Rafael Nadal comenta 11ª conquista em Roland Garros: “É coisa de sonho”

Espanhol ganhou seu décimo primeiro título no Aberto da França e fala dos esforços que fazem dele o maior campeão do Grand Slam parisiense após vitória na final por 3 a 0 contra Dominic Thiem

Rafael Nadal comenta 11ª conquista em Roland Garros: “É coisa de sonho”
Foto:Jean Catuffe/Getty Images

Rafael Nadal, após vencer seu décimo primeiro Roland Garros, que, para muitos tenistas é inimaginável, se mostrou muito emocionado e feliz por mais uma performance espetacular no saibro francês. Após vencer um primeiro set duro e complicado, o espanhol segurou a emoção e partiu para mais uma conquista em Roland Garros, vencendo por 6/4, 6/3 e 6/2, contra a número oito do mundo, Dominic Thiem.

Entretanto, em coletiva de imprensa, ele afirmou que, em momento algum, estava tranquilo na quadra central de Paris, a Philippe-Chatrier. Pelo contrário, afirmou que, apesar de estar jogando o seu melhor tênis do torneio, sentiu-se sempre muito pressionado pelo austríaco, que não desistiu da partida em momento algum, mesmo após o atendimento médico em seu pulso esquerdo do terceiro set.

"Ele [Dominic Thiem] elevou seu nível jogo quando pode, e não me deu muito tempo para pensar na dor. Fui obrigado a ser intenso e competir no meu melhor sempre que exigido, mas, por sorte, minha maior vontade hoje na partida", admitiu o espanhol quando perguntado sobre sua intensidade no jogo.

Thiem se diz decepcionado, mas confiante com futuro depoisda derrota na final de Roland Garros

Quando questionado sobre como se sentia acerca do fato de ter sido atendido e de uma possível lesão numa final tão importante como aquela, Nadal encarou o fato com um pouco de preocupação, evidenciando contusões anteriores que já tiram ele em outros momentos da sua carreira.

"Obviamente, se machucar numa final de Roland Garros seria muito decepcionante. Poucos jogadores chegam neste tipo de partida e querem se entregar a dor ou ao desespero de ter de deixar um sonho ir embora. Então, o fato de eu ter sido rápido em diagnosticar a dor, me ajudou a contornar o problema e voltar pra ganhar a final, me deixa muito positivo. Eu estou com receio mas não estou preocupado qie isso possa afetar o decorrer da temporada", afirmou.

Nadal também respondeu à imprensa como sua atitude mental positiva, dentro e fora de quadra, teria feito ajudá-lo a ter tanto sucesso em Paris em 11 dos últimos 14 Roland Garros disputados.

"Em qualquer coisa que faço, eu me doou 100% com uma boa atitude mental e física. E isso faz que faz que você seja vencedor em tudo que vc quer empreender em uma carreira tão longa e desgastante coma é a de um atleta profissional de alto nível, seja lá que esporte se tratar. Eu vou sempre permanecer com esse pensamento e buscar objetivos melhores e maiores pro meu futuro", ressaltou.

O espanhol, em sua última pergunta, ressaltou de novo a importância de todos que o circundam esses anos todos, como Carlos Moyá, seu tio Toni, Francisco Roig e tantos outros.

"Para vencer, eu aprendi que devo fazer e estar no meu melhor sempre. Meu tio, Toni, sempre enfatizou isso para mim. Agora nessa nova etapa da minha carreira, com Carlos [Moyá], o foco é evoluir o meu jogo em todos os fundamentos possíveis e sempre mapear minhas fraquezas para poder progredir. Essa é uma prioridade agora. É ótimo que eu seja número 1, mas o mais importante agora é celebrar, descansar e melhorar meu jogo para ter uma melhor temporada de grama em 2018", declarou o vencedor de 17 Grand
Slams.

Rafael Nadal já tem sua programação para a temporada de grama, jogando apenas em Queen's para a preparação para Wimbledon.