Wimbledon 2018: confira análise da chave feminina

Terceiro Grand Slam do ano arranca na próxima segunda (1) e traz para os amantes de tênis duas ótimas semanas de jogos diários: Wimbledon e Copa do Mundo, um ótimo mês para os amantes do esporte

Wimbledon 2018: confira análise da chave feminina
Foto: Divulgação/Wimbledon

Julho chega e com ele, o terceiro Slam do ano. Wimbledon, o torneio mais tradicional do tênis e que é o sonho de todas as tenistas ao redor do mundo. As chaves foram sorteadas e agora é a hora de fazer as apostas. Garbiñe Muguruza, atual campeã do torneio, pode enfrentar já no R4 a especialista em grama, Ashleigh Barty e no round seguinte a finalista de 2016, Angelique Kerber. Serena Williams, que acaba de voltar à competição, ganhou o seed de número 25, e pode enfrentar Elina Svitolina já no R3, além disso, a irmã Venus Williams e a BFF, Caroline Wozniacki, também são adversárias em potencial.

Confira a chave completa e a análise dos quadrantes abaixo

PRIMEIRO QUADRANTE: Halep, Konta, Ostapenko, Sharapova e Kvitova

O primeiro quadrante conta com nomes favoritíssimos ao título. Simona Halep, que acaba de conquistar o título de primeiro Slam em Roland Garros, não é um dos nomes favoritos ao titulo; Simona não tem grandes desempenhos na grama e a pressão em cima de não ter título de major não existe mais, logo, Simona entra em Wimbledon sem grande favoritismo.

O quadrante também conta com Johanna Konta, britânica que tem ótimo jogo ofensivo, é a "dona da casa", e joga muito bem na grama. A jovem letã, Jelena Ostapenko, é uma das tenistas mais agressivas do tour, não tem medo na hora de bater winners e busca fazer uma boa campanha depois de perder no primeiro round de Roland Garros, onde defendia o título.

Maria Sharapova é sempre um dos grandes nomes em qualquer torneio. A tcheca, Petra Kvitova é a grande favorita ao título; depois de desistir de Eastbourne por um incômodo no tendão, Kvitova chega em Wimbledon descansada e busca seu terceiro título na grama inglesa e seu sexto título da temporada.

SEGUNDO QUADRANTE: Muguruza, Barty, Kasatkina, Kerber e Garcia

A chave mais diversificada do quadro geral. Muguruza, atual campeã do torneio, só deve enfrentar grande dificuldade no R3, onde se enfrentar Ashleigh Barty, depois pode vir a sofrer novamente nas quartas, onde pode enfrentar a alemã e finalista de 2016, Angelique Kerber.

Barty, que é abertamente apaixonada pela superfícies de grama, tem bom serviço e sabe jogar de forma inteligente e certamente pode alcançar um bom resultado no torneio. Daria Kasatkina, a jovem russa, tem grandes vitórias na conta e costuma surpreender quando menos se espera, enfrenta Barty logo no R3, mas tem chances de avançar e causar grande estrago em sua chave.

Angelique Kerber, ex número 1 do mundo e finalista de 2016, Kerber busca seu terceiro título de Grand Slam da carreira, a alemã tem como possíveis adversárias as jovens Konjuh e Osaka nos rounds 2 e 3 respectivamente. Caroline Garcia é a seed com o quadro mais complicado no segundo quadrante, enfrenta Belinda Bencic no round 1, tem Alison Riske como possível oponente no R2 e ainda Carla Suarez Navarro no próximo round.

TERCEIRO QUADRANTE: Pliskova, Bertens, Venus, Goerges e Stephens

Chave dos aces. Karolina Pliskova, que não tem feito grandes partida no ano, tem na chave a bielorrussa Victoria Azarenka como possível oponente no segundo round, e outra bielorrussa projetada para o round seguinte, Aryna Sabalenka.

Kiki Bertens, outra boa sacadora, tem a possibilidade de pegar Venus Williams no R3. Venus Williams, veterana, atual vice-campeã e excelente sacadora, tem uma chave descomplicada, Larsson no R1, Krystina Pliskova no R2 e Bertens no próximo round.

