Bernie Ecclestone diz que Williams deve “acordar” e contratar Robert Kubica para 2018

O ex-chefão da Fórmula 1 defende que o polonês, que testou pela equipe e busca voltar à categoria após um grave acidente de rally em 2011, volte ao certame no lugar de Felipe Massa

Bernie Ecclestone diz que Williams deve “acordar” e contratar Robert Kubica para 2018
Ecclestone crê que Kubica voltaria melhor do que antes na Williams (Foto: Dan Istitene/Getty Images)

Um dos temas mais discutidos recentemente na Fórmula 1 é a possível volta de Robert Kubica. O polonês, considerado um dos principais talentos a surgirem na categoria nos anos 2000, sofreu um grave acidente de rally na Itália antes do começo da temporada de 2011 e teve múltiplos traumatismos em braço, perna e mão (quase a amputou) direitos. Desde então, ele nunca mais voltou para o certame. Mas esse hiato pode estar perto do fim.

Na última quarta-feira (11), Kubica fez um teste pela Williams em Silverstone, na Inglaterra. A segunda sessão de Kubica esse ano em uma equipe (já havia testado pela Renault na Hungria, em agosto) foi de portões fechados com o FW36 (carro de 2014) e segundo a escuderia, foi “bem-sucedido”. E um dos homens mais importantes na história da F1 acredita que a volta do piloto deveria acontecer.

O ex-chefão da categoria, Bernie Ecclestone, afirmou em entrevista nesta quinta-feira (12) que defende o retorno de Kubica para a categoria. Ele crê que o polonês voltará em melhores condições do que antes e lembrou de um caso que aconteceu quando era dono da equipe Connaught nos anos 1950: o do britânico Archie Scott-Brown. Ele fez algumas corridas pela escuderia de Ecclestone e também tinha dificuldades físicas enquanto pilotava (um dos grandes questionamentos sobre a possível volta de Kubica).

Se Robert não tivesse se acidentado, acho que agora ele já teria sido um campeão do mundo. Acho que ele pode voltar mais forte do que antes. Mentalmente, acho que provavelmente ele será mais agressivo do que era. Apenas posso ver boas, boas coisas para ele. Em termos de condições físicas, anos e anos atrás, quando eu tinha uma equipe de corrida, tivemos um cara chamado Archie Scott-Brown que pilotou para nós. Archie estava em uma posição pior que a de Robert, muito pior. E ele conseguia ser bem-sucedido e rápido. Então não acho que sua lesão (a de Kubica) irá impedi-lo de voltar”, disse Ecclestone.

 Antes de teste na Williams, Kubica teve sessão na Renault em agosto (Foto: Charles Coates/Getty Images)
Antes de teste na Williams, Kubica teve sessão na Renault em agosto (Foto: Charles Coates/Getty Images)

O britânico também afirmou que Kubica deve entrar na vaga de Felipe Massa, o qual o ex-mandatário acredita que já fez o suficiente nas suas 15 temporadas pela categoria (a Williams ainda não confirmou quem será o companheiro do canadense Lance Stroll ano que vem). Ecclestone também disse que a Williams deveria acordar e perceber que o polonês ainda é um piloto rápido e pode trazer os bons resultados que o time de Grove precisa.

Se ele fizer o que acho que ele fará – ser melhor que antes – as pessoas irão estar com ele. Ele será bom para a Fórmula 1. Se eu fosse a Williams, eu definitivamente tentaria persuadi-lo para se juntar. Provavelmente eles irão perder Felipe Massa ao fim do ano, acho que ele provavelmente já teve o suficiente, e se Robert estiver aí ele pode acordar muitas pessoas por lá. O time não está indo tão bem como deveria, e se é pelos pilotos ou pela equipe no geral, eu não sei. Ninguém sabe. Então seria legal ter um cara que deve ser rápido no carro para descobrir”.

Por fim, Ecclestone lembrou que Kubica terá como empresário e mentor o atual campeão mundial, o já aposentado Nico Rosberg. Ele diz que assim como o ex-piloto alemão, crê que Kubica pode voltar bem, e que a Williams apenas precisa acordar para perceber isso.

Nico (Rosberg) acredita muito, muito nele, assim como eu. Estamos indo na mesma rota. Ele apenas precisa, como todos na vida, de um pouco de sorte em ter certeza – e acreditar – que a Williams irá acordar”.

Robert Kubica ainda fará outro teste pela Williams no dia 18 de outubro, na Hungria. No dia seguinte o piloto de testes britânico Paul di Resta, que também luta por uma vaga, assumirá o carro. Apenas ao fim da temporada a Williams deve anunciar quem será o companheiro de Lance Stroll em 2018.