Vozes Marcantes: Bono Vox

Vocalista do U2 é ativista e referência no mundo do rock

Vozes Marcantes: Bono Vox
Arte: VAVEL.com

Paul David Hewson, mais conhecido pelo nome artístico de Bono Vox, nasceu em 10 de Maio de 1960. Nascido e criado na Irlanda, foi lá onde conheceu sua futura esposa e os membros da banda U2.  Em 1974, quando tinha apenas 14 anos, Bono perdeu sua mãe, em decorrência de um aneurisma cerebral. Muitas músicas do U2, incluindo "I Will Follow", "Mofo", "Out of Control", "Lemon" e "Tomorrow", focam a letra sobre a sua perda.

Em 1975, Larry Mullen Jr. (baterista do U2) colocou na escola Mount Temple um anúncio procurando por pessoas interessadas a formar uma banda. Apareceram Dave Evans (The Edge), Dick Evans, Adam Clayton e Bono.

Uma curiosidade: conhecido pelo desafino e incapacidade de cantar na adolescência, foi apelidado de “Bonavox”, nome de loja de produtos auditivos da cidade e cuja tradução do latim significa “Boa voz”. O irônico apelido, gerou uma irônica situação: dali surgiria o nome que viria a ser conhecido como um dos grandes vocalistas do rock mundial. Embora ele use Bono como seu nome artístico, família e amigos também se referem a ele como Bono, incluindo sua esposa e seus companheiros de banda.

Bono é casado com Ali Hewson. A relação começou em 1975, e se casaram em 1982, em Raheny, com Adam Clayton (baixista da banda) como padrinho de casamento. O casal teve 4 filhos: as filhas Jordan Hewson (nascida em 10 de maio de 1989, coincidentemente na mesma data do nascimento do pai); Memphis Eve e os filhos Elijah Bob Patricius Guggi e John Abraham.

Bono é ativista por natureza. Desde cedo, suas músicas abordavam temas sociais, religiosos e políticos, demonstrando seu engajamento. Com o sexto álbum da banda “Rattle and Hum” lançado em 1988, foi lançado posteriormente o filme-concerto de mesmo nome, mostrando um turnê da banda irlandesa, pela América, para a promoção do disco.

No documentário, durante a apresentação da música “Sunday Bloody Sunday”, Bono fala sobre o atentado de Enniskillen que ocorreu em 1987, deixando 11 mortos e dezenas de feridos. A cidade de Enniskillen foi palco de um dos episódios mais sangrentos do IRA. Tanto envolvimento lhe rendeu exposição e também alguns sustos. O Exército Republicano Irlandês (IRA), grupo armado separatista da Irlanda do Norte, ameaçou sequestrá-lo. Chegou, inclusive, a atacar um carro que transportava integrantes da banda.

Em 2002, o artista fundou, com mais três colegas, a organização DATA (Debt, AIDS, Trade Africa), criada para, além de promover o combate à AIDS, pressionar os governos das nações mais desenvolvidas a fazerem sua parte na luta contra a pobreza extrema na África. Dois anos depois, o vocalista criou a organização ONE, que faz campanhas e eventos para acabar com a pobreza extrema e doenças.

Com a mulher, a ativista Ali Hewson, fundou a Edun, marca de moda global que tem o intuito de promover o comércio na África. Em parceria com o ativista Bobby Shriver, desenvolveu a ONG RED, que fornece fluxo sustentável de dinheiro vindo do setor privado para combater a AIDS. O trabalho humanitário de Bono Vox, durante todos esses anos, rendeu-lhe diversas premiações. Ele foi agraciado com um título honorário de cavaleiro pela rainha Elizabeth II, e nomeado como "Personalidade do Ano" pela revista Time.

Com seus pais sendo de religiões diferentes, Bono aprendeu desde cedo sobre tolerância e isso se reflete em suas composições: em "Sunday Bloody Sunday", um hino contra as atrocidades do Domingo Sangrento vivido na Irlanda do Norte em 1972 ou também na canção "One", que propaga o respeito e o amor.