Julia Goerges, a melhor sacadora do ano até agora, tem já no primeiro round um grande teste contra Monica Puig, McHale e Strycova são prováveis oponentes nos rounds 2 e 3. Sloane Stephens, a última excelente sacadora do quadrante, semi finalista de Roland Garros e campeã do US Open, chega em Wimbledon despretensiosa, pode vir a sofrer no seu round de abertura, onde enfrenta Donna Vekic, mas nos rounds seguintes tem uma visão mais tranquila do quadro. 

QUARTO QUADRANTE: Svitolina, Serena, Rybarikova, Vandeweghe, Radwanska e Wozniacki

O quadrante de ataque x defesa. Elina Svitolina, a ucraniana tem um dos melhores jogos do circuito e certamente um dos melhores mentais, pode vir a ter problema no segundo round, onde deve enfrentar Kristina Mladenovic.

Serena Williams ganhou o seed 25 no torneio, certamente menor do que muitos imaginavam. Sempre uma das favoritas, Serena precisará passar por uma série de tenistas talentosas se quiser chegar a mais uma final no torneio britânico.

Magdanela Rybarikova é semi finalista na grama inglesa de Wimbledon, fez uma boa campanha nos torneios preparatórios e certamente pode alcançar um bom resultado, abre o torneio com Sorana Cirstea, e pode pegar Madison Keys no round 3.

A americana Coco Vandeweghe tem um serviço potente, tem a experiência de dupla que sempre a ajuda em momentos importantes no jogo singular e adora a grama; tem um quadro relativamente problemático, enfrenta Katerina Siniakova no R1, pode pegar Golubic no segundo round e Anastasija Sevastova no R3.

Agnieszka Radwanska, que voltou recentemente para o circuito já mostrou estar em ótima forma ao chegar nas semis de Eastbourne, a polonesa enfrentará em seu round de abertura a romena Ruse, deve enfrentar Safarova no R2, Wozniacki no R3.

Caroline Wozniacki, que conquistou o título de Eastbourne neste sábado [30] já disse estranho ansiosa para Wimbledon, e que quer ganhar seu segundo título de Slam da "grama sagrada", mas para isso terá que passar por Lepchenko, muito que provavelmente Makarova e Radwanska e isso apenas nos rounds iniciais.

As oito melhores

Quando os rounds iniciais acabam, chega a quarta de final, onde restam apenas OITO mulheres vivas na competição. As principais apostas são: Halep e Kvitova, Muguruza e Kerber, Pliskova e Venus, e, por fim, Svitolina e Wozniacki.

Todos os confrontos já ocorreram mais de duas vezes, mas o único na grama foi o de Muguruza e Kerber, em Wimbledon, no ano de 2015. No H2H, Halep, Pliskova e Svitolina lideram frente a suas adversárias por 2x1, Muguruza lidera em cima de Kerber por 5x3.

Não esqueçam de Serena e Maria

Não existe como falar em Grand Slam sem falar de Serena Williams e Maria Sharapova. Ambas têm ótimos recordes nos torneios de major, e, apesar de não estarem na melhor forma, podem alcançar resultados inesperados. Serena foi "presenteada" com o seed 25 pela organização de Wimbledon, graças a isso, a americana tem confrontos mais simples em suas primeiras rondas.

Sharapova conseguiu o seed de 24 com boas campanhas nos torneios no qual participou. Nenhuma das ex número 1 jogaram torneios preparatórios para Wimbledon, mas Sharapova fez uma exibição na grama, Serena não chegou nem a isso.

As favoritas

Nas casas de apostas, Petra Kvitova é a grande favorita ao título, muito na frente da segunda candidata, Serena Williams. Muguruza aparece em terceiro lugar, Kerber em quarto, Halep em quinto, Pliskova, Stephens e Keys empatam no sexto lugar, Sharapova aparece em nono e, fechando o top 10 de apostas, está Caroline Wozniacki.

A cobertura de Wimbledon você acompanha aqui, na VAVEL BRASIL.