É campeão! Rosberg conquista primeiro título mundial de Fórmula 1 em Abu Dhabi; Hamilton vence GP

O alemão da Mercedes chegou em segundo no emocionante e tenso GP de Abu Dhabi e conquistou seu primeiro título mundial, mesmo com a vitória de seu grande rival na disputa, Lewis Hamilton. Felipe Massa encerrou sua carreira em nono, e Felipe Nasr foi o 16º

É campeão! Rosberg conquista primeiro título mundial de Fórmula 1 em Abu Dhabi; Hamilton vence GP
Nico Rosberg é o 33º campeão mundial da história (Foto: Clive Mason/Getty Images)

A Fórmula 1 coroou neste domingo (27) o seu 33º campeão mundial na história. Nico Rosberg seguiu a lógica, chegou em segundo no Grande Prêmio de Abu Dhabi, em Yas Marina, e conquistou seu primeiro título mundial na carreira. O alemão de 31 anos, depois de 206 corridas e 27 vitórias, enfim realizou seu grande sonho (depois de dois vice-campeonatos em sequência) e igualou o feito de seu pai, Keke Rosberg, campeão em 1982.

Com o segundo lugar, de nada adiantou a vitória de seu grande rival e companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton. O inglês dominou toda a prova a venceu pela 54ª vez na careira, mas não conseguiu o tão sonhado tetra (com sua vitória, Rosberg tinha que chegar em quarto). O final da prova foi emocionante, com o inglês segurando o ritmo para que outros pilotos chegassem no alemão e o ultrapassassem, mas a estratégia não deu certo.

Rosberg deu zerinhos, beijou o carro e comemorou muito (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Rosberg deu zerinhos, beijou o carro e comemorou muito (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Depois da dupla da Mercedes, veio a Ferrari de Sebastian Vettel, que fez uma das melhores corridas do ano com uma estratégia diferenciada e completou o pódio em terceiro, seguido pela dupla da Red Bull, com Max Verstappen (que rodou na primeira curva) em quarto e Daniel Ricciardo em quinto. Kimi Räikkönen, com a outra Ferrari, fechou o grupo dos seis primeiros (entre os seis melhores da prova, os seis melhores carros do ano).

Nico Hülkenberg e Sergio Pérez vieram logo em seguida, mostrando porque a Force India mereceu ser a quarta melhor equipe da F1 em 2016. Em nono veio Felipe Massa, da Williams, que fazia sua última prova na Fórmula 1 e se despediu da categoria conseguindo dois pontos. Fernando Alonso fechou o grupo de pontuáveis, enquanto seu companheiro, Jenson Button, teve uma quebra de suspensão no começo e abandonou de forma precoce sua última corrida da carreira, sendo aplaudido por todo o público e pela equipe McLaren.

Hamilton (centro), o campeão Rosberg (esq.) e Vettel (dir.) fizeram o pódio (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Hamilton (centro), o campeão Rosberg (esq.) e Vettel (dir.) fizeram o pódio (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

O outro brasileiro, Felipe Nasr, novamente não teve condições de brigar com o péssimo carro da Sauber (tônica da temporada) e encerrou em 16º, uma posição atrás de seu companheiro, o sueco Marcus Ericsson.

Hamilton e Rosberg mantém frente na largada, Verstappen roda e Button abandona sua última corrida

Na largada, Hamilton manteve a ponta e Rosberg não correu riscos, fazendo uma largada segura e continuando com o segundo lugar. Räikkönen largou bem e pulou para terceiro, com Ricciardo caindo para o quarto lugar e Vettel ficando com o quinto posto. Verstappen havia largado em sexto com pneus supermacios (possibilidade de uma estratégia diferenciada) e era cotado como uma das possíveis ameaças à vitória da Mercedes, mas perdeu a posição para Hülkenberg no princípio e, ao tentar recuperá-la na primeira curva, rodou e caiu para a última posição.

Nas primeiras voltas, Hamilton manteve uma vantagem segura na ponta. Rosberg continuava perto, mas quando precisava, o inglês fazia voltas mais rápidas (com uma diferença mínima para o alemão) e permanecia com a ponta. Mais atrás, a primeira grande ação foi entre os carros da Williams: Valtteri Bottas ultrapassou Felipe Massa e assumiu a nona posição na quarta volta e, dois giros depois, o brasileiro devolveu e retomou o posto. Na oitava volta, Bottas teve um problema detectado em seu carro e foi forçado a abandonar, assim como a Renault de Kevin Magnussen.

