Secretaria municipal não libera verba e desfiles da Série A do Rio de Janeiro estão ameaçados

Faltando 44 dias para os desfiles da Série A do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal da Fazenda ainda não liberou verba

Secretaria municipal não libera verba e desfiles da Série A do Rio de Janeiro estão ameaçados
Foto: Luana Dias/Tribuna RJ

Faltando um pouco mais de quarenta dias para o Carnaval 2018, a "novela" polêmica sobre o impasse no Carnaval Carioca ganhou mais um triste capítulo nesta quarta-feira (27). Depois de cortes de verbas e a suspensão dos tradicionais ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí, agora, os desfiles da Série A do Rio de Janeiro estão sob risco. Isso porque, segundo nota divulgada pela Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj), ainda não houve a assinatura do contrato com a prefeitura para a realização do Carnaval de 2018 da Série A.

Em nota, a Lierj criticou a prefeitura do Rio de Janeiro devido aos cortes em 50% o valor dos repasses às escolas de samba, tanto do Grupo Especial quanto da Série A. No início do ano, o prefeito Marcelo Crivella, destacou que o dinheiro seria investido na educação da cidade. 

Confira, na íntegra, a nota divulgada pela Lierj: 

"A Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro ressalta que, até o presente momento, não houve a assinatura de contrato com a Prefeitura do Rio de Janeiro para o Carnaval de 2018 da Série A. O descaso compromete ainda mais as 13 escolas de samba do grupo, que já haviam sofrido por parte do poder público um corte de 50% no incentivo cultural.

Vale destacar que, caso o contrato não seja assinado no ano de 2017, as agremiações só receberão o valor após o Carnaval, uma vez que o exercício financeiro municipal deve permitir a liberação de novos recursos apenas em março de 2018.

A Lierj lamenta profundamente o incompreensível atraso, uma vez que as tratativas para a assinatura haviam sido iniciadas em junho deste ano."

A Riotur, por sua vez, negou a informação e declarou que que o contrato, com previsão de um repasse de R$ 6 milhões a ser dividido entre as 13 escolas, foi assinado no início do mês. Entretanto,  a liberação do empenho depende da Secretaria Municipal de Fazenda, que ainda não autorizou a distribuição dos recursos.