Red Bull aproveita problemas da Mercedes, Ricciardo encerra jejum e vence GP da Malásia

Australiano não vencia uma corrida de Fórmula 1 desde o GP da Bélgica de 2014. Max Verstappen completou a primeira dobradinha da Red Bull em quase três anos, e Nico Rosberg fechou o pódio da grande corrida em Sepang, aproveitando-se da quebra de Lewis Hamilton. Felipe Massa foi o 13º e Felipe Nasr abandonou

Red Bull aproveita problemas da Mercedes, Ricciardo encerra jejum e vence GP da Malásia
Ricciardo não vencia desde o GP da Bélgica de 2014 (Foto: Divulgação/Red Bull Racing)

A Fórmula 1 viu neste domingo (2) a sua melhor corrida na temporada de 2016. E viveu um momento atípico. Pela segunda vez no ano, a Mercedes sofreu um revés, não triunfou, e a vitória do excelente Grande Prêmio da Malásia caiu no colo de Daniel Ricciardo. O australiano, que não vencia desde agosto de 2014 (GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps), aproveitou-se dos problemas da equipe alemã e conseguiu a quarta vitória da carreira. Seu companheiro de equipe, o holandês Max Verstappen, pressionou no final, mas acabou ficando com o segundo lugar – foi a primeira dobradinha da equipe Red Bull desde o GP do Brasil em 2013, na época com Sebastian Vettel e Mark Webber.

Nico Rosberg ficou em terceiro, fechando o pódio. O alemão foi tocado pela Ferrari de Sebastian Vettel na largada (este último teve a suspensão quebrada e abandonou na primeira curva), caiu para 17º e conseguiu chegar entre os três melhores. Porém, Rosberg ainda saiu de Sepang como um dos grandes vencedores, porque o surreal atacou seu companheiro e rival no campeonato: Lewis Hamilton liderava tranquilamente até a volta 41, quando o inglês viu seu motor estourar e teve que abandonar a prova. Assim, Nico abriu 23 pontos de vantagem para Lewis na liderança do campeonato (uma vitória vale 25).

Max Verstappen completou a dobradinha da Red Bull (Foto: Divulgação/Red Bull Racing)
Max Verstappen completou a dobradinha da Red Bull (Foto: Divulgação/Red Bull Racing)

Graças ao abandono de Vettel, Kimi Räikkönen foi o único piloto da Ferrari a completar a prova, em quarto. Com uma estratégia diferente (30 voltas de pneus médios e as 28 finais de duros), Valtteri Bottas foi o quinto colocado com a Williams. Sergio Pérez foi o sexto com a Force India, seguido por outro grande destaque do dia: Fernando Alonso, que saiu de último com a McLaren e chegou em sétimo. Nico Hülkenberg foi o oitavo com a outra Force India, seguido pela McLaren de Jenson Button (na sua 300ª corrida da carreira) e pela Renault de Jolyon Palmer, que fechou os dez primeiros e conseguiu o primeiro ponto em sua temporada de estreia.

Os brasileiros sofreram com problemas. Felipe Massa largou dos boxes com uma falha no acelerador ao partir para a volta de apresentação e ainda teve um pneu furado no começo da prova, chegando apenas em 13º. Já Felipe Nasr viu sua Sauber ter problemas de freio e abandonou na volta 48.

Além de Nasr, Hamilton e Vettel, outros três pilotos abandonaram: os dois carros da Haas, de Romain Grosjean e Esteban Gutiérrez, e a Renault de Kevin Magnussen.

Rosberg chegou a ser punido, mas salvou um pódio e se deu bem no campeonato (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Rosberg chegou a ser punido, mas salvou um pódio e se deu bem no campeonato (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Rosberg é atingido por Vettel na largada e faz corrida de recuperação

Antes mesmo da largada, o melhor brasileiro no grid teve o primeiro percalço. Com problemas no acelerador, Felipe Massa não conseguiu partir para a volta de apresentação e foi forçado a largar dos boxes. Carlos Sainz Jr também sofreu com contratempos, dessa vez no motor de sua Toro Rosso, que não foi acionado na hora certa e fez com que a largada demorasse um pouco mais que o normal a acontecer.