Verstappen rodou na primeira curva, mas ainda assim foi o terceiro (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Verstappen rodou na primeira curva, mas ainda assim foi o terceiro (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Logo depois, começou a movimentação nos pits com Hamilton sendo chamado e fazendo sua primeira parada, saindo dos pneus ultramacios para os macios. Outros pilotos, como Räikkönen e Alonso, seguiram a mesma estratégia. No giro seguinte, Mercedes e Ferrari fizeram a mesma coisa com seus outros pilotos: Rosberg e Vettel foram chamados e fizeram suas paradas. Mesmo perdendo tempo por ter que esperar a entrada de Vettel, Rosberg manteve-se à frente de Räikkönen, Vettel e Ricciardo (este último parou uma volta depois – largou de supermacios, mas trocou a estratégia). Verstappen, que também largou com os supermacios, não parou no princípio de prova e aparecia em segundo, entre as Mercedes.

Na 14ª volta, uma cena emocionante da corrida: o abandono de Jenson Button, que fez a sua última corrida na F1 (ainda tem contrato com a McLaren até 2018, mas trabalhará na parte técnica). O inglês teve um problema na suspensão dianteira direita após pegar uma zebra mais alta e foi forçado a sair do GP precocemente. Aplaudido por todo o público enquanto se arrastava até os pits, o campeão mundial de 2009 agradeceu ao carinho dos fãs logo quando saiu do carro e foi recebido de forma calorosa pela equipe McLaren e pela família que estava presente em Abu Dhabi. Duas voltas depois, mais um abandono: Daniil Kvyat teve problemas e foi forçado a encostar sua Toro Rosso.

Aplaudido por todo o autódromo, Jenson Button encerrou sua carreira (Foto: Divulgação/F1)
Aplaudido por todo o autódromo, Jenson Button encerrou sua carreira (Foto: Divulgação/F1)

Verstappen e Vettel mudam estratégia e começam a andar mais rápido que os líderes

No 19º giro, Ricciardo colou em Räikkönen na briga pelo quarto lugar e resolveu arriscar: colou na reta com a asa traseira móvel (DRS) e forçou a ultrapassagem por dentro, mas acabou perdendo o ponto de tangência da curva e perdeu ritmo, não só ficando sem a posição, mas sendo ameaçado fortemente por Vettel. Logo em seguida, a grande ação da prova até então. Rosberg usou o DRS na grande reta e arriscou (algo que não parecia querer fazer todo o fim de semana), tentando a ultrapassagem sobre Verstappen. O alemão passou o holandês, mas este último não deixou barato e tentou novamente na reta seguinte, em um momento de tensão que levantou o público. Mesmo assim, Rosberg assumiu de vez o segundo lugar e respirou na situação do campeonato.

A briga entre Verstappen e Rosberg foi um dos grandes momentos da prova (Foto: Divulgação/F1)
A briga entre Verstappen e Rosberg foi um dos grandes momentos da prova (Foto: Divulgação/F1)

Logo ao se livrar de Verstappen (que finalmente foi aos boxes e colocou os pneus macios), Rosberg começou a virar as voltas mais rápidas da prova. Assim a classificação se reestabeleceu, com Hamilton e Rosberg liderando, seguidos por Räikkönen, Ricciardo e Vettel. Hülkenberg, Pérez, Verstappen, Massa e Alonso fechavam os dez primeiros e pontuáveis. Na volta 25, Ricciardo colocou novamente os macios e começou a segunda rodada de paradas dos ponteiros, seguido por Räikkönen. Mais quatro voltas e, com a ameaça de Verstappen (começou a tirar 1s por volta), a Mercedes chamou seus pilotos aos boxes: primeiro foi o líder Hamilton, colocando pneus macios para ir até o fim. No giro seguinte, foi a vez de Rosberg, que também pôs os macios sem problemas e voltou logo atrás.

