Stephens arrasa Kontaveit e alcança quartas de Roland Garros pela primeira vez na carreira

Atual campeã do US Open não teve trabalho em dia apagado da estoniana: 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/0

Stephens arrasa Kontaveit e alcança quartas de Roland Garros pela primeira vez na carreira
Sloane Stephens supera a estoniana Konteveit com facilidade (Foto: Aurelien Meunier/Getty Images)
#10 Sloane Stephens
2 0
#25 Anett Kontaveit

A norte-americana Sloane Stephens conquistou fácil vitória sobre a estoniana Anett Kontaveit nesse domingo (03) em jogo válido pela quarta rodada do Aberto da França. Número 10 do ranking da WTA, Stephens precisou de apenas 52 minutos de partida para despachar a adversária em sets diretos, parciais de 6/2 e 6/0. Com o resultado, a atual campeã do US Open chega pela primeira vez às quartas de final do major parisiense, único Grand Slam em que ainda não havia alcançado esta fase.

Kontaveit, número 25 do mundo, vinha de grande vitória sobre a tcheca Petra Kivtova, uma das favoritas ao troféu desse ano. A expectativa de uma grande tarde de tênis não se confirmou, porém. Dispersiva, sem conseguir devolver com eficiência o saque da rival e inconsistente nas trocas de fundo, Anett se perdeu depois do quarto game da primeira parcial e não conseguiu retornar mais para a partida.

Stephens não precisou sequer forçar muito seu jogo para dominar completamente a oponente, que vivia uma jornada de esquecer. Usando bolas retas e batendo de dentro da quadra, a norte-americana se beneficiou do excesso de erros não forçados da rival, cujos números só se multiplicaram ao longo da partida.

A irritação de Anett com o próprio desempenho era visível depois que a estoniana se percebeu com um set abaixo e uma quebra contra no início da segunda parcial. Com apenas 2 bolas vencedoras na série final do confronto, a estoniana perdeu dez games consecutivos e deixou o torneio com um pneu.

Sloane espera agora o término do encontro entre a dinamarquesa Caroline Wozniacki e a russa Daria Kasatkina, interrompido por falta de luz natural quando Kasatkina possuía a vantagem de um set a zero.