Quando a prova começou, Hamilton manteve-se na ponta, enquanto o caos se instalou atrás dele. Vettel atacou com tudo na curva 1 e acabou tocando na roda traseira direita de Rosberg. Sua suspensão dianteira esquerda quebrou, forçando um precoce abandono, enquanto seu compatriota rodou e caiu para 17º. Verstappen também acabou sendo tocado, mas manteve-se em quarto. Outros pilotos acabaram se envolvendo em problemas (como Romain Grosjean, que teve um pneu furado) e alguns ainda trocaram de estratégia logo cedo, como Kevin Magnussen e Felipe Massa. O safety-car virtual foi acionado e permaneceu ativo pelas três primeiras voltas.

Vettel tocou em Rosberg e a confusão se instalou na largada (Foto: Divulgação/F1)
Vettel tocou em Rosberg e a confusão se instalou na largada (Foto: Divulgação/F1)

Naquele instante, Hamilton liderava, com Ricciardo em segundo e Sergio Pérez em terceiro. Verstappen aparecia em quarto, com Räikkönen em quinto. Jenson Button, Nico Hülkenberg, Valtteri Bottas, Fernando Alonso e Esteban Ocon fechavam o top-ten. Logo com a volta à ação, os envolvidos no acidente inicial já começaram uma recuperação: Verstappen logo foi para cima e tomou a terceira posição de Pérez, seguido por Räikkönen. Já Rosberg começou a partir de forma desesperada ao ataque, e era o 14º na sexta volta.

Na sétima volta, mais problemas para Massa: a Williams detectou um furo em um de seus pneus dianteiros, e o brasileiro teve que voltar aos boxes para trocar seus compostos duros de apenas seis voltas de uso por outros novos. Duas voltas depois, foi a vez de Grosjean ter mais problemas, mas estes encerraram sua corrida: o disco de freio da Haas estourou, e o francês rodou na última curva para abandonar. Vários pilotos, inclusive Verstappen (pneus macios) e Rosberg (pneus médios), aproveitaram o novo safety-car virtual e foram aos boxes para trocaram seus pneus.

Romain Grosjean foi um dos que abandonou no começo da prova (Foto: Divulgação/F1)
Romain Grosjean foi um dos que abandonou no começo da prova (Foto: Divulgação/F1)

As duas Mercedes seguiam muito rápidas na pista: enquanto Hamilton alternava voltas mais rápidas com Verstappen, Rosberg seguia como um alucinado no meio do grid, já aparecendo em sexto com 18 voltas. A essa altura da corrida, Hamilton, Ricciardo, Räikkönen, Verstappen (único do grupo a já ter parado) e Bottas eram os cinco primeiros a sua frente. Uma volta depois, mais um abandono: Magnussen foi obrigado a encostar sua Renault nos boxes, com problemas causados por um toque que sofreu da Toro Rosso de Daniil Kvyat durante a confusão da largada.

Hamilton abre vantagem na frente e Red Bull coloca seus dois pilotos entre os três primeiros

Na 20ª volta, Hamilton fez sua parada e colocou pneus duros, assim como Räikkönen. Duas voltas depois, foi a vez de Ricciardo, que também pôs os compostos mais duros. Com isso, Verstappen liderava (com macios usados), com Hamilton, Ricciardo, Räikkönen e Rosberg logo atrás – nessa situação, o alemão da Mercedes ainda mantinha a liderança no campeonato. As brigas não aconteciam apenas no primeiro pelotão: na volta 24, Marcus Ericsson se aproveitou dos pneus macios mais novos e ultrapassou Felipe Nasr pelo 13º lugar na disputa interna da Sauber.

Mesmo com pneus mais duros, Hamilton começou a atacar e tirou 1s da vantagem de Verstappen na ponta - que passou a sofrer mais com o desgaste de seus compostos macios - em quatro voltas. Com isso, o holandês foi aos boxes na volta 28 e colocou os pneus duros, não precisando mais parar até o fim da prova. O inglês assumiu a liderança e precisava aumentar sua vantagem em aproximadamente 5s se precisasse ir aos boxes e voltar em primeiro, mas logo começou a fazer voltas mais rápidas.

