Keys prevalece, vence Putintseva em sets diretos e é primeira semifinalista de Roland Garros

Finalista do US Open, americana venceu cazaque com parciais de 7/6(4) 6/4 e alcançou resultado inédito em Paris; Madison espera a vencedora de Stephens e Kasatkina por uma vaga à final

#13 Madison Keys
2 0
#98 Yulia Putintseva

Madison Keys encarou bem o favoritismo. Nesta terça-feira (5), fez uma partida digna de elogios: errou pouco, acertou muito. A americana, que chegou a enfrentar certos problemas no primeiro set, conseguiu impor uma boa vitória sobre a #98 Yulia Putintseva, venceu em 1h26 pelas parciais de 7/6(5) 6/4, e garantiu pela primeira vez uma semifinal no Aberto da França.

Levou tempo, mas o primeiro set acabou ficando no marcador de Keys. A americana conseguiu equilibrar seus 15 erros com 20 winners e acabou tomando o tie break do set por 76(5) em 52 minutos. Putintseva, que chegou a salvar três set points, teve a chance de servir para o set no 5/4, mas não conseguiu e acabou por ser quebrada. Yulia cometeu apenas três erros e teve nove winners, números que se mostraram insuficientes para bater a adversária.

Putintseva
Putintseva encerra sua boa campanha em Paris  e agora deve focar na temporada de grama (Foto: Cameron Spencer/Getty Images)

No segundo set, Keys mostrou-se mais focada. Cometeu apenas seis erros e fez 10 winners, vencendo pela parcial de 6/4, em apenas 34 minutos. Putintseva mostrou-se mais apreensiva logo no começo do set, chegou a debater com o árbitro sobre uma chamada de bola que julgou errada, cometeu o dobro de erros do primeiro set e menos da metade de winners.

Keys ainda não perdeu um único set até agora no torneio. Vice-campeã do US Open 2017, americana certamente vem mostrado que seu jogo mental está mais forte, e que tem sim condições de vencer partidas importantes sem passar por grande sufoco.

Putintseva, que fez uma ótima campanha, agora volta para casa e deve começar a se preparar para os próximos torneios. Keys espera nas semisi em Roland Garros a vencedora de #10 Sloane Stephens e #14 Daria Kasatkina.

Mesmo que não saia com o troféu em mãos, Keys certamente sairá de Paris feliz. Além de ter a chance de voltar ao top 10, Keys também tem a chance de ser a americana mais bem ranqueada da WTA desde 2007. Uma grande responsabilidade para uma igualmente grande atleta.