínimo em 2020 já tenha uma competição a incluir no cronograma que atualmente conta com o Europeu de Rallycross, com competições separadas para supercarros, Super 1600 e Touring Cars, além da RX Lites e do Mundial em si. No momento discussões estão sendo tomadas com montadoras e perparadoras a respeito de como poderia ficar o regulamento técnico, além da própria IMG estar formulando o regulamento esportivo e o formato dos eventos.

Apesar dos esforços para que se tragam carros elétricos ao rallycross, a IMG e a FIA já deixaram claro que eles não vão dividir espaço com os supercarros, e que a categoria máxima do rallycross permanecerá inalterada, muito em razão de ter sido ela a responsável pelo sucesso da disciplina e de ter dado o status de Mundial ao campeonato atual. Paul Bellamy, diretor do Mundial, deixou claro ao dizer: "Eles vão correr nos mesmos eventos, mas não nas mesmas corridas, e o importante é que o motor a combustão está aqui para ficar. Investimos muito no rallycross como ele é, e não vamos nos desfazer disso. A fórmula atual é um belo espetáculo e não mudará, como a chegada da Formula E não mudou a Fórmula 1."

Quem já tem um projeto bem avançado com relação a elétricos no rallycross e a austríaca STARD, responsável pelos carros de Janis Baumanis e Timur Timerzyanov no Mundial, mas com um carro chamado HIPER Mk. 1 em fase de testes para competições de rally e rallycross.

Motor