Australian Open: quem brilhou e quem ficou devendo no primeiro Grand Slam de 2014
Wawrinka e Na Li se consagraram em solo australiano (Foto: Reprodução)

Se antes do início do Australian Open, Serena Williams e Victoria Azarenka, no feminino, e Novak Djokovic e Rafael Nadal, no masculino, eram cotados como favoritos ao título, a lógica não prevaleceu - em partes. Na Li, enfim, conquistou seu título após duas finais, e Stanislas Wawrinka quebrou a hegemonia do 'big four'. Agora até mesmo se tornou intruso no ranking da ATP.

Fato é que, como de praxe, o primeiro Grand Slam do ano cumpriu sua missão: inflamou mídia e fãs para a temporada 2014, que no calendário oficial da ATP e da WTA começou em Brisbrane, em dezembro passado. Como esperado reservou surpresas - e algumas decepções.

Confira os destaques do Australian Open 2014 - para o bem ou para o mal.

QUEM BRILHOU:

Stanislas Wawrinka: Nem mesmo o abandono de Andrey Golubev e a desistência de Vasek Pospisil podem ser colocados como facilitadores para um título inesperado de Wawrinka. O suíço derrotou Djokovic, Berdych e Nadal - e um retrospecto negativo diante dos dois melhores do mundo- para conquistar seu primeiro slam. Com um dos backhands mais belos e competentes do circuito, Wawrinka se mostrou forte, não apenas no jogo, mas também no psicológico.

Na Li: Subestimada por parte da mídia, mesmo encabeçando o top 5 da WTA e tendo chegado em duas finais em 2013, Na Li espantou o 'fantasma' do vice no AO e assegurou seu segundo Slam na carreira. Chegou a ter match point contra, na terceira rodada, diante de Safarova, mas foi o 'start' para se firmar no torneio. O trabalho com o técnico Carlos Rodriguez tem rendido grandes frutos à chinesa, que pode ser ainda mais protagonista em 2014 com seu estilo de jogo agressivo e peculiar.

Thomas Berdych: Aos 28 anos, Berdych voltou a dar sinais de que, colocando a cabeça no lugar, pode oferecer muito trabalho no circuito. Seu serviço eficiente e o fato de possuir um sólido jogo no fundo de quadro, principalmente com seu forehand , recolocaram o tcheco em uma semifinal de Slam. Antes venceu com certa facilidade o espanhol David Ferrer. O dilema sobre o tcheco é sempre o mesmo. Vai querer mais ou irá se acomodar?

Dominika Cibulkova: A grande surpresa do torneio. Número 24 do mundo antes do Australian Open começar, Cibulkova jamais havia passado de uma semifinal. A única da sua carreira foi em 2009, em Roland Garros. Eliminou cinco cabeças de chave do torneio, entre elas Maria Sharapova - em três sets - e Agnieszka Radwanska, na semifinal, com um 6/1 e 6/2. Endureceu o primeiro set diante de Na Li na final. Subiu onze posições no ranking.

Kei Nishikori: Com 24 anos recém-completados, Nishikori elevou seu nível de jogo. Visto como uma grande promessa, e que de fato já se tornou realidade, o japonês deu um sério recado de que pode ingressar no top 10 ou ir mais além em 2014. Seu jogo contra Rafael Nadal, onde se impôs e trouxe sérias dificuldades ao espanhol com bolas rápidas, cruzadas no fundo de quadra - principalmente no backhand de Nadal, deixou uma bela imagem.Com confiança se torna um tenista ainda mais agressivo. Olho nele.

Eugenie Bouchard: Nascida em 94 e com apenas 19 anos, a canadense, que já figura entre as top 20 do mundo, provou que é mais do que um rostinho bonito dentro do circuito. Parece seguir exatamente os passos da época de junior, quando foi campeã de Wimbledon e semifinalista do Australian Open. Fez grande partida contra Ana Ivanovic, nas quartas de final, e surge com uma das principais promessas do tênis atual.

Grigor Dimitrov: O búlgaro ganhou status não apenas por ser o homem que ganhou o coração da tenistas Maria Sharapova. Com um estilo de jogo técnico, Dimitrov não demorou a receber a alcunha de 'Baby Federer'. Protagonista enquanto junior, Dimitrov fez sua melhor participação em Slams no profissional nesse Australian Open, roubando um set de Nadal durante às quartas de final. O choro após a eliminação mostrou que o fator psicológico ainda é um ponto a ser trabalhado no seu jogo, assim como as devoluções de saque. Seu backhand e saque prometem fazer estrago no circuito nos próximos anos.

Ana Ivanovic: O título do Australian Open não veio, mas Ivanovic parece estar se reencontrando com seu melhor tênis. A sérvia, que vinha de títulos sobre Sharapova e Venus Williams no fim de 2013 e início deste ano, bateu a australiana Samantha Stosur e Serena Williams, grande favorita ao título. Em um jogo marcado pelo nervosismo e muitos erros não forçados, foi derrotada por Bouchar, mas deixou boa impressão.

Garbine Muguruza: Com 20 anos e em sua segunda participação no torneio, a espanhola derrotou Kaia Kanepi e Caroline Wozniacki. O que já diz muito sobre Muguruza. Eliminada nas oitavas por Agnieszka Radwanska.

Roberto Bautista: Mais calejado e longe de ocupar uma posição de privilégio no ranking - era o 62º antes do AO -, o espanhol se tornou surpresa depois de eliminar o argentino Juan Martin Del Potro por 3 sets a 1. Não bastasse isso, passou com facilidade pelo francês Benoit Paire, em três sets. Lutou muito, mas acabou derrotado por Dimitrov nas oitavas.

FICARAM DEVENDO:

Novak Djokovic: Muitos podem questionar o nome de Djokovic na 'lista negra', mas é que sempre se espera um algo a mais de um campeão. A parceria com Boris Becker, bem ou mal, ainda não ficou às claras no jogo do sérvio. Campeão em 2008, 2011,2012 e 2013, Djokovic foi derrotado por um dos poucos no circuito que encontraram a fórmula para confrontar o jogo do sérvio .Após vitórias memoráveis no Australian Open e no US Open diante de Wawrinka, no último ano, Nole perdeu para o suíço em mais um duelo de cinco sets. Perdeu uma invencibilidade de 15 jogos, que perdurava desde 2006. A derrota, que raramente cruza o caminho de Djokovic, costuma servir de motivação ao sérvio. O sonho do primeiro título em Roland Garros é um bom presságio para isso.

Serena Williams e Maria Sharapova: Favoritas ao título, estiverem longe de corresponder as expectativas. Serena foi derrotada por Ivanovic, de virada. De bom apenas o fato de ter garantido sua 61ª vitória no torneio, contra Hanchúcova. Sharapova não fugiu à regra. Mal fisicamente, taticamente e tecnicamente, teve dificuldades contra Knapp e Cornet e parou em Cibulkova.

Juan Martin Del Potro: Campeão do US Open em 2009, Del Potro é o tipo de tenista que nunca deve ser descartado. Sólido no fundo de quadra, golpes potentes, tradicionalmente 'engrossa' para os 'intocáveis' do tênis atual. Sem estar 100% fisicamente, deixou a desejar no AO. O argentino foi eliminado pelo espanhol Roberto Bautista, ainda na primeira semana do torneio.

A verdade é que ainda há muito para acontecer. Foi apenas o primeiro Slam da temporada. Outros capítulos virão ao longo de 2014, com novos personagens e outros protagonistas. Que venham os próximos dez meses do calendário!

VAVEL Logo