Mesmo após pódio em Baku, Villeneuve classifica começo de ano de Stroll como “patético”

Apesar de elogiar o terceiro lugar e a evolução do novato de 18 anos no GP do Azerbaijão, o campeão mundial de 1997 ainda acredita que o desempenho do piloto da Williams está abaixo do esperado nas primeiras provas da temporada

Mesmo após pódio em Baku, Villeneuve classifica começo de ano de Stroll como “patético”
Stroll se tornou o novato mais jovem da história a subir ao pódio na F1 (Foto: Clive Rose/Getty Images)

No último dia 25 de junho, no Grande Prêmio do Azerbaijão em Baku, Lance Stroll se tornou o mais jovem novato a conquistar um pódio na história da Fórmula 1. Com 18 anos e 239 dias, o piloto da Williams, duramente criticado em seu início por ter pulado várias etapas nas categorias de base e chegado à equipe inglesa apenas pelo dinheiro, foi o terceiro colocado em uma prova caótica e o primeiro canadense a estar entre os três primeiros em uma corrida de F1 desde Jacques Villeneuve, que conquistou seu último pódio no distante GP da Alemanha de 2001.

Porém, mesmo ao ver a bandeira de seu país em evidência após tanto tempo, o mesmo Villeneuve não mudou sua visão crítica a respeito de Stroll. O campeão mundial de 1997 e hoje comentarista de TV elogiou o trabalho rápido e seguro de seu jovem compatriota em Baku, mas manteve sua opinião de que o começo da temporada do garoto foi “patético”. Ele defendeu que os primeiros pontos conquistados pelo piloto do #18 com o nono lugar na prova anterior, o GP do Canadá em Montréal, tiraram um grande peso, mas lembrou que durante todo o ano ele vem sendo bem mais lento que seu companheiro, o brasileiro Felipe Massa.

Eu sempre disse até Montréal que aquilo era patético. Mas eu também sempre disse que ele venceu em tudo que fez com trabalho, e a mesma coisa provavelmente aconteceria aqui, desde que eles batessem de frente com a realidade. Você tem que admitir quando não é bom o suficiente. Isso é tudo. Então eu não sei porque as pessoas estão tão contrariadas. Você não pode sair e dizer ‘ele é incrível’ quando ele está um segundo mais lento que o Massa”, disse Villeneuve.

Os pontos em Montréal o ajudaram. Ele não foi rápido por lá, mas muita gente quebrou, ele manteve seu carro inteiro, pontuou e isso tirou um peso de seus ombros. Em Baku, quando todos estavam se tocando, ele não estava, e seu companheiro acabou quebrando também. Sim, ele foi sortudo, mas ele também foi rápido. Não fez coisas estúpidas e chegou no pódio. Nada de errado com isso”, acresentou.

Villeneuve conquistou 11 vitórias e 23 pódios em 163 corridas na F1 (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)
Villeneuve conquistou 11 vitórias e 23 pódios em 163 corridas na F1 (Foto: Rainer W. Schlegelmilch/Getty Images)

Villeneuve também criticou o fato de Stroll ter feito um teste no Circuito das Américas, em Austin, entre os GPs do Canadá e do Azerbaijão, o que foi confirmado após a classificação em Baku pelo diretor da Williams, Paddy Lowe. Isso foi possível apenas graças ao grande apoio financeiro que o piloto de 18 anos traz à equipe, já que sessões privadas são proibidas pelo regulamento. Por fim, ele ressaltou que não vai se retratar pelo que disse no começo do ano e lembrou do que aconteceu em 2016, quando fez duras críticas a Max Verstappen quando este subiu da Toro Rosso para a Red Bull também com apenas 18 anos. Villeneuve crê que o ótimo desempenho do piloto holandês (incluindo uma vitória no GP da Espanha do ano passado) acabou ajudando na aceitação da entrada de Stroll no grid.

Ele foi bem, mas ele também é o único piloto que testa durante as corridas. Isso é um pouco difícil de engolir. Dinheiro tem um limite, e isso é forçado. Mas apesar disso, Baku foi a primeira corrida em que ele não estava completamente agarrado ao volante. Ele estava relaxado, dirigindo normalmente. Por que eu criticaria negativamente isso? Mas não significa que o começo da temporada foi bom”, ressaltou Villeneuve.

Você tem que continuar sendo realista. Montréal foi útil e Baku foi boa, mas isso não vai mudar o que eu disse mais cedo na temporada. Acordem, as pessoas precisam prestar atenção para o que é dito. Você deve ser realista e entender a verdade, isso é tudo. Veja o ano passado. Quando o (Max)Verstappen teve que ser criticado eu o fiz, e quando ele evoluiu, foi bom para o Lance. Não voltarei atrás no que disse antes, porque ele não estava no nível certo. E nessa corrida (Baku) ele esteve, bem simples”, complementou.

Com o terceiro lugar no Azerbaijão, Lance Stroll agora é o 12º no campeonato com 17 pontos. A próxima etapa do campeonato de 2017 da Fórmula 1 é o Grande Prêmio da Áustria, no Red Bull Ring, em 9 de julho.