Estatísticas do Grande Prêmio da Áustria de Fórmula 1

Neste domingo (3), a Fórmula 1 vai para a nona corrida da temporada de 2016, o GP da Áustria, em Spielberg. Confira abaixo alguns números e estatísticas de toda a história das corridas em solo austríaco

Estatísticas do Grande Prêmio da Áustria de Fórmula 1
Nico Rosberg (centro), Lewis Hamilton (esq.) e Felipe Massa (dir.) fizeram o pódio da prova em 2015 (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Depois de duas semanas de pausa, a Fórmula 1 está de volta com o Grande Prêmio da Áustria, nona etapa da temporada de 2016. Os treinos começaram nesta sexta-feira (1º), e a corrida será no domingo (3), às 9h, hora de Brasília.

O GP austríaco voltou à categoria apenas em 2014, mas antes disso construiu uma história com vários momentos marcantes. Confira abaixo algumas estatísticas e números da história das corridas em solo canadense (todas retiradas do site oficial da Fórmula 1):

Com três triunfos, Alain Prost é o maior vencedor da prova (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)
Com três triunfos, Alain Prost é o maior vencedor da prova (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)

- O GP da Áustria já foi realizado como prova válida de um campeonato por 28 vezes, em duas pistas diferentes (Zeltweg e o atual Red Bull Ring, que já foi chamado de Österreichring e A1-Ring e já recebeu várias reformas);

- Vinte e um pilotos diferentes já venceram a corrida. O que mais conseguiu o feito foi Alain Prost, com três. Outros cinco pilotos a venceram duas vezes: Ronnie Peterson, Alan Jones, Mika Häkkinen, Michael Schumacher e Nico Rosberg (o único do grid atual a ganhar por lá);

- Em 1984, ano de seu tricampeonato, Niki Lauda foi o único austríaco a vencer em casa. Ele também é o único piloto do país a ter ao menos alcançado um pódio no GP (foram dois, um segundo lugar em 1977 e a vitória de 1984);

Em 1984, Niki Lauda liderou o pelotão com sua McLaren e foi o único austríaco a vencer em casa (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)
Em 1984, Niki Lauda liderou o pelotão com sua McLaren e foi o único austríaco a vencer em casa (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)

- A volta mais rápida já feita no Red Bull Ring foi 1min07s908. Michael Schumacher foi quem conseguiu o feito com sua Ferrari;

- A McLaren foi a equipe que mais venceu na Áustria, com seis triunfos. Logo depois vem a Ferrari, com cinco, seguida por Lotus (quatro) e Williams (três). Brabham, Renault e Mercedes (duas) também triunfaram no GP;

- Desde que a corrida da Áustria voltou ao calendário, em 2014, foram duas edições, com Nico Rosberg vencendo ambas. Ele também é o terceiro piloto com mais voltas lideradas na história da corrida, com 105 (perde para Mika Häkkinen, com 136, e Alain Prost, com 114);

Nico Rosberg é o grande dominador do grid atual na Áustria (Foto: Dan Istitene/Getty Images)
Nico Rosberg é o grande dominador do grid atual na Áustria (Foto: Dan Istitene/Getty Images)

- O primeiro GP da Áustria, em 1964, foi o mais longo. Vencida pelo italiano Lorenzo Bandini, a prova que teve 105 voltas (a antiga pista de Zeltweg tinha 3.2km de extensão e apenas quatro curvas);

- Já a prova mais curta em solo austríaco aconteceu em 1975, quando a chuva fez com que a vitória do também italiano Vittorio Brambilla tivesse apenas 25 voltas – apenas a metade dos pontos foi computada;

- Desde a primeira pista utilizada no país, em Zeltweg, até o atual Red Bull RIng, já foram sete layouts diferentes utilizados na prova. O circuito deste ano tem 4.3km e nove curvas;

Foram seis layouts diferentes até o atual Red Bull Ring na Áustria (Foto: Peter J. Fox/Getty Images)
Foram seis layouts diferentes até o atual Red Bull Ring na Áustria (Foto: Peter J. Fox/Getty Images)

- Apenas um brasileiro venceu na história do GP da Áustria: foi em 1972, quando Emerson Fittipaldi venceu pela única vez no país com sua Lotus. Aquele foi um de seus cinco triunfos que lhe deram o primeiro título mundial no ano em questão;

- O novo asfalto para a corrida de 2016 pode ser um alívio para os pneus, mas contrasta com as altas temperaturas (em 2015, os termômetros bateram a casa dos 35º), que prejudicam a durabilidade dos compostos e de outras peças;

 - Um dos momentos mais marcantes da história da F1 aconteceu na Áustria, mas pelo lado negativo. Em 2002, após um fim de semana perfeito, Rubens Barrichello foi obrigado a ceder a vitória para seu companheiro, Michael Schumacher, por ordens da Ferrari. O brasileiro o fez nos últimos metros da última volta, gerando cenas históricas e provocando enormes vaias do público presente no A1-Ring.

Schumacher cedeu o primeiro lugar no pódio e o troféu a Barrichello em 2002, mas não apagou a vergonha da Ferrari (Foto: Jean Pierre Müller/AFP/Getty Images)
Schumacher cedeu o primeiro lugar no pódio e o troféu a Barrichello em 2002, mas não apagou a vergonha da Ferrari (Foto: Jean Pierre Müller/AFP/Getty Images)