Renault afirma que vazamento de combustível causou incêndio em carro de Magnussen na Malásia

Segundo equipe francesa, um vazamento fez com que o carro #20 pegasse fogo no primeiro treino livre; piloto dinamarquês elogiou o trabalho da escuderia para preparar o carro a tempo da sessão vespertina

Renault afirma que vazamento de combustível causou incêndio em carro de Magnussen na Malásia
O fato aconteceu nos primeiros minutos da sessão da manhã (Foto: Sutton Images/Divulgação/F1)

Um incidente curioso (e levemente assustador) marcou a sexta-feira (30) de treinos livres para o Grande Prêmio da Malásia de Fórmula 1, em Sepang. Durante os primeiros minutos da sessão inicial pela manhã, ao retornar para os boxes, Kevin Magnussen viu sua Renault pegar fogo. O dinamarquês teve que pular rapidamente do carro, e a equipe e os fiscais de pista tiveram certa dificuldade para controlar o incêndio.

O treino ficou parado por alguns minutos e o bólido ficou completamente coberto pelo pó vindo dos extintores. Logo após a segunda sessão de treinos, no horário da tarde (madrugada no Brasil), o diretor técnico da escuderia francesa, Nick Chester, explicou a situação, afirmando que um vazamento de combustível foi o responsável pelo incêndio. Ele também falou sobre os acertos dos carros de Magnussen e do britânico Jolyon Palmer - segundo piloto da marca - durante as sessões.

Tivemos um difícil começo de dia com o carro do Kevin (Magnussen). Houve um problema em uma válvula no respiro do combustível, que provocou um vazamento e o incêndio. A equipe fez um grande trabalho deixando tudo sob controle, e aí conseguimos contornar o problema. Mudamos o sistema de combustível para a segunda sessão e não tivemos mais contratempos”, disse Chester.

Jolyon (Palmer) teve duas sessões limpas e estava feliz com o balanço do carro na tarde. Kevin conseguiu completar a sessão da tarde e já possui uma base para trabalhar. Temos boas informações entre os dois pilotos para evoluir os acertos dos carros e a performance dos pneus no novo asfalto da pista de Sepang”, acrescentou.

O fato aconteceu nos primeiros minutos da sessão da manhã (Foto: Sutton Images/Divulgação/F1)
O RS16 ficou coberto pelo pó dos extintores de incêndio (Foto: Divulgação/F1)

Magnussen também falou sobre o que aconteceu. Ele brincou com o problema, dizendo que não esperava que estivesse tão quente em Sepang, elogiou o trabalho da Renault, que conseguiu deixar o carro pronto a tempo do segundo treino livre, e ressaltou que a quilometragem conseguida na tarde evitou que a sexta-feira fosse considerada perdida, já tendo pontos para evoluir no RS16.

Nós esperávamos que estivesse quente em Sepang, mas talvez não desse jeito! Minha equipe foi muito bem lidando com a situação e colocando o carro de volta à ação para a sessão da tarde. Da minha perspectiva, eu ouvi no rádio a instrução para pular fora do carro, e nem precisaria ouvir de novo! Na sessão da tarde nós pudemos dar algumas voltas a mais, então o dia não foi perdido. Sofremos com um pouco mais que o normal com o carro saindo de traseira no set-up inicial, mas já sabemos aonde queremos melhorar”, disse o piloto.

Magnussen conseguiu voltar a tempo para o segundo treino livre (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Magnussen conseguiu voltar a tempo para o segundo treino livre (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

O terceiro treino livre do GP da Malásia acontece neste sábado (1º de outubro), às 3h da manhã, hora de Brasília. A classificação será logo depois, às 6h, e a corrida ocorre no domingo (2), às 4h da manhã.