"Saio daqui com a cabeça erguida", reforça Goerges após cair para Williams nas semis de Wimbledon

Alemã, em sua entrevista após a partida, disse que se sente positiva após a derrota para Serena Williams, afirmando que aprendeu bastante com a ocasião

"Saio daqui com a cabeça erguida", reforça Goerges após cair para Williams nas semis de Wimbledon
Foto: Matthew Stockman/Getty Images

Nem toda derrota numa quadra de tênis deve ser convertida em negatividade após a partida, e Julia Goerges sabe disso. Nessa quinta-feira (12), a alemã caiu em dois sets para a multicampeã Serena Williams, mas na sua entrevista, em momento algum, ela abordou o resultado, mas sim o que pôde aprender com a situação.

Sua primeira pergunta foi quanto a sua frustração após ter perdido a partida mesmo apresentando um bom nível. "Eu não me sinto negativa quanto a partida. Não é sobre vencer a partida e acertar os golpes, é mais sobre conquistar experiência", comentou a alemã. "Acho que ela já entrou sabendo o que deveria fazer, e tem bastante experiência, algo que não tenho. Eu nunca tinha avançado a essa fase antes, então... estou procurando melhorar. Mas não, não estou frustrada".

Também, os jornalistas questionaram Goerges como a falta de experiência da alemã influenciou diretamente na partida, e ela mencionou que, principalmente, no game final do jogo, quando serviu em 4/5.

"Aquele foi o momento em que a experiência agiu mais. Eu não fazia ideia de como agir. Quebrei o serviço dela com bolas, acho que isso é bem raro na grama, mas aquele era o game que eu queria jogar", disse. "De alguma forma, quando eu saquei, eu não pude fazer nada, porque não tinha nenhuma experiência naquele momento. Mesmo assim, procuro aprender com isso, porque ela [Serena] tem bastante experiência, já jogou nesta quadra várias vezes", relembrou.

Goerges se surpreendeu com uma pergunta atípica na conferência, quando questionada se ela gostaria de ter a chance de ter virado a partida, ou seja, se as semifinais fossem jogadas em melhor de cinco sets. 

"Honestamente, se todos jogássemos cinco sets, o torneio duraria três semanas. Imagine todos os jogos serem jogador assim, não daria certo. E, mesmo que eu tivesse uma chance de vencer os próximos três sets, não faria diferença alguma. Eu perdi porque ela foi melhor e por falta de experiência. Não mudaria se fosse jogado em cinco sets", admitiu.

Os jornalistas também lembraram que Goerges havia enfrentado a Serena em junho, em Roland Garros. Quando perguntaram à alemã qual era a diferença mental que ela havia sentido entre as partidas, ela rebateu.

"A diferença é enorme, não é sequer comparável. As circunstâncias foram muito diferentes. Em Paris, eu a enfrentei na terceira rodada, não tinha passado por tantas dificuldades na chave como passei aqui, então não tinha tanta confiança como tive hoje", ressaltou.

Por fim, a conferência foi finalizada com o questionamento de qual era a diferença entre a Julia Goerges que havia aterrissado e a que sairia de Londres. 

"Saio daqui com a cabeça erguida, com certeza. Estou muito orgulhosa com o jeito que consegui aceitar a grama, e hoje eu achei uma explicação do porquê de eu não ter conseguido jogar na grama em todos anos", analisou..

Com a eliminação, Goerges viajará para a Rússia para atuar no novo evento do circuito, o WTA International de Moscou, no saibro aberto, que se inicia no dia 23 de julho. O torneio ainda conta com nomes como Daria Kasatkina, Anastasija Sevastova e Mihaela Buzarnescu.