Análise: Com carros clássicos, F1 2017 apresenta boas melhoras e imersão completa

Game da Codemasters melhora no conteúdo, inova na variação, mas erra em alguns pontos

Análise: Com carros clássicos, F1 2017 apresenta boas melhoras e imersão completa
Foto: Divulgação/Twitter Oficial

Carros de corrida sempre movimentam o imaginário do ser humano. Assim como a vida real, a Fórmula 1 evolui também no mundo virtual e F1 2017 (PS4, XOne e PC) chega para preencher o vazio atual em games de corrida na nova geração de consoles.

Lançado já na reta final da competição, o game conta com todas as pistas e pilotos da atual temporada, tendo uma enorme gama de personalização de corridas e uma imersão completa no Modo Carreira, adicionando uma espécie de "árvore de atributos" no melhor estilo RPG para seu piloto virtual evoluir conforme as corridas passam. Além disso, a Codemasters novamente traz carros clássicos para os fãs mais nostálgicos, mas, infelizmente, pilotos de tempos gloriosos da F1 ficaram de fora. Confira abaixo a análise completa do game.

O velho ronco dos motores

A edição 2017 do game da principal categoria de automobilismo toca na ferida daqueles saudosistas de plantão. O game novamente recria carros clássicos fielmente iguais, tanto na parte gráfica, com patrocínios, pneus, estrutura do chassi e volante, quanto no áudio, onde cada carro tem seu barulho de motor independente.

F1 2017 te dá a chance de pilotar 12 carros históricos: Williams FW18 de 96, McLaren MP4-13 de 98, Ferrari F2002 de 2002, Ferrari F2004 de 2004, Renault R26 de 2006, Ferrari F2007 de 2007, McLaren MP4-23 de 2008, Red Bull Racing RB6 de 2010, Williams FW14B de 92, a Ferrari 412 T2 de 95, além das icônicas McLarens de Ayrton Senna, a MP4/6 de 91, onde o brasileiro foi tricampeão e a MP4/4 de 88, considerado o melhor carro da história da Fórmula 1.

Cada carro antigo é recriado com suas dificuldades e facilidades da época. Se você escolher a MP4/4 sentirá o peso de guiar sem todas as assistências tecnológicas, mas verá um carro mais agressivo e potente. Se pegar a F2007 verá um carro mais estável e seguro, perdendo um pouco de velocidade e com som mais agudo.

No entanto, correr com os carros clássicos não te colocará contra os heróis dos anos 80/90. Por mais que F1 2017 tenha seus carros, pilotos como Ayrton Senna, Nigel Mansell e Allain Prost, por exemplo, estão fora do game. Seus rivais nas corridas serão pilotos genéricos ou atuais, caso escolha competir sem barreira de tempo.

Foto: Divulgação

Modos e mais modos

Por mais que o mundo da F1 seja restrito aos dez times e vinte pilotos, o game se expande e dá várias opções ao jogador para lhe divertir, seja um assíduo fã ou apenas um gamer comum.

A Codemasters novamente traz uma gama repleta de eventos para variar os modos de corrida. O modo Campeonato simula uma temporada completa de F1 com pilotos e pistas tradicionais. No Evento, um cenário é colocado para você ser desafiado. Ele é renovado constantemente, variando como segurar a ponta com uma Haas até fazer uma corrida de recuperação com uma Ferrari largando em último.

No Tomada de Tempo, você deixará suas melhores voltas para a comunidade mundial. Multijogador você pode entrar em corridas contra o mundo o todo ou em jogos privados contra amigos. Em Grande Prêmio, você simula apenas um fim de semana ou uma série de corridas que você pode montar, como só correr nas pistas asiáticas e com carros novos ou clássicos. Mas o ponto forte do jogo é o modo Carreira.

Foto: Divulgação

Imersivo e desafiador

Carro-chefe do game, o modo Carreira em F1 2017 amplia o leque de opções e aprofunda a mais o gamer na vida de piloto. Agora podendo importar seus dados do F1 2016 para adiantar sua vida nessa edição, o jogo traz uma melhora na ambientação, na vida fora da pista e te fará ser um administrador do seu carro.