Com 33 voltas, Hamilton começou a andar em um ritmo mais lento, e a dupla da Red Bull começou a chegar cada vez mais próxima da dupla da Mercedes. O inglês chegou até a ser questionado ela equipe por conta das voltas em ritmo fraco, e logo depois os quatro (Hamilton, Rosberg, Verstappen e Ricciardo) começaram a andar no mesmo nível, entre as casas de 1min45s2 e 1min45s3. Após cinco giros, o então líder Vettel parou e pôs pneus supermacios. Com isso, Hamilton e Rosberg assumiram definitivamente a ponta, mas com Verstappen e Ricciardo vindo logo atrás e ameaçando entrarem de vez na briga.

Vettel resolveu tentar uma estratégia diferente, e deu certo (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Vettel resolveu tentar uma estratégia diferente, e deu certo (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Hamilton segura ritmo e corrida fica tensa, mas Rosberg segura posição e leva o título

As Ferraris se encontraram na volta 41, com Vettel (que vinha fazendo voltas mais rápidas após a para) ultrapassando Räikkönen e assumindo de vez o quinto lugar. Enquanto isso, os quatro primeiros tiveram que se livrar de vários retardatários (Ricciardo foi o que teve mais problemas), em especial a Renault de Jolyon Palmer e a Toro Rosso de Carlos Sainz Jr. No meio da briga, os dois bateram na volta 43, com Palmer acertando em cheio a traseira de Sainz e fazendo o espanhol abandonar (o britânico foi punido com 5s em seu tempo total de prova pela atitude).

Na estratégia de voltar com os pneus supermacios, Vettel se tornava um dos destaques da prova. O alemão começou a tirar uma diferença enorme para os ponteiros e logo chegou neles, ultrapassando Ricciardo para assumir o quarto lugar. Poucas voltas depois, o alemão chegou em Verstappen, e os quatro primeiros ficaram separados por apenas 6s, no momento que certamente foi o mais emocionante da prova. Vettel não demorou muito e ultrapassou Verstappen poucas voltas depois, assumindo o terceiro lugar e colocando ainda mais fogo na corrida.

Com a estratégia de Hamilton, os quatro primeiros chegaram colados (Foto: Clive Mason/Getty Images)
Com a estratégia de Hamilton, os quatro primeiros chegaram colados (Foto: Clive Mason/Getty Images)

O final da corrida foi extremamente tenso. Hamilton continuou segurando o ritmo, e Vettel colou de vez em Rosberg pelo segundo lugar. O piloto da Ferrari usou o DRS por algumas vezes e chegou perto da ultrapassagem, e com a aproximação de Verstappen, Rosberg se viu em condição de ter o campeonato ameaçado. Mas o piloto do #6 conseguiu manter a calma, teve a atitude certa e garantiu o segundo lugar.

Fim de prova, vitória de Lewis Hamilton e título mundial para Nico Rosberg com o segundo lugar, chegando a 385 pontos, contra 380 de seu rival. Sebastian Vettel fechou o pódio, com Max Verstappenn e Daniel Ricciardo logo atrás. Kimi Räikkönen, Nico Hülkenberg, Sergio Pérez, Felipe Massa e Fernando Alonso fecharam os dez primeiros e pontuáveis.

O novo campeão mundial não conteve a emoção no pódio (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
O novo campeão mundial não conteve a emoção no pódio (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

Confira a classificação do Grande Prêmio de Abu Dhabi de 2016 de Fórmula 1:

POS. # PILOTO PAÍS EQUIPE TEMPO PTS
44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1h38min04s013 25
6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +0s439 18
5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +0s843 15
33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL +1s685 12
3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL +5s315 10
7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +18s816 8
27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA +50s114 6
11 SERGIO PÉREZ MÉX FORCE INDIA +58s776 4
19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS +59s436 2
10º 14 FERNANDO ALONSO ESP MCLAREN +59s896 1
11º 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS +1min16s777 -
12º 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MÉX HAAS +1min35s113 -
13º 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR +1 VOLTA -
14º 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR +1 VOLTA -
15º 9 MARCUS ERICSSON SUÉ SAUBER +1 VOLTA -
16º 12 FELIPE NASR BRA SAUBER +1 VOLTA -
17º 30 JOLYON PALMER SUÉ RENAULT +1 VOLTA -
NC 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO ABANDONOU -
NC 26 DANIIL KVYAT RÚS TORO ROSSO ABANDONOU -
NC 22 JENSON BUTTON ING MCLAREN ABANDONOU -
NC 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS ABANDONOU -
NC 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT ABANDONOU -