Osaka vence jogaço contra Kvitova, fatura segundo Slam seguido e é nova número um do mundo
Foto: Divulgação/WTA

Osaka vence jogaço contra Kvitova, fatura segundo Slam seguido e é nova número um do mundo

Japonesa teve três match points no segundo set, sofreu, mas conseguiu bater tcheca e conquistou título do Australian Open

_acechard
Pedro Dayrell

O tênis feminino tem definitivamente uma nova estrela. Com seu jogo ofensivo e corajoso, a japonesa a #4 Naomi Osaka, de apenas 21 anos, conquistou neste sábado o segundo Grand Slam consecutivo e com isso será a líder do ranking internacional na próxima segunda-feira. Para faturar o Australian Open, no entanto, passou por outro teste emocional. Perdeu três match points numa reação incrível da tcheca #6 Petra Kvitova, mas por fim anotou o placar de 7/6(2), 5/7 e 6/4, após 2h27, neste sábado (26).

Osaka irá se tornar a vigésima sexta mulher a alcançar o topo do ranking mundial. Ela entrou em Melbourne com o quarto lugar, a melhor marca da carreira, e se torna a primeira asiática a assumir o posto. Há um ano, aparecia apenas no 72º lugar.

Ao mesmo tempo, repete o feito da norte-americana Jennifer Capriati, que em 2001 foi a última tenista a vencer seu segundo Grand Slam logo no torneio seguinte ao de sua primeira conquista. Osaka se tornou a décima primeira jogadora a faturar de maneira consecutiva o US Open e o Australian Open.

Para esquentar o clima desta final, as duas jamais haviam se enfrentado no circuito e assim havia dúvidas táticas. Começaram firmes no serviço, mas abriram oportunidades. Kvitova deixou escapar dois break points no quinto game e um 0-40 no sétimo, tendo evitado uma quebra entre esses games. Na maciça maioria das vezes, o mérito foi das sacadoras.

Pouco a pouco no entanto, Kvitova pareceu alternar mais no serviço. Precisou salvar dois set-points antes de ir ao tiebreak, ao ver Osaka sempre dentro da quadra. Aí a japonesa sobrou. Fez um game desempate impecável, já forçando mais o forehand instável da adversária.

Kvitova manteve-se ainda firme e conseguiu enfim tirar um serviço de Osaka no começo do segundo set, porém a reação durou pouco. Extremamente firme na base, a japonesa ganhou quatro games seguidos e foi a 4/2. O jogo parecia encerrado quando a tcheca permitiu 0-40 no nono game, mas a tcheca foi incrivelmente fria e precisa para salvar os match points. Aí foi premiada por erros da japonesa para vencer o set por 7/5, e empatar o jogo.

Depois de ir ao vestiário com aparentes lágrimas nos olhos, Osaka se recuperou, ainda que menos segura do que antes. Aproveitou um vacilo da tcheca no terceiro game para saltar a 3/1, e depois 4/2 sem abandonar o estilo de bolas forçadas e profundas. Kvitova escapou de outro 0-40 de forma notável, porém não conseguiu retirar a quebra.

Com 5/4, Osaka desta vez não abriu buracos e faturou o terceiro título da carreira em cinco finais (venceu também Indian Wells). Embolsou US$ 2,94 milhões.

Aos 28 anos, Kvitova disputou sua primeira final de Slam desde o bicampeonato em Wimbledon de 2011 e 2014. Dois anos depois, viveu o risco de parar de jogar depois de sofrer graves ferimentos por faca na mão esquerda durante um assalto em sua casa. Ficou afastada do circuito durante seis meses e conquistou desde então seis novos títulos de WTA. A última jogadora tcheca a conquistar o Australian Open foi Hana Mandlikova, em 1987.

VAVEL Logo