Toro Rosso confirma Brendon Hartley para GP dos Estados Unidos

O piloto neozelandês substitui Pierre Gasly, que estará na decisão da Super Formula no Japão, e correrá ao lado de Daniil Kvyat em Austin

Toro Rosso confirma Brendon Hartley para GP dos Estados Unidos
Hartley foi campeão do WEC em 2015 e das 24 Horas de Le Mans em 2017 (Foto: Ker Roberston/Getty Images)

A Toro Rosso confirmou nesta sexta-feira (13) a escolha por Brendon Hartley para o Grande Prêmio dos Estados Unidos, em Austin, no próximo dia 22 de outubro. A equipe italiana tem chamado os holofotes da Fórmula 1 para si desde as últimas semanas por conta das várias especulações e confirmações a respeito de sua dupla de pilotos para o fim do ano e na próxima temporada.

A escuderia começou 2017 com o espanhol Carlos Sainz e o russo Daniil Kvyat. Este último foi substituído nas duas últimas corridas, os GPs da Malásia e do Japão, pelo francês Pierre Gasly, atualmente na Super Formula japonesa. Já Sainz, que havia sido confirmado como piloto da Renault para 2018, decidiu ser promovido para a equipe francesa já a partir da próxima corrida nos EUA, no lugar do demitido Jolyon Palmer.

Com isso, Gasly e Kvyat fariam a dupla da Toro Rosso até o fim do ano. Porém, a prova de Austin será no mesmo fim de semana da decisão da Super Formula, onde Gasly briga pelo título (é o vice-líder, meio ponto atrás de Hiroaki Ishiura). E a Honda, marca japonesa que fornece motores à Mugen – equipe de Gasly na Super Formula – e será fornecedora da Toro Rosso em 2018, decidiu não liberá-lo para a prova americana. Com isso um substituto teria que ser escolhido, e a opção foi por Brendon Hartley.

O piloto neozelandês foi campeão da Fórmula Renault Europeia em 2007 e do Mundial de Endurance (WEC) em 2015 ao lado do australiano ex-F1 Mark Webber e do alemão Timo Bernhard. Além disso, ele venceu as 24 Horas de Le Mans em 2017 e lidera o atual campeonato do WEC ao lado de Bernhard e do também neozelandês Earl Bamber. Hartley é da academia da Red Bull (equipe irmã da Toro Rosso) e chegou a fazer um teste pelo time italiano há alguns anos, no circuito de Jerez de la Frontera na Espanha, em 2009. Ele também tem experiência na Fórmula Renault 3.5 e na GP2, categorias de acesso à F1.

Hartley foi piloto de testes e reserva da Toro Rosso entre 2008 e 2010 (Foto: Divulgação/Scuderia Toro Rosso)
Hartley foi piloto de testes e reserva da Toro Rosso entre 2008 e 2010 (Foto: Divulgação/Scuderia Toro Rosso)

Hartley não escondeu a felicidade com a escolha. “Que sensação fantástica! Essa oportunidade veio de surpresa, mas eu nunca desisti na minha ambição e meu sonho de criança de chegar à F1. Cresci e aprendi muito desde os dias em que era da Red Bull e reserva da Toro Rosso, e os anos difíceis que tive me fizeram mais forte e determinado. Quero agradecer muito à Red Bull por fazer isso virar realidade, e à Porsche por me deixar fazer isso em conjunto com o WEC. O Circuito das Américas (Austin) é uma pista que realmente gosto e corri recentemente. Estou tentando não criar muitas expectativas, mas me sinto preparado para isso”, disse o neozelandês, que foi piloto reserva do time italiano entre 2008 e 2010.

O chefe da Toro Rosso, Franz Tost, também comentou a chegada do piloto. Ele lembrou do histórico de Hartley com a equipe e demonstrou confiança em seu trabalho. “A Scuderia Toro Rosso está muito satisfeita em anunciar Brendon Hartley, que fez parte da família Red Bull por muito tempo em diferentes categorias, além de ter sido piloto de testes e reserva da Red Bull Racing e da Toro Rosso, e agora estará de volta conosco em Austin. Brendon está chegando como campeão das 24 Horas de Le Mans e lidera o atual Mundial de Endurance na classe LMP1, que ele já venceu em 2015. Estamos realmente felizes em tê-lo de volta na equipe. Com toda a experiência que acumulou durante os anos, estamos convencidos de que ele fará um trabalho fantástico para nós”, afirmou o austríaco.

Brendon Hartley correrá pela Toro Rosso apenas nos Estados Unidos, cedendo o lugar de volta para Pierre Gasly nas três últimas corridas do ano (México, Brasil e Abu Dhabi).