Alonso crítica mudanças na Fórmula 1 e afirma pensar em aposentadoria

Aos 35 anos, piloto espanhol declarou que não está satisfeito com o desenvolvimento da modalidade nas últimas temporadas

Alonso crítica mudanças na Fórmula 1 e afirma pensar em aposentadoria
"Já não preciso disso", afirmou Alonso (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Nas vésperas do Grand Prix da Itália, o espanhol Fernando Alonso criticou o desenvolvimento da Fórmula 1 nos últimos anos. Em entrevista concedida ao portal de notícias alemão Spiegel on-line, o piloto da McLaren afirmou que o carro é muito lento, que as regras são absurdas e o que o fim da carreira está aproximando.

Alonso já viveu dias melhores na Fórmula 1, especialmente nas temporadas 2005 e 2006 quando conquistou o campeonato mundial pela Renault. Atualmente o espanhol é 11º colocado na classificação de condutores e está mais de 200 pontos atrás do líder Lewis Hamilton. No entanto, o fato de não estar brigando pelo título não é a única coisa que irrita o piloto.

"As críticas também são dos torcedores nas arquibancadas e dos que assistem na TV: muito lento, muito baixo e pouco intenso", disse Alonso. "E, como resultado, a Fórmula 1 está quatro ou cinco anos em uma tendência de queda", acrescentou.

"Alguns pilotos dizem que é melhor, outros não. Especialmente aqueles que não sabem como era, já que eles estavam sentados em um kart ou em quaiques fórmulas juniores quando a Fórmula 1 era realmente atrante", afirmou. "Eu acho que gradualmente as equipes e a FIA tem compreendido isso e vão fazer uma tentativa de melhor a F1 no próximo ano", concluiu o Espanhol.

(Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Fernando Alonso: "Dirigir devagar não é divertido" (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Fernando Alonso declarou que a Fórmula 1 nunca estará realmente em perigo, pois o nome e a marca são muito fortes e que a Fórmula 1 sempre será a Fórmula 1, mas fez um alerta. "Na última década, o esporte esteve cada vez mais nas mãos dos engenheiros e dos grupos de trabalho técnicos, que decidem sobre as regras. O objetivo deles é criar máquinas fascinantes ou brinquedos, mas existem os seus brinquedos e não o nosso", explicou.

O piloto de 35 anos ainda falou sobre as mudanças, que no em seu ponto de vista são absurdas. "Os carros tornaram-se extremamente complexo, são mais pesados ​​e mais lentos do que antes. Devemos salvar constantemente pneus e combustível, desde a primeira volta. E tudo isso vai contra os instintos de um piloto, dirigir devagar não é divertido", ressaltou.

Alonso destacou, por fim, que leva em consideração o fato de uma eventual aposentaria, já que seu contrato com a McLaren termina no fim da temporada 2017. "Isso é muito possível, o meu contrato com a McLaren está se esgotando, por isso tenho de renegociar. E também considero a minha situação pessoal, estou com 35 anos agora", assumiu.

"Se eu ainda tivesse que realizar meus sonhos ou ainda precisasse de dinheiro seria outra história, mas depois de 16 anos já não preciso disso. Tudo o que eu preciso é me divertir", finalizou o piloto.