Em teste de luz e som, Mocidade e Portela dão show em noite histórica na Sapucaí

Escolas participaram do tradicional teste de luz e som neste domingo

Em teste de luz e som, Mocidade e Portela dão show em noite histórica na Sapucaí
Foto: Reprodução


A espera foi longa, mas finalmente os fãs de Carnaval mataram a saudade da Marquês de Sapucaí. No último domingo (4), as campeãs Mocidade e Portela participaram do único dia de ensaio técnico de 2018. Pela primeira vez nos últimos 15 anos, a Liesa alegou não ter condições financeiras de realizar os ensaios para todas as agremiações do Especial. As campeãs do Carnaval de 2017 marcaram presença no Sambódromo por conta do obrigatório teste de luz e som para os desfiles que vão acontecer no domingo e na segunda de Carnaval. Dentro da Avenida, Portela e Mocidade fizeram ensaios impecáveis. As duas escolas passaram com um canto muito forte, com baterias com um ótimo andamento e com sambas que balançaram a Sapucaí.

Dudu Nobre comandou os sambas da tradicional lavagem / Créditos: Rafael Arantes
Dudu Nobre comandou os sambas da tradicional lavagem / Créditos: Rafael Arantes

O público que compareceu à Sapucaí para os ensaios de Mocidade e Portela não se decepcionou com as escolas. Porém, alguns problemas marcaram o período que antecedeu a entrada das agremiações na Sapucaí. Durante a tradicional Lavagem, o som falhou algumas vezes. A falha mais grave aconteceu durante a execução dos sambas do Paraíso do Tuiuti e do Império Serrano quando o som foi interrompido por várias vezes. Mesmo com todas as dificuldades, a Lavagem ainda assim emocionou como sempre os fãs de samba presentes no Sambódromo.

Se havia alguma dúvida de que as farpas trocadas entre Mocidade e Portela durante a divisão do título acabaram, elas acabaram neste domingo. Por conta dos problemas no som, a escola de Padre Miguel demorou um bom tempo para entrar na Avenida. Neste período, Rodrigo Pacheco, vice-presidente da Mocidade, e Luiz Carlos Magalhães, presidente da Portela, usaram um tom bem cordial na Sapucaí. O mandatário portelense deixou claro que esperaria o tempo que fosse preciso para que a escola da Zona Oeste tivesse condições de desfilar com um som perfeito.

Belo samba da Mocidade passou levantando a Sapucaí / Créditos: Reprodução
Belo samba da Mocidade passou levantando a Sapucaí / Créditos: Reprodução


Com o som acertado, a Mocidade começou o seu aquecimento com o histórico "Ziriguidum 2001", campeão do Carnaval de 1985, depois, passou para o samba campeão de 2017. Nesta altura, os torcedores da escola de Padre Miguel já faziam suas festas com bandeiras e sinalizadores na Sapucaí. Logo depois, Wander Pires começou a puxar o belo samba que a escola irá levar neste ano, empolgando a todos na Sapucaí. 

Para o ensaio técnico do enredo "Namastê: a Estrela que habita em mim, saúda a que existe em você", a agremiação de Padre Miguel trouxe de volta para a Sapucaí, o Aladim, boneco em um tapete voador que surpreendeu a todos no ano passado na Comissão de Frente da escola. Neste momento, muitos fãs de Carnaval aproveitaram para fazer um registro do acontecimento. O samba passou com um andamento excelente, muito bem executado por Wander Pires e pela bateria de Mestre Dudu. Com um canto muito forte, a verde e branco mostrou que no que depender do chão estará pronta para disputar o bicampeonato.

Portela fez um ensaio técnico impecável neste domingo / Créditos: Reprodução
Portela fez um ensaio técnico impecável neste domingo / Créditos: Reprodução

Depois de 33 anos, a Portela voltou a pisar na Sapucaí como campeã do Carnaval. No aquecimento, Gilsinho levantou a Sapucaí com o tradicional samba "Portela na Avenida" de Paulo César Pinheiro, que se tornou exaltação da escola. O intérprete se mostrou completamente recuperado do leve acidente de moto que sofreu na semana passada. Logo depois, sem mais delongas, o samba de 2018 já começou a dar o tom na Avenida, levantando a torcida da Águia que era maioria na Sapucaí.

Assim como a Mocidade, a Portela que levará o enredo "De repente de lá pra cá e "dirrepente" daqui pra lá" de Rosa Magalhães para a Avenida passou de forma impecável no ensaio técnico. O samba composto pela parceria da Samir Trindade se mostrou bastante competente para o desfile da escola de Oswaldo Cruz, levantando a Sapucaí. O andamento da bateria de mestre Nilo também foi excelente e a escola mostrou muita empolgação para lutar pelo 23º título do Carnaval do Rio de Janeiro.