Raikkonen ficou em quarto por boa parte da prova, e lá mesmo chegou (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Räikkönen ficou em quarto por boa parte da prova, e lá mesmo chegou (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Na volta 30, Bottas enfim foi aos boxes – o finlandês andou toda a primeira metade da prova com os mesmos pneus médios da largada. Duas voltas depois, Rosberg voltou aos boxes para colocar pneus duros, retornando à pista no sexto lugar, seguido por Räikkönen (que resolveu mudar de estratégia) no 33º giro. Enquanto isso, a melhor disputa da pista no momento era entre os espanhóis: Carlos Sainz Jr e Fernando Alonso travaram uma bela briga pelo nono lugar, com o bicampeão mundial da McLaren levando vantagem. Logo atrás deles, foi a vez de Hülkenberg assumiu a 11ª posição ao ultrapassar Ericsson.

Motor estoura, Hamilton abandona e vitória cai no colo de Ricciardo; Rosberg supera punição pelo pódio

Na volta 39, após ir tirando a diferença pela quarta posição, Rosberg decidiu ir para cima de Räikkönen e dividiu a curva 2 com o finlandês. Os dois se tocaram, e o alemão conseguiu a posição de forma arrojada. Na mesma volta, a Red Bull viu seus pilotos travarem uma grande briga pelo segundo lugar, dividindo várias curvas lado a lado, mas o australiano manteve-se na frente do holandês. Enquanto isso, Hamilton seguia abrindo vantagem na frente. Tudo seguia tranquilo. Seguia.

O motor de Hamilton quebrou na 41ª volta e mudou a corrida (Foto: Divulgação/F1)
O motor de Hamilton quebrou na 41ª volta e mudou a corrida (Foto: Divulgação/F1)

Porque na volta 41, o motor da Mercedes quebrou e Hamilton abandonou a corrida. Com isso, as duas Red Bulls assumiram a ponta, com Rosberg em terceiro e Räikkönen em quarto. Veio o safety-car virtual e a Red Bull chamou seus dois pilotos ao mesmo tempo, mas ambos voltaram em suas posições, com Rosberg também parando em terceiro (todos pondo pneus macios). O SC virtual teve que ser estendido, pois a roda dianteira esquerda de Esteban Gutiérrez se soltou sozinha e o mexicano teve que abandonar.

Na volta 45, Rosberg acabou sendo punido com 10s em seu tempo final de prova, pois os comissários interpretaram que ele causou uma colisão com Räikkönen quando o ultrapassou na volta 39. O alemão respondeu rapidamente, tornando-se o piloto mais rápido da pista. No 48º giro, foi a vez do outro brasileiro do grid abandonar: Felipe Nasr teve problemas de freio com sua Sauber e foi obrigado a encostar nos boxes.

Nas últimas voltas, Rosberg conseguiu abrir 12s para Räikkönen e manteve o pódio mesmo com a punição. Na frente, Ricciardo e Verstappen passaram os giros finais alternando a vantagem, mas ela sempre se manteve entre 1s e 1s5.

Ricciardo (centro), Verstappen (esq.) e Rosberg (dir.): o pódio na Malásia (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Ricciardo (centro), Verstappen (esq.) e Rosberg (dir.): o pódio na Malásia (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Foi só questão de tempo para a bandeirada final. Vitória de Daniel Ricciardo, a primeira em dois anos, com Max Verstappen completando a primeira dobradinha da Red Bull desde 2013, e Nico Rosberg fechando o pódio em terceiro, mesmo após ser punido.

Confira a classificação do Grande Prêmio da Malásia de 2016 de Fórmula 1:

POS. # PILOTO PAÍS EQUIPE TEMPO PTS
3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL 1h37min12s776 25
33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL +2s443 18
6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +25s516 15
7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +28s785 12
77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS +1min01s582 10
11 SERGIO PÉREZ MÉX FORCE INDIA +1min03s794 8
14 FERNANDO ALONSO ESP MCLAREN +1min05s205 6
27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA +1min14s062 4
22 JENSON BUTTON ING MCLAREN +1min21s816 2
10º 30 JOLYON PALMER ING RENAULT +1min35s466 1
11º 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO +1min38s878 -
12º 9 MARCUS ERICSSON SUÉ SAUBER +1 VOLTA -
13º 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS +1 VOLTA -
14º 26 DANIIL KVYAT RÚS TORO ROSSO +1 VOLTA -
15º 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR +1 VOLTA -
16º 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR +1 VOLTA -
NC 12 FELIPE NASR BRA SAUBER ABANDONOU -
NC 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES ABANDONOU -
NC 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MÉX HAAS ABANDONOU -
NC 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT ABANDONOU -
NC 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS ABANDONOU -
NC 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI ABANDONOU -