Carnaval Rio de Janeiro ao vivo: acompanhe os desfiles de domingo do Grupo Especial 2018

Carnaval Rio de Janeiro ao vivo: acompanhe os desfiles de domingo do Grupo Especial 2018

Mocidade: Última a se apresentar no domingo, a Mocidade Independente de Padre Miguel não empolgou. Talvez tenha sido prejudicada por ter entrado na Sapucaí uma hora depois do previsto. Apesar do luxo, decepcionou. 

Crédito: Gabriel Nascimento/RioTur
Crédito: Gabriel Nascimento/RioTur

Mangueira: É fato que o tão aguardado trabalho de Leandro Vieira não arrebatou a Marquês de Sapucaí, mas também não deixou de emocionar. A bem humorada crítica da Verde e Rosa ao prefeito Marcelo Crivella começou branda, é verdade, mas terminou ácida como o público esperava.

Grande Rio: ?A escola de Duque de Caxias tinha a intenção de trazer leveza com o enredo sobre Chacrinha, mas acabou tensa com um sério problema. No desfile de estreia do carnavalesco Renato Lage, a Grande Rio não conseguiu entrar com o sexto carro, que quebrou ainda na concentração, bem longe da avenida.

Crédito: Gabriel Nascimento/RioTur
Crédito: Gabriel Nascimento/RioTur

Paraíso do Tuiuti: A principal surpresa da noite chegou para confundir qualquer palpiteiro. A escola de São Cristóvão, que antes figurava como uma das principais candidatas ao rebaixamento, mostrou que carnaval se faz na avenida. Surpreendente! 

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Vilaé formado por Raphael Rodrigues e Denadir Garcia. A fantasia com luzes de led de Denadir chama a atenção do público.

Comissão de frente vem com hélices com LED que mostram o nome da escola.

A escola espera fazer diferente do que nos últimos anos. A escola não participa do desfile das campeãs desde 2013. Com o aporte financeiro de um patrocinador e a ousadia de Paulo Barros, o desfile deve impressionar os amantes de Carnaval. Nos bastidores, comenta-se que muitas surpressas irão chamar a atenção do público. O desfile realmente contará a história da evolução tecnológica: a criação dos carros, o advento da internet... No fim, será focado no que a humanidade pode esperar do futuro. Paulo Barros fez questão de iniciar a entrega das fantasias antes do que nos anos anteriores quando a escola teve problemas de alas que pegaram a fantasia no dia do desfile.

A próxima escola que vem para a avenida é a Vila Isabel, do grande carnavalesco Paulo Barros.

São Clemente acaba o desfile com 74 minutos.

Desfile da São Clemente vem levantando a avenida até o momento.

Sabrina Sato já esta esperando o desfile da Vila Isabel.

São Clemente chega no meio desfile com muita empolgação!

Os coordenadores dos passistas rendem homenagem a uma importante fase da arte dos salões acadêmicos: o Orientalismo. Integrado a temas tradicionais, temas bíblicos e de atmosfera oriental desperta o interesse do olhar dos artistas da Academia. A roupa deles se integra ao figurino da ala dos passistas, que vem logo em seguida. 

Raphaela Gomes vem dando show na frente da bateria da São Clemente!

Abre-alas “A chegada da Missão Artística Francesa e a fundação da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios” – Em síntese, o abre-alas da São Clemente remete a chegada dos artistas da Missão Artística Francesa ao Brasil em 1816 e a posterior inauguração de sua primeira sede em 1826. No eixo dianteiro temos a representação do navio “Caupe” – embarcação que fez a travessia pelo Atlântico trazendo a nobre Missão até o Novo Mundo. O Navio é guiado por musas da arte: figuras de inspiração Neoclássica, que junto a ninfas aquáticas representam a inspiração das matrizes da escola de arte de Paris – origem dos artistas que para cá vieram. As duas musas principais saltam do pórtico de entrada carregando em suas mãos os louros da vitória.

Engana-se quem pensa que o desfile da São Clemente sobre a Escola de Belas Artes irá inundar a avenida com uma estética rebuscada e pouco inteligível. O ‘Academicamente Popular’ do estreante Jorge Silveira pretende ser bastante interativo e literal, como pede a estética atual do carnaval.

São Clemente já está na avenida esperando seu momento de desfilar.

A quarta alegoria representa uma das sete maravilhas do mundo antigo, a Grande Muralha da China, que inicialmente se constituiu por uma série de edificações construídas no período do Imperador Qin, com o objetivo de proteger as fronteiras das invasões dos vários grupos de nômades, entre eles os temidos mongóis. Foi concluída na Dinastia Ming e desde então vem sendo reformada. O elemento escultórico dianteiro homenageia o lendário Imperador Qin. Esta alegoria buscou trazer o simbolismo da fortificação e sua imponência.

Império vem fazendo um grande desfile cheio de emoção até o momento.

 A segunda alegoria faz referência a religiosidade, tendo como figura principal a flor de lótus, símbolo da pureza, cercada de flores de Pessegueiro, outra planta lendária que significa “longevidade”, mas também um local fora da realidade, um paraíso. Completa a alegoria a figura de Buda. Também representa a majestosa arquitetura china dos templos que até hoje se encontram na Rota da Seda e suas decorações típicas. Ao redor meditam monges budistas e dançam belas bailarinas com leques representando a flor de lótus.

A fantasia “Exército de Terracota do Imperador Qin” representa os guerreiros deste exército, fabuloso achado arqueológico encontrado casualmente em 1974, a cerca de 30 quilômetros da cidade de Xian, excapital de 11 dinastias e outrora a maior cidade do Planeta. 