Isso porque o jogo agora conta com uma espécie de "árvore de atributos", no melhor estilo RPG. Agora você pode melhorar suas habilidades, que variam em mais de 100 itens passando pela parte aerodinâmica até cadeia cinemática.

Além da ampliação dos atributos, o modo Carreira traz novas opções, com um modo rivalidade melhorado, onde você precisa atingir metas para vencer o seu companheiro de equipe e também tomar cuidado com o gasto de seu carro, já que o uso descontrolado pode te fazer trocar de câmbio ou motor antes de seu tempo normal de vida útil, te prejudicando no andamento de sua carreira.

Mesmo complicado e longo para um jogador casual, o modo Carreira se torna interessante e desafiador conforme o tempo passa e você se familiariza com o jogo.

Foto: Divulgação

Gráficos melhorados

Mesmo sendo uma edição anual, o jogo traz uma significativa melhora gráfica e se mostra mais vivo fora da pista: mais torcida, paddock cheio, pilotos mais fieis ao real, mecânicos e boxes melhores representados, área externa das pistas, como Mônaco e Melbourne, mais bonitas.... Tudo bem mais detalhado, ainda que em alguns momentos o problema de renderização siga, demorando alguns instantes para ficar "liso".

Agora, o grande destaque fica para a beleza dos detalhes. Seja numa corrida sob temporal, onde se vê a nuvem de água atrapalhar sua visão, seja no sol forte nas areias de Dubai, o jogo fica impressionante e alguém menos atento pode se confundir com a vida real.

Caso o jogador tenha uma TV com suporte HDR, o game fica mais impressionante já que conta com essa nova tecnologia gráfica.

Foto: Divulgação

Jogabilidade melhorada

Como sempre, F1 2017 te dá a liberdade de escolher a forma como conduz o jogo. Há várias assistências dentro do jogo que te dá uma imersão menor na simulação, mas sem tirar a graça das corridas. No entanto, se você quer realmente sentir-se como um piloto, recomenda-se desligar as assistências e ir na raça, vivendo constantemente sob o risco de ser punido por cortar uma chicane ou vendo um rival te fechar e quebrar sua suspensão.

Nas corridas, as variações de condições das pistas te dá uma impressão diferente na condução. O carro fica mais grudado, mais seguro caso você guie pelo traçado normal, onde a pista é mais emborrachada. Caso chova, o trilho tradicional se torna traiçoeira caso seu pneu apresente desgaste.

Os carros clássicos também apresentam mudanças. É diferente guiar cada carro caso avance pelo tempo. A Red Bull que consagrou Vettel é mais fácil de controlar do que a Williams de Damon Hill, por exemplo.

No geral, a jogabilidade do game melhorou bem. O controle fica mais mais vivo ou estável conforme seu modo de dirigir e conduzir na pista. E isso também afeta a vida útil de seu carro, te fazendo ser um verdadeiro administrador e pensar bem em forçar ou não caso esteja em uma perseguição pesada na busca por pontos.

Vale ressaltar que o game ainda irrita quando você é vítima de barbeiragens da inteligência artificial. Uma briga numa curva, um encontrão, uma batida que você não tem nada a ver provavelmente sobrará para você e uma punição praticamente acabará com sua corrida.

Foto: Divulgação

Conclusão

Ainda que apresente alguns erros gráficos e ainda tenha pilotos genéricos nos carros históricos, F1 2017 é a imersão completa no circo complexo da Fórmula 1. Com um leque enorme em variações de corridas, com a tradicional imprevisibilidade, um gráfico melhorado, sons de arrepiar e todo um ambiente que te coloca como um astro das corridas, o game é melhor que sua edição passada e item indispensável ao fã de games de corrida.

Com a opção de áudio e textos em português brasileiro (ainda que seja enjoativo conforme o tempo passa), F1 2017 é o melhor jogo da principal categoria de corridas já feito.

Foto: Divulgação