Wimbledon 2018: confira a análise das oitavas de final da chave feminina

Primeira semana acabou e agora restam apenas 16 jogadoras lutando pelo título

Wimbledon 2018: confira a análise das oitavas de final da chave feminina
Foto: Divulgação/Wimbledon

A primeira semana de Wimbledon trouxe inúmeras surpresas, mas a partir da próxima segunda feira (9), o torneio retornará as atividades normais e as dezesseis tenistas ainda vivas no torneio disputarão o título de rainha da relva londrina. Entre elas, apenas 7 são cabeça de chave e apenas Karolina Pliskova é top 10. Das 16, apenas sete já chegaram na segunda semana do Slam inglês e apenas uma já foi campeã: Serena Williams. Confira os encontros das oitavas:

+ CONFIRA A ANÁLISE DA CHAVE MASCULINA

#48 Su-Wei Hsieh vs #33 Dominika Cibulkova

Apesar de ter derrotado a número 1 do mundo, Simona Halep, não é Su-Wei Hsieh quem entra no encontro com favoritismo. A tenista taiwanesa nunca havia chegado na segunda semana de Wimbledon e enfrentará uma adversária que, além de já conhecer muito bem a relva londrina, também está fazendo uma campanha excelente até agora no torneio: Dominika Cibulkova. A tenista eslovaca de 29 anos já chegou nas quartas de final do torneio por duas vezes (2011, 2016) e está certamente habituada com a atmosfera londrina. 

#12 Jelena Ostapenko vs #50 Aliaksandra Sasnovich

É um dos encontros que tem tudo para ser muito bom, apesar do claro favoritismo de Jelena Ostapenko. A jovem letã sabe bem como ser agressiva, tem bom serviço, conhece bem os grandes palcos e, além de tudo, tem o H2H em seu favor. Aliasksandra Sasnovich entrará no confronto sem o peso se ser favorita e terá de provar que pode adaptar seu jogo de forma eficaz para buscar uma vingança em cima da jovem letã. Além disso, a bielorrussa já eliminou Kvitova e Gavrilova em sua campanha até a quarta rodada.

#47 Alison Van Uytvanck vs #14 Daria Kasatkina

Nenhuma das duas tenistas nunca chegou nas oitavas de Wimbledon. A belga, Alison Van Uytvanck chega com uma boa vitória em cima da atual campeã do torneio, Garbiñe Muguruza, e pode vir a ser uma ótima adversária para a russa Daria Kasatkina, que é a favorita no encontro. Daria tem ótimas habilidades no quesito agressividade, sabe jogar bem de forma defensiva e vem mostrando cada vez mais que pode protagonizar boas partidas em grandes palcos. Além disso, a russa venceu, em três sets, o único encontro que teve com a belga, que aconteceu justamente na relva.

#10 Angelique Kerber vs #56 Belinda Bencic

Possivelmente  encontro mais eletrizante das oitavas. Belinda Bencic domina o H2H, mas não é a favorita. A jovem promessa suíça vem, aos poucos, lutando para se recuperar de seus problemas físicos e precisará jogar de forma excelente para mandar a experiente alemã de volta para casa. Angelique Kerber tem dois Slams em conta e fez final de Wimbledon em 2016 - perdeu em sets diretos para Serena Williams -,  venceu seus encontros até então de forma autoritária e precisará fazer a mesma coisa contra a suíça.

Kerber joga bem de forma defensiva, mas precisará ajustar seu jogo, pois se der margem, enfrentara grandes dificuldades no encontro. 

#7 Karolina Pliskova #20 Kiki Bertens

É o único duelo entre cabeças de chave. Não existe uma clara favorita, apesar de Kiki Bertens ter feito uma campanha melhor do que Karolina Pliskova até então. Nenhuma das das tenistas havia chegado tão longe no torneio londrino ates, mas Bertens é quem faz história por sua conquista. Pliskova tem ótimo serviço e precisará fazer ótimo uso dele para seu confronto com a holandesa, além disso, sua agressividade e jogo defensivos precisarão estar muito bem na partida.

A holandesa também tem um bom serviço e certamente precisará dele para garantir um triunfo em cima da tcheca. No final das contas, sairá vitoriosa quem soube encaixar melhor o serviço e fizer melhor construção nos pontos importantes.

#13 Julia Goerges vs #55 Donna Vekic

É um encontro que pode vier a ser muito interessante para todos. Julia Goerges tem um bom serviço e bom jogo agressivo, e, apesar de ser uma ex-top 10, nunca alcançou uma quartas de final em majors. Donna Vekic tem boas qualidades agressivas, sabe servir bem, apesar de cometer muitos erros no serviço.

A croata tem mostrado boa força mental e tem menos tempo em quadra que a adversária alemã. Goerges lidera o H2H, mas Vekic tem melhores desempenhos na grama. Certamente uma partida que vale a pena ficar de olho.

#181 Serena Williams vs #120 Evgeniya Rodina

Serena Williams é a óbvia favorita no confronto entre mamães. A americana já tem sete títulos na grama londrina e segue firme em busca do oitavo. Serena sabe como jogar em todos os tipos de palcos, conhece a atmosfera, tem o público em seu favor e está cada vez mais próxima dos seus 100%. Serena tem ótimo serviço e seu jogo agressivo é excelente, além disso, sabe construir bem os pontos e sabe lidar bem com a pressão. Vindo do qualifyingEvgeniya Rodina faz sua melhor campanha em majors na carreira e precisá defender as ótimas bolas da americana com extrema qualidade e terá de alternar entre defensiva e agressiva com muita eficiência se quiser ter chances contra a adversária. 

#52 Camila Giorgi vs #35 Ekaterina Makarova

A última chave é também a chave da maior incógnita. Camila Giorgi tem feito uma boa campanha até então, assim como a russa, Ekaterina Makarova, mas ninguém esperava que ambas fossem se enfrentar em uma oitava de final. A italiana tem um bom serviço, porém conta um coma extrema instabilidade em todos os quesitos possíveis e precisará focar em seu jogo se quiser vencer a russa. Makarova tem mais tempo em quadra que a italiana, mas com o tempo em quadra vem as grandes vitórias.

A russa certamente tem experiência o bastante para chegar nas quartas de Wimbledon, e também conta com o jogo de duplista, que ode vier a ser uma ótima ferramente contra a italiana.