Mulher de Arlindo Cruz se emociona com homenagem ao cantor na Sapucaí no desfile do Império.

A Velha Guarda vem trajando “Os Nobres da Cidade Imperial” – Representando a nobreza das dinastias, com seu traje elegante. Os homens trazem nas mãos um bastão e as mulheres uma delicada sombrinha. A roupa feminina tem delicados bordados enquanto que a dos homens porta o brasão do império Serrano e representam assim a nobreza da escola. 


Baiana do Império na avenida

O Abre-Alas trará a coroa símbolo do Império Serrano ladeada por dragões chineses, abrindo o desfile com a viagem em direção aos mistérios e história da China antiga e milenar. 

E o Império Serrano vem na avenida para abrir a noite de desfiles do Rio de Janeiro!

Curtiu saber um pouco do que irá rolar nesta noite? Então siga com a VAVEL Brasil e acompanhe minuto a minuto do primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro

A Mocidade Independente de Padre Miguel busca seu bicampeonato saindo do norte africano e desembarcando no segundo país mais populoso do mundo: A Índia. O enredo "Namastê… A estrela que habita em mim saúda a que existe em você" é a esperança de mais um show na avenida com uma imersão completa ao país com população superior a 1 bilhão de habitantes e cultura riquíssima e conhecida mundialmente. A escola espera repetir o bom desfile de 2017 e tem como trunfo seu samba-enredo. Na passagem de luz e som no Sambódromo ficou nítido que a composição é uma das três melhores do ano. 

Detentora de 19 títulos, a Verde e Rosa só fica atrás da Portela, atual campeã do Carnaval e dona de 22 troféus. Neste ano, comandada pela terceira vez consecutiva pelo carnavalesco Leandro Vieira, a Mangueira vai à Sapucaí cantando e contando o enredo “Com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco”. O enredo proposto pelo jovem carnavalesco Leandro Vieira parece ter a intenção de além do protesto contra o corte de verbas ao Carnaval, mas sim resgatar a alegria e o espírito carnavalesco. Unir povos multidões. Aliás como dizia o hino de 1994: “Atrás da Verde e Rosa só não vai quem já morreu”.  Na corrente contra o retrocesso e a marginalização do samba, a Mangueira soltará seu grito em forma de pedido: “Chegou a hora de mudar, erguer a bandeira do SAMBA”.

A Marques de Sapucaí vai receber o verdadeiro Cassino do Chacrinha. Com a presença das mais belas chacretes, dos jurados e do apresentador José Abelardo Barbosa de Medeiros, o Chacrinha, a Grande Rio se prepara para fazer a festa. Conhecido por seus programas na televisão e na Rádio, Abelardo Barbosa fez grande sucesso nos anos 1950 e 1980 com seus programas de auditório. Com seus shows de calouros, a visão de programa de auditório mudou pra sempre. Mas será que em 2018 a história de um dos maiores comunicadores do Brasil vai dar samba? Como já dizia o Velho Guerreiro “Quem não comunica, se trumbica”.

A Paraíso do Tuiuti desfilará críticas a reforma trabalhista, 'manifestantes fantoches' e vampiro com faixa presidencial. Escola dirá na avenida que escravidão ainda persiste na relação entre patrões e empregados. Mas o carnavalesco Jack Vasconcelos optou por uma abordagem diferente para um assunto que já foi muito abordado na Sapucaí. A Tuiuti vai para a avenida este ano com o objetivo de mostrar que a história da escravidão ainda não acabou no Brasil e não vai abrir mão de tocar em temas polêmicos do noticiário político atual.

A Vila Isabel espera fazer diferente do que nos últimos anos. A agremiação não participa do desfile das campeãs desde 2013. Com o aporte financeiro de um patrocinador e a ousadia de Paulo Barros, o desfile deve impressionar os amantes de Carnaval. Nos bastidores, comenta-se que muitas surpresas irão chamar a atenção do público. O desfile realmente contará a história da evolução tecnológica: a criação dos carros, o advento da internet... No fim, será focado no que a humanidade pode esperar do futuro. Paulo Barros fez questão de iniciar a entrega das fantasias antes do que nos anos anteriores quando a escola teve problemas de alas que pegaram a fantasia no dia do desfile.

Engana-se quem pensa que o desfile da São Clemente sobre a Escola de Belas Artes irá inundar a avenida com uma estética rebuscada e pouco inteligível. O ‘Academicamente Popular’ do estreante Jorge Silveira pretende ser bastante interativo e literal, como pede a estética atual do carnaval.

De fato, nenhum fã de carnaval esqueceu a força do Império Serrano, mas já sentiam falta de vê-lo desfilar nos domingos e segundas de carnaval. A tradição reencontrou seu lugar, e a hora enfim chegou: depois de oito anos desfilando na Série A, a comunidade do Morro da Serrinha retorna ao Grupo Especial para “matar a saudade”, como diz o verso de seu samba. Apesar disso, a escola enfrenta o velho problema das agremiações que vem do grupo de acesso e não conseguem se manter no especial. Para piorar, por conta do não rebaixamento de nenhuma escola em 2017, duas irão para a Série A em 2019.

Falta pouco para o tão aguardado desfile das escola de samba do Grupo Especial do Rio. Neste momento, as agremiações estão se preparando para as entregas das fantasias para seus componentes. E você sabe como será o desfile da sua escola? Tem ideia de como está o barracão? Quais surpresas os carnavalescos podem aprontar na Sapucaí em 2018?

Bom dia para todos ligados na VAVEL Brasil! Hoje teremos o grande dia de estréia do carnaval do Rio de Janeiro. Acompanhe conosco e acompanhe escola por escola que passar pela avenida!